Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

diariobombeiro



Quarta-feira, 20.07.11

Pedido de Esclarecimentos - Concursos Autoridade Nacional de Protecção Civil - Carta Aberta ao Ministro da Administração Interna

Exmo. Sr. Ministro da Administração Interna
Dr. Miguel Macedo

Venho por este meio solicitar-lhe uns minutos do seu tempo para lhe alertar para uma situação, espero que seja realmente um alerta e não apenas um confirmar que toda esta situação é do vosso conhecimento e que acontece com a sua permissão.

Tendo em conta a importância que a Protecção Civil tem no nosso país, tendo sido dado por vossa excelência essa indicação quando escolheu como primeiro órgão de visita aquando da tomada de posse as instalações da Autoridade Nacional de Protecção Civil deixa-me curioso que na mesma se passe o seguinte.

Segundo a Lei de Bases da Protecção Civil, aprovada em 3 de Julho de 2006 através do seu 1º. Artigo indica-nos que A protecção civil é a actividade desenvolvida pelo Estado, Regiões Autónomas e autarquias locais, pelos cidadãos e por todas as entidades públicas e privadas com a finalidade de prevenir riscos colectivos inerentes a situações de acidente grave ou catástrofe, de atenuar os seus efeitos e proteger e socorrer as pessoas e bens em perigo quando aquelas situações ocorram.

Assim e face a esta responsabilidade da Protecção Civil entende-se que as pessoas que a constituem tenham capacidades multidisciplinares nas várias áreas que a chamam ao cumprimento do seu dever.

Neste âmbito foram criados no nosso país cursos que visam formar Técnicos Superiores de Protecção Civil, técnicos estes que são sujeitos a uma formação superior que os dota de capacidades para desenvolver um trabalho na área que seja proveitoso e acima de tudo com sucesso, técnicos estes que são instruídos em áreas de Direito, Física, Química, Matemática, Ciências Sociais, Comunicação, Psicologia, SIG, Recursos Humanos, Topografia e Cartografia, Ciência do Fogo, Sismologia entre outros.

Serão estes técnicos incapazes e irrelevantes para a área? Técnicos que volto a frisar estão dotados de capacidades em várias áreas que são necessárias a cada dia no âmbito das funções da Protecção Civil.
Como cidadão considero que sim, sim é necessário que um responsável em Protecção Civil tenha a capacidade de nas suas funções quando sujeito a uma tomada de decisão em cenários diversos possua a consciência da acção que toma.

Assim pergunto a sua excelência o motivo para que na abertura dos sucessivos concursos de Técnico Superior de Protecção Civil os requisitos de admissão sejam licenciaturas no âmbito de Direito, Arquitectura, Sociologia e mais grave ainda, a meu ver, Educação Física, serão estas as áreas necessárias para a Protecção Civil? Que qualificação tem um Técnico Superior de Protecção Civil formado em Direito ou até Educação Física numa situação de incêndio, sismo, acidentes quer sejam estes tecnológicos, rodoviários entre outros, numa situação de catástrofe iminente para o país questiono eu? Será a sua capacidade para análise das leis ou leccionar aulas de Educação Física que determinará o sucesso numa catástrofe?

Esta dúvida nasce num cidadão, com 21 anos que foi atrás da qualificação superior que tanto os políticos deste país defendem para o seu crescimento numa situação de crise, na necessidade deste país ter gente qualificada no cumprimento do seu dever. Cidadão este que com estes 21 anos tem de trabalhar para ajudar os pais a pagar uma licenciatura que viu ser uma excelente oportunidade numa área que segundo muitos escasseia de técnicos qualificados para desempenhar as funções que a Protecção Civil esta sujeita.

Estarei eu e os meus colegas a hipotecar o futuro e um investimento que vai cair no lixo? Será este o rating para as licenciaturas em Protecção Civil?

Nos últimos dias surgiram vagas para Técnicos Superiores de Protecção Civil através do ministério que tutela, ministério este que decidiu colocar como requisitos licenciaturas de diversas áreas mas que não contempla, mais uma vez, a área da Protecção Civil, será que a Protecção Civil necessita de tudo menos de homens e mulheres qualificados em Protecção Civil? Será que na presença de uma doença vossa excelência se vai dirigir a um vendedor de automóveis ou a um médico?

Estando esperançado que este contacto lhe faça surgir alguma preocupação e que seja o início de uma mudança, pelo menos para que no futuro alguém se lembre que os homens e mulheres qualificados em Protecção Civil estão à espera da oportunidade para mostrarem o seu valor, que estes homens e mulheres estão dotados de capacidades que tornarão a Protecção Civil uma instituição ainda mais capaz nas suas acções diárias.


Aqui estamos, à espera de uma oportunidade para mostrar que somos uma mais-valia.

Sem outro assunto de momento,

André da Rocha Alves

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 03:22



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2011

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31




Tags

mais tags