Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

diariobombeiro


Terça-feira, 02.10.12

MINISTRO VISITA BOMBEIROS DAS CALDAS DAS TAIPAS

No próximo dia 13 de Outubro, sábado, os Bombeiros Voluntários das Caldas das Taipas vão encerrar as cerimónias comemorativas do 125.º aniversário da associação, num acto solene que contará com a presença do Ministro da Administração Interna, Miguel Macedo. A sessão terá início pelas 15h00, e contará ainda com a realização de uma palestra, pelo provedor da Liga dos Bombeiros Portugueses, inspector Fernando Vilaça, subordinada ao tema dos “Bombeiros Voluntários – que futuro?”. A tarde será ainda destinada ao lançamento do livro comemorativo dos 125 anos de vida daquela corporação.

Fonte: Notícias de Guimarães

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 18:19

Sexta-feira, 28.09.12

Investigador Xavier Viegas entrega relatório sobre fogos do Algarve na segunda-feira

O investigador Xavier Viegas vai entregar na segunda-feira, no Ministério da Administração Interna (MAI), o relatório sobre os incêndios que lavraram no Algarve, em julho, encomendado pelo ministro da tutela.

Domingos Xavier Viegas, responsável pelo Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais da Lousã, disse à agência Lusa que a entrega do documento está prevista para as 15:00, na sede do MAI, em Lisboa.

O docente universitário escusou-se a revelar o conteúdo do relatório, "que deverá ser conhecido primeiro" pelo ministro da Administração Interna, Miguel Macedo.

"Foi ouvida muita gente" com vista a elaborar um documento que "tem cento e tal páginas", limitou-se a afirmar o autor, que investiga a problemática dos incêndios florestais em Portugal há mais de 25 anos.

Xavier Viegas é presidente da Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial (ADAI), que reúne vários investigadores da Universidade de Coimbra e tem participado em vários projetos internacionais.

Em agosto, Miguel Macedo decidiu pedir a uma entidade independente uma avaliação aos incêndios que atingiram a Serra do Caldeirão, entre Tavira e São Brás de Alportel, de 18 a 21 de julho, anunciando que o relatório deveria estar concluído até ao fim de setembro.

O despacho nesse sentido surgiu no dia 13 de agosto, depois de a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) ter elaborado o seu próprio relatório sobre os acontecimentos.

O governante solicitou a Xavier Viegas uma avaliação mais profunda, já que o relatório apresentado pela ANPC não apresentava "recomendações, nem eventuais medidas corretivas a adotar em ocorrências similares".

Miguel Macedo determinou que a nova avaliação "incida sobre todos os aspetos daquela ocorrência e formule recomendações e eventuais medidas corretivas a adotar no futuro".

Segundo o despacho, foi solicitada uma "análise do dispositivo de intervenção e estratégia de atuação no incêndio Tavira/Cachopo/Catraia", que lavrou durante quatro dias, podendo o investigador recorrer à colaboração de peritos nacionais e estrangeiros.

A ANPC estima que estes incêndios tenham consumido uma área aproximada de 24 mil hectares, sobretudo em espaços florestais.

O comandante do Comando Nacional de Operações e Socorro, Vítor Vaz Pinto, admitiu que "houve falhas" no combate ao incêndio da Serra do Caldeirão.

Na altura, também a Liga dos Bombeiros Portugueses, num relatório elaborado pelo seu ex-presidente Duarte Caldeira, concluiu ter havido "falhas graves na estratégia e coordenação" e "um total descontrolo" nas primeiras 34 horas do fogo. 
 
 
fonte: RTP

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 22:24

Sexta-feira, 28.09.12

Governo aprova medidas para aumentar "proteção social" dos bombeiros

O Conselho de Ministros aprovou, esta quinta-feira, um diploma que visa aumentar a "proteção social" dos bombeiros, em áreas como a saúde e a educação, incentivar o voluntariado e harmonizar as carreiras dos voluntários.

