Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Domingo, 01.01.12

O QREN e os Bombeiros


Na primeira semana de Janeiro, comemoram mais um aniversário os dois corpos de bombeiros de Vila Real, bem como as suas associações humanitárias.
Portugal é o único país da OCDE, onde os corpos de bombeiros, estruturas centrais da defesa civil do território, se não estruturam na dependência hierárquica da administração directa do Estado ou da administração autárquica. As poucas dezenas de organizações que dependem dos municípios, não anulam o panorama nacional das mais de 400 associações humanitárias, nascidas da sociedade civil.
Nos últimos anos foi percorrida uma alteração profunda da estrutura legislativa da protecção civil. Nessa reforma foi incluído o universo dos bombeiros, com a criação de uma trilogia de ferramentas normativas que incluem o regime jurídico dos bombeiros, o regime dos corpos de bombeiros e, primeira vez nos sete séculos de história dos movimentos humanitários, o regime das associações humanitárias.
Para além das alterações legislativas, a protecção civil passou a ter um pacote financeiro de mais de 300 milhões de euros, que se destinava a financiar formação, meios e quartéis operacionais. Este pacote, construído pelas nossas mãos em 2006, 2007 e 2008, foi muitas vezes atacado e cobiçado, mas manteve-se intacto nos propósitos.
Nos últimos cinco anos, o distrito de Vila Real viu aparecerem novos quartéis e ainda a requalificação de outros. Em quase todos os concelhos há/houve empreitada. E o investimento global é muito significativo. Diríamos mesmo que é o maior de sempre neste sector.
No concelho de Vila Real estão a realizar-se duas obras importantes. Está praticamente concluída a ampliação do Quartel dos Bombeiros da Cruz Verde e o dos Bombeiros da Cruz Branca avança a todo o ritmo.
O ano de 2012 será, portanto, um ano de novas casas para que os que nos guardam os bens, possam desenvolver o seu trabalho com mais qualidade.
O contributo do município e das associações humanitárias é/foi muito relevante. Mas, o elevado estímulo que o QREN deu, foi essencial. A não existir, esperaríamos mais umas décadas pela chegada das obras almejadas.
Quando no início de 2005 tivemos que encontrar o financiamento para a construção dos quartéis de Salto e de Cerva e para se pagarem as pequenas intervenções em mais quatro quartéis, estávamos longe de pensar que o sector dos Bombeiros iria ter uma pequena revolução nos meios disponíveis. Mas ao olharmos para a nossa terra e sentirmos que também ela foi contemplada pelos fundos da União Europeia, ficamos com a sensação do dever cumprido. Na política o que cada um faz é uma conquista de todos. E a conquista do QREN para os Bombeiros Portugueses foi, é, uma conquista dos milhares de homens e de mulheres que esquecem o seu bem-estar para o darem aos que precisam.
Fonte: Correio Registado

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 22:28


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2012

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031




Tags

mais tags