Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Terça-feira, 14.02.12

(Em actualização) GOE prepara entrada em casa de homem barricado em Beja

Suspeito de triplo homicídio em Beja também terá matado animais domésticos

O homem suspeito de ter matado a mulher, filha e neta, em Beja, terá cometido os crimes há uma semana, disse hoje fonte policial, revelando que o suspeito também matou os animais que tinha em casa.

Os crimes terão sido cometidos “na terça-feira à noite” da semana passada, afirmou a fonte, relatando que o alegado autor do triplo homicídio também “matou todos os animais” domésticos que tinha em casa, nomeadamente “um gato”. O suspeito está detido nos calabouços da PSP local e é hoje presente ao tribunal da cidade para primeiro interrogatório judicial, disse a fonte. 

O Ministério Público ainda não pediu a realização das autópsias médico-legais aos corpos das vítimas do triplo homicídio e que foram transportados hoje de madrugada para os serviços de Medicina Legal da cidade. Fonte do Instituto Nacional de Medicina Legal adiantou hoje que “ainda não há ordem do Ministério Público” de Beja para a realização das autópsias no Gabinete Médico-Legal da cidade.

Foi um cenário de terror aquele que elementos da PSP observaram ontem pelas 19h45 no primeiro andar de uma residência perto do centro de Beja. O indivíduo, de 56 anos, ex-bancário, terá assassinado, presume-se que à catanada, três membros da sua família: a mulher com 50 anos, a filha de 30 e a neta de cinco anos. 

O primeiro sinal de que algo de anormal se passava foi transmitido pelo namorado da filha do ex-bancário à PSP em Lisboa. Havia vários dias que tentava contactá-la via telefone, mas não conseguia obter qualquer resposta, achando estranho tão prolongado silêncio.

Como acontece nestas circustâncias, explicou o superintendente da PSP de Beja, Viola da Silva, elementos desta força policial deslocaram-se à residência indicada. E quando se aproximaram do local, pelas 17h de ontem, "os agentes ouviram um suposto tiro" e rapidamente foi dada ordem para cercar a residência. 

Elementos do Grupo de Operações Especiais (GOE) deslocaram-se de imediato para o local, prevendo-se a possibilidade de ter "de actuar pela força". Pensava-se na altura que o indivíduo mantivesse os membros da família sob sequestro. 

Durante cerca de três horas os elementos da força de intervenção mantiveram-se na expectativa. Não se ouviu qualquer ruído depois do "suposto" disparo de uma arma de fogo. "Até chegámos a pensar que o indivíduo se tivesse suicidado", diz a PSP. 

A força de intervenção apontou projectores para as janelas da casa e foi então que se ouviu ruído e as autoridades pediram ao indivíduo para se entregar. Este abriu a porta, cerca das 20h de ontem, os agentes da polícia detiveram-no, com o alegado homicida a revelar alguma resistência, enquanto elementos do INEM entravam no interior das instalações. 

A descrição feita por quem se deparou com aquele trágico quadro é de consternação pelas imagens "horríveis" que foram observadas. 

Testemunhos da vizinhança garantem que o ex-bancário "não era visto em público há quatro dias", refere Viola da Silva, também ele constrangido com o que acabara de acontecer. 

O alegado homicida tem antecedentes criminais. Esteve preso por burla. Durante o tempo que esteve detido, tirou o curso de Direito, mas não exercia a profissão. Até ao fecho da edição, não eram conhecidas as razões do dramático acontecimento que deixou a população de Beja aturdida.

Fonte: Público

Corpos das vítimas do triplo homicídio autopsiados hoje à tarde - Instituto de Medicina Legal

As autópsias aos corpos das vítimas do triplo homicídio ocorrido em Beja vão ser realizadas durante a tarde de hoje no Gabinete Médico-Legal da cidade, revelou à Agência Lusa fonte do Instituto Nacional de Medicina Legal (INML).

"As autópsias médico-legais vão ser realizadas hoje, durante a tarde. Já recebemos ordem do Ministério Público para as fazer", afirmou a fonte contactada pela Lusa.

