Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

diariobombeiro


Segunda-feira, 24.09.12

Módulo Pedidos de Formação da ENB com mais de 3800 registos

Encerrou ontem a fase de testes do Módulo Pedidos de Formação da Escola Nacional de Bombeiros. Os números falam por si: foram registados nesta nova ferramenta criada pela Escola 3875 pedidos efetuados por 379 corpos de bombeiros, 87 por cento do total.

A maioria dos pedidos diz respeito aos módulos de Ingresso na Carreira: Técnicas de Socorrismo, com 482 pedidos, e Técnicas de Desencarceramento, com 494 pedidos. Segue-se a formação de Tripulante de Ambulância de Transporte, com 422 pedidos e Tripulante de Ambulância de Socorro, com 297 pedidos. Condução Fora de Estrada, Operador de Telecomunicações e os módulos de acesso na carreira de bombeiro reúnem igualmente um elevado número de pedidos.

Consciente de que esta ferramenta apresenta necessidade de algumas melhorias, já identificadas conjuntamente com os Corpos de Bombeiros, Comandos Distritais de Operações de Socorro e Direção Nacional de Bombeiros, a Escola Nacional de Bombeiros vai agora proceder à correção dos aspetos identificados.

O Módulo deverá ser reaberto entre 1 e 31 de Outubro para o diagnóstico das necessidades de formação para 2013.

Até lá, a ENB tem planeadas diversas ações de esclarecimento para os corpos de bombeiros, numa organização que envolverá também os Comandos Distritais de Operações de Socorro e a Direção Nacional de Bombeiros. O Módulo Pedidos de Formação é uma ferramenta construída de raíz para a Escola Nacional de Bombeiros e visa compatibilizar as necessidades dos corpos de bombeiros com os prazos e procedimentos estabelecidos pela regulamentação em vigor na área da formação dos bombeiros voluntários.

por ENB

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 18:56

Sábado, 11.08.12

40% dos tripulantes de ambulância não terão formação exigida por lei

Quase metade das ambulâncias de socorro vão passar a ser tripuladas por bombeiros sem a formação que é exigida por lei. O problema está na falta de resposta de INEM e da Escola Nacional de Bombeiros aos inúmeros pedidos para formação. À RTP, estas entidades admitem que todos conhecem a situação mas não acertam estratégias para resolver o problema.

Fonte: RTP

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 15:35

Sábado, 11.08.12

Emergências: São precisos mais de 3 milhões para colmatar irregularidades

Portugal tem só 60% dos bombeiros socorristas de que necessitaria. Porto é o distrito mais carenciado

A certificação do número de socorristas necessários para colmatar as falhas nas associações de bombeiros custaria mais de três milhões de euros. No total seria preciso formar 2124 elementos só para o Continente – o que significa 40% do número total de tripulantes de ambulância de socorro de que o país precisava, ou seja, 5358. O estudo “TAS, Tripulante Ambulância de Socorro – situação nacional (Continente) – 2011”, recentemente elaborado pela Protecção Civil, revela ainda que, dos 27 667 bombeiros no activo, só 3234 têm formação de socorrista (ou seja, 60% das necessidades mínimas).

No que respeita a esta matéria, uma das conclusões da auditoria realizada é clara: “Os resultados obtidos neste questionário vêm confirmar e ao mesmo tempo alertar para a gravidade da situação – ausência de bombeiros TAS em número suficiente em alguns corpos de bombeiros do Continente, de modo a assegurar a tripulação das ambulâncias de socorro de acordo com a legislação em vigor.”

Este retrato da emergência médica em Portugal aponta o Porto como o distrito mais mal servido de socorristas, uma vez que seriam necessários mais 528 elementos com este tipo de formação. Lisboa aparece no segundo lugar por lhe faltarem 246 tripulantes de ambulância de socorro. Coimbra, Setúbal e Braga são os restantes distritos que surgem no top 5 das situações mais críticas. Na ponta oposta da tabela surge Viseu, onde seriam apenas necessários mais três socorristas para que fosse atingido o número mínimo de elementos com curso TAS (ver infografia).