"A vigilância médica dos bombeiros é assumida como estratégica, tendo em conta as características singulares da sua atividade, o que passa por implementar o sistema de acompanhamento da saúde dos bombeiros", lê-se no comunicado da reunião do Conselho de Ministros.

Segundo o mesmo texto, deverão ser abrangidos por este sistema de vigilância médica cerca de 30 mil bombeiros nos próximos cinco anos, através do Fundo de Proteção Social do Bombeiro.

Por outro lado, o Governo pretende também subsidiar as propinas de bombeiros ou filhos de bombeiros que andem no ensino superior público ou privado, também através do Fundo Social do Bombeiro.

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, explicou aos jornalistas, no final da reunião do Conselho de Ministros, que o Governo "consagrou a possibilidade" de reembolsar propinas até um valor equivalente do salário mínimo nacional aos bombeiros que estejam há mais de dois anos no ativo.

Os filhos de bombeiros há mais de 15 anos no ativo poderão receber apoio para as propinas até um montante igual a 50% do salário mínimo.

Miguel Macedo explicou que estas medidas não terão qualquer "impacto orçamental", uma vez que serão asseguradas pela Fundo Social do Bombeiro, para onde o Estado transfere cerca de 300 mil euros anuais, mas cujas verbas não têm sido utilizadas na totalidade ao longo dos anos.

O fundo tem, por isso "capitalizado" e não serão necessárias mais verbas do Estado para financiar estes novos apoios sociais, garantiu, sublinhando que o dinheiro é gerido pela Liga dos Bombeiros e que este diploma hoje aprovado para alargar o âmbito da sua utilização resultou de uma "intensa discussão com as estruturas representativas dos bombeiros".

Miguel Macedo considerou que estas matérias do apoio social aos bombeiros são "muito importantes" numa atividade que "requer e exige cuidados acrescidos nestes domínios" e sublinhou que o sistema de vigilância médica estava já consagrado na lei, mas nunca tinha sido posto em prática.

No que toca a medidas de incentivo ao voluntariado, o Conselho de Ministros decidiu aumentar a idade de admissão a estágio na carreira de bombeiro voluntários dos 35 para os 45 anos.

"É ainda criada, no quadro ativo, uma nova carreira, a carreira de bombeiro especialista, de relevante utilidade para os corpos de bombeiros vocacionada para áreas funcionais específicas", lê-se ainda no comunicado do Conselho de Ministro.


fonte: JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 13:23

Quinta-feira, 27.09.12

COMUNICADO DO CONSELHO DE MINISTROS DE 27 DE SETEMBRO DE 2012

(...)

3. O Conselho de Ministros aprovou alterações ao diploma que define o regime jurídico aplicável aos bombeiros portugueses no território continental, procedendo a reajustamentos para uma mais eficaz proteção social do bombeiro e para a harmonização das carreiras dos bombeiros voluntários.

A vigilância médica dos bombeiros é assumida como estratégica, tendo em conta as características singulares da sua atividade, o que passa por implementar o sistema de acompanhamento da saúde dos bombeiros, estando programado que sejam abrangidos, nos próximos cinco anos, 30.000 bombeiros dos corpos ativos, através do Fundo de Proteção Social do Bombeiro.

No âmbito da educação, determina-se o reembolso de propinas aos bombeiros que frequentem o ensino superior, independentemente da natureza pública ou privada do estabelecimento de ensino e introduz-se um maior grau de exigência na atribuição do reembolso das propinas, criando um limite máximo para o mesmo.

O diploma regula ainda a possibilidade de transferência de bombeiros do quadro de reserva de um corpo de bombeiros para o quadro ativo de outro corpo de bombeiros, suprindo algumas das dificuldades de mobilidade verificadas.

Em matéria de incentivo ao voluntariado, é aumentada a idade de admissão a estágio, na carreira de bombeiro voluntário, dos 35 para os 45 anos. É ainda criada, no quadro ativo, uma nova carreira, a carreira de bombeiro especialista, de relevante utilidade para os corpos de bombeiros vocacionada para áreas funcionais específicas.