Os corpos das vítimas do triplo homicídio foram transportados hoje de madrugada para o Gabinete Médico-Legal de Beja.

Fonte: Expresso




Homem mata mulher, filha e neta em Beja

Foi um cenário de terror aquele que elementos da PSP observaram ao final da tarde, no primeiro andar de uma residência perto do centro de Beja. O indivíduo, de 56 anos, ex-bancário, terá assassinado, presume-se que à catanada, a mulher, com 50 anos de idade, a filha, de 30, e a neta, de cinco anos.

Uma equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) concluiu que a morte das três vítimas “poderá ter ocorrido em dias anteriores”, explicou ao PÚBLICO o superintendente da PSP de Beja, Viola da Silva.

O primeiro sinal de que algo anormal se passava foi transmitido pelo namorado da filha do ex-bancário à PSP em Lisboa. Havia vários dias que tentava contactá-la sem sucesso por telefone, achando estranho tão prolongado silêncio.

Como acontece nestas circustâncias, explicou Viola da Silva, elementos da PSP de Beja deslocaram-se à residência indicada. Quando se aproximaram do local, pelas 17h00 desta segunda-feira, “os agentes ouviram um suposto tiro” e rapidamente foi dada ordem para cercar a residência.

Elementos do Grupo de Operações Especiais (GOE) deslocaram-se de imediato para o local, prevendo-se a possibilidade de ter “de actuar pela força”. Pensava-se na altura que o indivíduo mantivesse os membros da família sob sequestro.

Durante cerca de três horas, os elementos da força de intervenção mantiveram-se na expectativa. Não se ouviu qualquer ruído depois do “suposto” disparo de uma arma de fogo. “Até chegámos a pensar que o indivíduo se tivesse suicidado”, disse a PSP.

A força de intervenção apontou projectores para as janelas da casa e foi então que se ouviu ruído e as autoridades pediram ao homem para se entregar. Quando este abriu a porta, cerca das 20h, os agentes da polícia detiveram-no, com o alegado homicida a revelar alguma resistência, enquanto elementos do INEM entravam no interior das instalações.

Quem entrou na habitação fala de imagens “horríveis”. Testemunhos da vizinhança garantem que o ex-bancário “não era visto em público há quatro dias”, referiu Viola da Silva.

O alegado homicida tem antecedentes criminais. Esteve preso por burla. Durante o tempo que esteve detido, tirou o curso de Direito, mas não exercia a profissão. Até à hora de publicação deste artigo, não eram conhecidas as razões para o sucedido.

Fonte: Público


Degolou mulher, filha e neta

Um bancário de 56 anos barricou-se em casa, em Beja, e assassinou com uma catana a mulher, a filha e a neta. Entregou-se à PSP perto das 20.00

A mulher, com cerca de 50 anos, a filha, com 30, e a neta de cinco anos, foram degoladas com uma catana. Este foi o cenário horrível que os agentes da PSP de Beja foram encontrar pelas 19.45, quando o alegado homicida decidiu entregar-se às autoridades. O bancário, residente na rua de Moçambique, em Beja, estava barricado em casa desde o meio da tarde, mantendo como prisioneiras a mulher, a filha e a neta. Segundo fonte policial avançou ao DN a PSP cercou a casa e chegou a ouvir tiros disparados do interior da residência pelas 17.00. Foi dada ordem ao Grupo de Operações Especiais (GOE) para ir ao local, o que aconteceu, mas o GOE não precisou de intervir porque o alegado homicida se entregou à PSP, tendo sido levado para a esquadra perto das 20.00.

Fonte: DN



Beja: Três pessoas mortas descobertas na casa onde se ouviram tiros durante a tarde

Três pessoas foram encontradas mortas na casa onde hoje à tarde se ouviram tiros, em Beja, disseram à agência Lusa fontes da PSP e da PJ. 

As vítimas mortais eram familiares de um homem de 56 anos que acabou por se render às autoridades ainda na residência e que foi entretanto detido. 