Para solucionar estas carências seriam precisos, no total, 3,2 milhões de euros – uma aposta financeira que, segundo este estudo, seria avultada: “Os resultados obtidos permitem constatar que a regularização da situação, ou seja, dotar todos os corpos de bombeiros de um número mínimo de bombeiros TAS certificados, requer um investimento exigente em recursos humanos e financeiros.”

Incapacidade do INEM e da ENB “A resposta aos pedidos de formação por parte das entidades formadoras, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e a Escola Nacional de Bombeiros (ENB), para ministrar a formação de TAS – curso inicial e a recertificação – traduz-se (...) [na] ausência de resposta aos pedidos formulados pelos corpos de bombeiros.” Isto é, os dados recolhidos pela equipa que conduziu esta auditoria revelam que as duas entidades não têm desde 2006, pelo menos, capacidade de resposta aos pedidos feitos pelas associações de bombeiros.

Em causa estão duas situações: a dos elementos que precisam de formação TAS e a dos que, já sendo formados, precisam de renovar a sua certificação.

Segundo referido na auditoria, o problema não é de agora, sendo inclusivamente do conhecimento de todas as organizações do sector e dos ministérios da Saúde e da Administração Interna. “As dificuldades evidenciadas pelo INEM e pela ENB em assegurar a formação de bombeiros TAS (curso e recertificação) não parecem ser um problema novo, situação que se julga ser do conhecimento de todas as organizações do sector e dos ministérios da Saúde e da Administração Interna.”

Pedidos de 2006 a 2011 Coimbra foi o distrito que mais pedidos para certificados de tripulantes de ambulância de socorro enviou ao INEM desde 2006 – 75 pedidos –, seguindo-se Faro e Setúbal, com 55 e 41, respectivamente. No que respeita aos pedidos de TAS à Escola Nacional de Bombeiros, o distrito de Lisboa lidera a tabela com 138 pedidos; o de Santarém solicitou 50 cursos e o do Porto 40. Em números gerais – entre 2006 e 2011 –, as corporações dos 18 distritos do Continente solicitaram ao Instituto Nacional de Emergência Médica 426 pedidos de TAS, enquanto à Escola Nacional de Bombeiros, a outra entidade que fornece este tipo de formações, foram solicitados 562 cursos.

Para a formação inicial de um socorrista, o estudo da Protecção Civil estima que o preço seja de 1500 euros por elemento – isto no caso de as turmas serem compostas por 24 alunos.

No que respeita à revalidação das certificações, ou seja, à actualização dos títulos de tripulante de ambulância de transporte já expirados, no mesmo período foram enviados para o INEM 689 pedidos e para a ENB apenas 529 – que terão ficado sem resposta por parte das entidades formadoras.


por Carlos Diogo Santos
fonte: i

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 11:30

Quarta-feira, 27.06.12

Lousã reduz formação de bombeiros por falta de verbas


A participação do Laboratório de Estudos sobre Incêndios Florestais, situado na Lousã, em atividades formativas de bombeiros "tem diminuído significativamente" nos últimos anos devido à falta de verbas, disse hoje o diretor da instituição à agência Lusa.

Domingos Xavier Viegas revelou que as visitas de caráter formativo, efetuadas ao Laboratório por corporações de todo o país, têm vindo a decrescer devido ao corte dos apoios que a Autoridade Nacional de Proteção Civil disponibilizava para o efeito.

Por outro lado, ainda "por falta de verbas", os investigadores do Laboratório de Estudos sobre Incêndios Florestais da Universidade de Coimbra (UC) também têm deixado de integrar os programas de formação da Escola Nacional de Bombeiros (ENB), que dispõe de um polo também na Lousã, na zona do aeródromo da Chã do Freixo, onde são instalados há décadas, nesta época do ano, meios aéreos e terrestres de combate a fogos florestais.

Em 2009, por exemplo, a equipa científica dirigida por Xavier Viegas participou em 17 ações a convite da ENB, número que baixou para apenas nove, em 2010 e 2011, não lhe tendo cabido, este ano, qualquer atividade formativa daquela escola.

Uma das áreas de intervenção do Laboratório da Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial (ADAI), dirigido pelo professor universitário, é o estudo do comportamento do fogo, com vista a "sensibilizar os bombeiros para o tema da sua própria segurança" no terreno.