4. O Conselho de Ministros aprovou também um diploma que define o regime jurídico aplicável à constituição, organização, funcionamento e extinção dos corpos de bombeiros, no território nacional.

De entre as alterações introduzidas destaca-se o aumento da liberdade de organização dos corpos de bombeiros, no sentido de maior eficiência operacional e de gestão dos corpos de bombeiros. Assim, existindo diferentes corpos de bombeiros no mesmo município, a respetiva área de atuação pode não coincidir com as fronteiras das freguesias, cabendo à Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) fixar áreas de atuação na falta de acordo entre os corpos de bombeiros.

No que respeita às forças conjuntas e aos agrupamentos, o município deixa de constituir o limite à respetiva criação. A única limitação geográfica passa a ser a da contiguidade das áreas de atuação dos corpos de bombeiros em causa.

Finalmente, cria-se a obrigação de as entidades detentoras de corpos de bombeiros atualizarem permanentemente a informação necessária dos beneficiários do seguro de acidentes pessoais, via Recenseamento Nacional dos Bombeiros Portugueses.


(...)
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 20:02

Quinta-feira, 27.09.12

Governo impõe tecto máximo nas propinas pagas aos bombeiros

Os bombeiros que frequentam o ensino superior vão ver limitado o apoio que podem receber do Estado para propinas. Em contrapartida o reembolso passa a abarcar as universidades privadas. 

Os apoios dados pelo Estado aos bombeiros que frequentam o ensino superior passarão a ter um tecto máximo de 485 euros anuais. Já os filhos de bombeiros poderão receber no máximo 243 euros. Em contrapartida, o reembolso das despesas com propinas vai abranger os cursos feitos nas instituições privadas. Até agora, este apoio não tinha limite, mas estava restringido ao ensino superior público.

A medida foi aprovada no Conselho de Ministros desta quinta-feira e prevê que uma parte das verbas do Fundo Social do Bombeiro sejam utilizadas para reembolsar parte das propinas dos bombeiros.

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, precisou que o apoio terá como tecto máximo o valor do salário mínimo, que este ano é de 485 euros. O único requisito é que os bombeiros estejam nas corporações há mais de dois anos, como acontece actualmente. Mantém-se a exigência que os bombeiros tenham pelo menos 15 anos de serviço para que os filhos também possam beneficiar do apoio, que passa a estar limitado a metade do salário mínimo.

O ministro disse que estas alterações “alargam o âmbito de utilização das verbas do Fundo Social do Bombeiro”. E sublinhou que não têm impacto orçamental, porque as verbas necessárias provêm do fundo, que tem uma dotação anual de 300 mil euros.

Este vai ainda financiar um sistema de acompanhamento de saúde dos bombeiros que já estava previsto, mas nunca tinha sido operacionalizado, adiantou Miguel Macedo. O objectivo é que nos próximos cinco anos sejam abrangidos 30 mil bombeiros.

Concelhos deixam de ser limite

O Governo aprovou ainda um diploma que define as regras para a criação, organização ou extinção de corpos de bombeiros.

A principal alteração prende-se com a constituição de forças conjuntas, que deixam de ter como limite a área do município.

Com esta medida o Governo pretende “incentivar mais agrupamentos de bombeiros, o que pode concorrer para uma maior eficácia”, justificou o Miguel Macedo.

Para incentivar o voluntariado, o ministro anunciou que o limite de idade para a admissão a estágio, na carreira de bombeiro voluntário, passa dos 35 para os 45 anos.

Notícia actualizada às 18h25
Inclui informação de que os bombeiros já recebiam apoios para as propinas, mas que agora é alargado aos que frequentam instituições de ensino superior privadas. Além disso passa a haver limites máximos.


fonte: Publico

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 19:30

Quinta-feira, 27.09.12

Governo Flexibiliza Criação de Forças Conjuntas e de Agrupamentos

O Conselho de Ministros aprovou hoje um novo regime jurídico para os corpos de bombeiros que pretende, entre outros objetivos, flexibilizar a constituição de forças conjuntas e de agrupamentos, deixando o município de limitar a sua criação.