As vítimas são a mulher, de cerca de 50 anos, a filha de cerca de 20 e a neta de 4 ou 5 anos, adiantou o comandante da PSP de Beja, Viela da Silva, acrescentando que teriam sido mortas dias antes. 

O responsável disse que a PSP de Beja recebeu uma participação a propósito de uma família que estaria desaparecida há dias e que ouviu um tiro quando efetuava as diligências de busca dos desaparecidos. 

Nesta altura, a PSP deslocou-se ao local e conseguiu fazer com que um homem saísse de casa, onde foi detido, estando já nos calabouços da PSP de Beja. 

A PJ de Faro, que está já a investigar o caso já enviou uma brigada para o local.

Fonte: Diário Online

Beja: ex-bancário mata mulher, filha e neta dentro de casa

Um homem que estava barricado numa casa na rua de Moçambique, em Beja, entregou-se às autoridades que descobriram no interior da habitação os cadáveres da mulher, filha e neta.

Durante a tarde ouviram-se tiros na casa do ex-bancário, o que fez acorrer para o local a polícia e Grupo de Operações Especiais da polícia.

Pouco depois da situação ter sido noticiada pela televisão, os policiais conseguiram entrar na casa, onde o homem, em tronco nu, se entregou. No interior da habitação encontrariam os três cadáveres.

De acordo com fontes no local, o homem disse à polícia que já estariam mortas há algum tempo.

O homem, ex-bancário, esteve preso há alguns anos por fraude bancária e sofria de uma doença cancerígena grave que lhe terá agravado a sua condição mental.

Os vizinhos dizem que nunca houve situações de violência doméstica, mas referem que se tratava de uma pessoa estranha e que passava muito tempo sem ser visto na rua.

No local estão várias viaturas da PSP de Beja, uma ambulância do INEM e Bombeiros locais.

Fonte: SOL

O Grupo de Operações Especiais (GOE) da PSP deverá entrar esta noite numa casa no centro de Beja onde um homem barricado terá feito alguns disparos de arma. Neste momento não é claro se o homem com cerca de 60 anos está sozinho ou acompanhado pela mulher e pela filha.


A polícia está a cercar a habitação, junto à Casa do Estudante de Beja, dentro da qual foram ouvidos tiros, o que leva as autoridades a temer pelas familiares do barricado.


Fonte: CM


Indivíduo barricado em Beja recebe polícia aos tiros

(Em actualização) - Um indivíduo de 56 anos, barricado dentro de casa, em Beja, supostamente acompanhado por familiares, atirou sobre agentes da PSP que ali se encontram, após terem sido alertados para o caso.

Neste momento, forças policiais e do INEM estão colocadas em frente à casa onde o homem se encontra barricado. Após os tiros disparados contra a polícia, ouviram-se tiros no interior da casa, situada na Rua de Moçambique, em Beja.

De momento, desconhece-se o que terá levado o homem àquele acto.

De acordo com as autoridades, os agentes da autoridade foram alertados para a situação pelo namorado da filha do indivíduo barricado. Aos polícias, o jovem terá dito que desconhecia o paradeiro quer da namorada, quer da mãe dela, quer de uma neta. Assim, supõe-se que o homem esteja barricado em casa juntamente com familiares.

Segundo revelou, a namorada, de 30 anos, é deficiente motora e já havia tentado o suicídio por duas vezes. A mãe - mulher do indivíduo barricado - já não é vista pelos vizinhos desde quarta-feira e a neta, de 5 anos, já não vai à escola desde a passada quinta-feira.

A casa onde decorrem os acontecimentos está situada no bairro da Força Aérea, em frente à Casa do Estudante, Tribunal Administrativo e Fiscal de Beja e Serviços Técnicos Municipais da Câmara Municipal de Beja.

No local, permanecem as brigadas Anti-Crime e de Intervenção Rápida da PSP, que aguardam a chegada das forças de Operações Especiais. A rua está cortada ao trânsito e a polícia impede a aproximação de populares ao local.

Fonte: JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 15:51


Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
26272829




Tags

mais tags