No início de março, durante uma visita às instalações da ADAI na Lousã, o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, defendeu incentivos à "aplicação efetiva" da investigação produzida no Laboratório de Estudos sobre Incêndios Florestais.

Na ocasião, Xavier Viegas lamentou que "muitos dos sistemas e protótipos" produzidos pela sua equipa "deixem de ser usados e caiam no esquecimento, por falta de organização adequada", o que constitui um desperdício do trabalho desenvolvido ao longo de vários anos.

Disse ainda que as visitas de caráter formativo, efetuadas pelas corporações de bombeiros, diminuíram significativamente nos últimos anos, devido ao corte dos apoios que a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Miguel Macedo manifestou o empenho do Governo para, "na medida do possível, inverter essa situação em colaboração com entidades públicas e privadas", designadamente "entre a Agricultura, a Proteção Civil e todas as entidades" que atuam nesta área.

"Não houve alteração nenhuma nestes meses", declarou hoje Xavier Viegas à Lusa.

Após a visita do ministro, em 06 de março, este responsável escreveu uma carta ao presidente da ANPC, general Arnaldo Cruz, solicitando uma audiência, que nunca chegou a ser marcada.

No passado, com apoio da ANPC, o Laboratório da Lousã chegou a acolher uma média de 20 visitas formativas por ano, totalizando entre 600 a 800 bombeiros envolvidos, o que tem vindo a decrescer nos últimos anos.

"Agora, dizemos às corporações que terão de pagar 500 euros por visita", referiu Xavier Viegas.

Este ano, os investigadores da ADAI acolheram apenas três destas visitas.

Diário Digital com Lusa

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 08:18

Terça-feira, 05.06.12

ENB e o grupo Portucel Soporcel desenvolvem ações de sensibilização

A Escola Nacional de Bombeiros (ENB) está a desenvolver, com o apoio do grupo Portucel Soporcel, o projeto-piloto “Floresta Segura” que procura reduzir a ocorrência de incêndios através da sensibilização e formação das populações residentes em áreas rurais e periurbanas sobre os princípios básicos da prevenção de incêndios.



“Floresta Segura” é um programa bastante pertinente considerando que mais de metade dos incêndios florestais em Portugal resultam de atos negligentes, provocados pelo mau uso do fogo para eliminação de sobrantes agrícolas. Com este projeto a ENB, entidade responsável pela formação dos bombeiros e agentes da proteção civil, pretende promover a adoção de boas práticas que conduzam à diminuição do número de ignições, ensinando os agricultores e a população rural a efetuarem queimas, fogueiras e borralheiras seguras e sem risco de provocar incêndios com danos para as pessoas, bens e floresta.



Outro dos objetivos contemplados é o incentivo à aproximação e articulação entre as populações, os corpos de bombeiros e as diversas entidades locais - Câmaras Municipais, Juntas de Freguesia, organizações de agricultores e proprietários florestais, entre outras – despertando a consciência dos participantes de que, em conjunto, podem ser uma parte importante da solução para o problema dos incêndios florestais.



O projeto-piloto é composto por 20 ações de sensibilização a realizar de maio a novembro de 2012, salvaguardando o período crítico dos incêndios florestais e os dias nos quais é interdito o uso do fogo no espaço rural/florestal. Os conteúdos transmitidos em cada sessão de formação serão adaptados às causas e motivações dos incêndios que caracterizam as várias localidades abrangidas e adequados ao público-alvo, privilegiando a transmissão oral de conhecimentos e a execução prática de exemplos.



A primeira sessão de sensibilização decorreu no passado fim-de-semana na aldeia do Carvalho, no concelho de Vila Nova de Poiares, contando com forte adesão e entusiasmo dos participantes. Para além de Vila Nova de Poiares, também as populações residentes em espaços agroflorestais ou interfaces urbano-florestais dos municípios de Góis, Lousã, Torres Vedras, Mafra, Alenquer, Valongo, Gondomar e Paredes terão a oportunidade de participar nas ações de sensibilização. No final será feita uma avaliação dos resultados deste projeto-piloto para uma disseminação futura em diversas áreas territoriais.