Este "regime jurídico aplicável à constituição, organização, funcionamento e extinção dos corpos de bombeiros" hoje aprovado visa aumentar "a liberdade de organização dos corpos de bombeiros, no sentido de maior eficiência operacional e de gestão", lê-se no comunicado que saiu hoje da reunião do Conselho de Ministros.

Assim, e segundo o mesmo texto, "existindo diferentes corpos de bombeiros no mesmo município, a respetiva área de atuação pode não coincidir com as fronteiras das freguesias", cabendo à Autoridade Nacional de Proteção Civil "fixar áreas de atuação na falta de acordo entre os corpos de bombeiros".

"No que respeita às forças conjuntas e aos agrupamentos, o município deixa de constituir o limite à respetiva criação", e a "única limitação geográfica passa a Acer a da contiguidade das áreas de atuação dos corpos de bombeiros em causa".

Na conferência de imprensa que se seguiu à reunião do Conselho de Ministros, o responsável pela Administração Interna, Miguel Macedo, explicou que este diploma vida "aproximar" e "flexibilizar" as estruturas de proteção para uma melhor resposta em caso de necessidade.

O ministro sublinhou que "os riscos de proteção civil não se compadecem com limites administrativos" e daí estas medidas hoje aprovadas.

"E julgamos que pode ser um incentivo para a reorganização destas estruturas, sendo que consideramos -- e os dados que temos disponíveis confirmam -- que a existência de mais forças conjuntas e de mais agrupamentos de bombeiros pode concorrer para uma maior eficácia ainda no combate a sinistros a que sejam chamados os bombeiros", acrescentou.


Fonte: Ionline

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 19:22

Sábado, 22.09.12

Helicópteros KAMOV vão cessar imediatamente operações de voo


Comunicado

Empresa De Meios Aéreos ( facebook)
Esclarecimento:
A paragem da frota Kamov é obviamente temporária, sendo uma medida de segurança comum na aeronáutica, sempre que surgem dúvidas que colocam em causa a segurança de voo. Alegadamente, em causa está uma discrepância entre o manual de manutenção que está em vigor pelo fabricante e o utilizado pela empresa privada que assegura a manutenção, tendo a decisão de parar partido desta ultima. 
Aguarda-se esclarecimento do fabricante (Kamov), para que seja retomada a normalidade nas operações de voo.




Os helicópteros KAMOV utilizados no combate aos incêndios vão ter que cessar imediatamente todas as operações de voo a pedido da empresa que assegura a manutenção dos aparelhos.
Uma nota do Ministério da Administração Interna (MAI) adianta que a Empresa de Meios Aéreos (EMA) recebeu hoje uma notificação da empresa que assegura a manutenção dos seis aparelhos a informar que os helicópteros KAMOV vão ter que «cessar de imediato todas as operações de voo».
A suspensão das operações de voo destes aparelhos surge na sequência do incidente ocorrido a 03 de setembro com um dos helicópteros KAMOV da frota da EMA, estando atualmente em curso as investigações a cargo do Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC) e do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA).
Fonte do MAI disse à agência Lusa que no decurso desta investigação foi reportado que alegadamente poderia existir uma desatualização entre o manual de manutenção utilizado pela empresa e o que está em vigor pelo fabricante.
Em consequência da notificação hoje recebida, o MAI determinou à EMA que apresente «com urgência» alternativas tendo em vista «assegurar e manter a capacidade operacional adequada nas missões confiadas à responsabilidade do Ministério, para as quais, neste momento, conta com 38 outros meios aéreos».
Na nota, o MAI salienta ainda que tais factos foram comunicados à Procuradoria-Geral da República «sem prejuízo das investigações técnicas em curso, tendo em vista o apuramento de todas as responsabilidades e a necessidade de acautelar a defesa dos interesses do Estado».

Fonte: TSF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 12:04

Terça-feira, 18.09.12

Secretário de Estado diz que “não houve falta de meios” para combate a fogos

Apesar da situação de crise no país, “não houve falta de meios” para o combate aos incêndios florestais, disse nesta terça-feira o secretário de Estado adjunto do ministro da Administração Interna, Juvenal da Silva Peneda.

“Neste momento, o que podemos dizer é que, mesmo numa situação de crise como aquela em que vivemos, não houve falta de meios”, disse Juvenal da Silva Peneda nos Hospitais da Universidade de Coimbra - Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (HUC-CHUC), onde visitou os dois bombeiros internados devido a ferimentos sofridos no âmbito do combate a incêndios no passado fim-de-semana. 

Segundo o secretário de Estado, “mesmo nos relatórios que foram feitos dos incêndios, como o grande incêndio do Algarve, nunca se falou de falta de meios e isso seria uma falha imperdoável da nossa parte, que houvesse um acidente ou incidente qualquer por falta de meios”. 

O dispositivo “foi reforçado para este ano. Todos os meios foram postos no local. Vale a pena avaliar casos concretos deste incêndio ou aquele incêndio, para aprendermos e para que, nas vezes seguintes, eventuais falhas sejam colmatadas”, afirmou o governante. 

Acompanhado pelo presidente do conselho de administração dos HUC-CHUC, José Martins Nunes, pelo presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Soares, dirigentes do Comando Distrital de Operações de Socorro de Coimbra e médicos, o secretário de Estado visitou os dois bombeiros que se encontram internados nos serviços de Ortopedia e de Cirurgia Plástica e Queimados. À tarde, Juvenal da Silva Peneda representa o Governo no funeral da bombeira de Coja que morreu no sábado no combate a um incêndio em Arganil. Segundo o secretário de Estado, o processo relativo ao seguro e atribuição da pensão de sangue à família da bombeira “vai ser despachado o mais depressa possível, (...) no mais curto espaço de tempo”.

Fonte: Público

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 21:13

Segunda-feira, 10.09.12

MAI adianta verbas de 275 mil euros a 20 corporações de bombeiros


O Ministério da Administração Interna anunciou que 20 corporações de bombeiros das regiões do norte e centro vão receber um adiantamento de verbas, no valor total de 275 mil euros.
O adiantamento das verbas destina-se às 20 corporações de bombeiros que tiveram «maior empenho no combate aos fogos da última semana», refere uma nota do MAI, enviada à agência Lusa.
Segundo o ministério, o montante total de 275 mil euros, que será disponibilizado na próxima terça-feira, tem em vista «atenuar imediatamente os encargos resultantes da sustentação logística das operações».
A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou 1.889 incêndios florestais nos últimos sete dias, de sexta-feira, 31 de agosto, a quinta-feira, 06 de setembro.
Segundo as estatísticas da ANPC, no combate aos 1.889 fogos estiveram envolvidos 43.358 operacionais e 11.620 viaturas, tendo os meios aéreos realizado 765 missões.
Fonte: TSF

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 19:59

Sexta-feira, 07.09.12

MAI adianta verbas de 275 mil euros a 20 corporações de bombeiros

O Ministério da Administração Interna (MAI) anunciou hoje que 20 corporações de bombeiros das regiões do norte e centro vão receber um adiantamento de verbas, no valor total de 275 mil euros.

O adiantamento das verbas destina-se às 20 corporações de bombeiros que tiveram "maior empenho no combate aos fogos da última semana", refere uma nota do MAI, enviada à agência Lusa.

Segundo o ministério, o montante total de 275 mil euros, que será disponibilizado na próxima terça-feira, tem em vista "atenuar imediatamente os encargos resultantes da sustentação logística das operações".

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou 1.889 incêndios florestais nos últimos sete dias, de sexta-feira, 31 de agosto, a quinta-feira, 06 de setembro.

Segundo as estatísticas da ANPC, no combate aos 1.889 fogos estiveram envolvidos 43.358 operacionais e 11.620 viaturas, tendo os meios aéreos realizado 765 missões.

Fonte: RTP

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 19:40


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31




Tags

mais tags