Com o programa “Floresta Segura”, a ENB assume um papel ativo na prevenção dos incêndios florestais e na proteção das populações contando com o patrocínio do grupo Portucel Soporcel e o apoio fundamental das Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia locais, assim como da Autoridade Nacional Florestal, da Autoridade Nacional de Proteção Civil e da Guarda Nacional Republicana.


por ENB

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 19:24

Segunda-feira, 13.02.12

Faro Quer Escola de Bombeiros

Faro está a estudar a hipótese de implementar no concelho um pólo de formação da Escola Nacional de Bombeiros. A proposta da Federação dos Bombeiros do Algarve surge na mesma altura em que a Câmara de Faro aprovou a passagem dos 50 bombeiros municipais à categoria de sapadores, o que pode colocar a capital de distrito numa posição central a nível de socorro no Algarve.

"Foi-nos pedida a cedência de um terreno e os nossos serviços estão a analisar as várias possibilidades no concelho", confirmou o presidente da Câmara de Faro, Macário Correia. Ao que o CM apurou, esse terreno deverá situar-se junto ao Mercado Abastecedor de Faro (MARF), onde poderá vir a ser instalada, no futuro, a Força de 1ª Intervenção, que estava prevista para o futuro quartel de Quarteira.

Uma localização mais central, com rápido acesso à Via do Infante, poderá determinar a mudança para essa nova infra-estrutura a criar junto ao MARF, que viria a albergar a referida força, numa fusão de bombeiros de Faro, Olhão e Loulé, uma espécie de bombeiros metropolitanos regionais. Esta possibilidade, sabe o CM, já está a ser analisada pela Comunidade Intermunicipal do Algarve - AMAL.

Quanto à mudança para sapadores nos bombeiros de Faro, a proposta, aprovada na última reunião da autarquia, vai agora para discussão pública e será depois apreciada e votada pela Assembleia Municipal. "Trata-se de uma decisão que cumpre o regulamento vigente, que não estava a ser implementado", explicou ao CM Macário Correia. "O quartel, as viaturas, os bombeiros e até as fardas vão continuar a ser os mesmos e os sapadores vão, igualmente, continuar a integrar a Força Operacional Conjunta (FOCON) que agrupa os bombeiros voluntários", assegura o autarca e responsável pelo socorro e Protecção Civil da capital de distrito.
 
 
fonte: CM

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 12:49

Quarta-feira, 04.01.12

IRS 2011: Seja solidário com os Bombeiros Voluntários



Divulgação ENB

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 23:36

Domingo, 11.12.11

Livro “aprende tudo sobre os bombeiros”

Uma prenda económica e educativa.

Ao longo das décadas, as crianças sempre olharam com paixão e encantamento para esta que, mais do que uma profissão, é uma forma de estar na vida, feita de ajudar o próximo, de dar a mão a quem mais precisa.
São estes valores de coragem, altruismo e amor pelo próximo que importa valorizar e divulgar, junto daqueles que representam, hoje, o nosso futuro.

O livro “aprende tudo sobre os bombeiros” pretende transmitir às crianças, de forma simples e concisa, o que é ser bombeiro, permitindo-lhes conhecer um pouco mais deste mundo que também é de aventura!

Mais informações: http://www.cadernosdeviagens.com/app/webroot/img/livro_bombeiros_APRESENTA.pdf

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 18:37

Domingo, 11.12.11

Livro “aprende tudo sobre os bombeiros”

Uma prenda económica e educativa.

Ao longo das décadas, as crianças sempre olharam com paixão e encantamento para esta que, mais do que uma profissão, é uma forma de estar na vida, feita de ajudar o próximo, de dar a mão a quem mais precisa.
São estes valores de coragem, altruismo e amor pelo próximo que importa valorizar e divulgar, junto daqueles que representam, hoje, o nosso futuro.

O livro “aprende tudo sobre os bombeiros” pretende transmitir às crianças, de forma simples e concisa, o que é ser bombeiro, permitindo-lhes conhecer um pouco mais deste mundo que também é de aventura!

Mais informações: http://www.cadernosdeviagens.com/app/webroot/img/livro_bombeiros_APRESENTA.pdf

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 18:37

Quinta-feira, 17.11.11

Voluntáriamente Feliz

A sessão pública de lançamento do livro será será no dia 18-12-2011 pelas 16h00m na Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Azambuja.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 01:08


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31




Tags

mais tags