Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Segunda-feira, 19.03.12

A Nova Escola dos Bombeiros do Minho


Será inaugurada na próxima quarta feira, dia 21 de março, a nova Unidade Local de Formação de Bombeiros (ULFB), que acolherá todas as corporações de bombeiros dos distritos de Braga e de Viana do Castelo. Está situada em Godinhaços, no concelho de Vila Verde. Esta “escola de formação única” no norte do país possui já protocolos estabelecidos com a Escola Nacional de Bombeiros e poderá receber exames teóricos e práticos para os aspirantes a bombeiros. 


De acordo com o Comandante dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde, José Lomba, esta escola de formação permite um “treino amplo, em diversas modalidades, dos bombeiros que fizerem uso das instalações”, uma vez que dispõe de equipamentos que permitem formação relativa a incêndios ou sinistros urbanos, industriais e florestais. “Os vários hectares de terrenos baldios que existem nas imediações do centro de formação permitem criar cenários muito próximos da realidade”, avançou o responsável pela corporação vilaverdense, acrescentando que “no interior dos contentores, onde serão treinadas as situações urbanas e industriais, é possível alterar-se cenários, para que os formandos não decorem os percursos”. 


O equipamento foi pensado ao pormenor e, às custas de paredes metálicas deslizantes, cria constantemente diferentes barreiras aos bombeiros em formação. 


As aulas, essas, poderão ser dadas por formadores das mais variadas corporações. Vila Verde, por exemplo, tem “bons formadores na área florestal”. 


Também a localização da Escola de Formação é a ideal, uma vez que “fica situada entre na ligação dos dois distritos afetados e nas fronteiras dos concelhos de Ponte de Lima, Arcos, Ponte da Barca e Vila Verde”. 


A unidade – instalada numa área de terreno contígua ao campo de futebol de Godinhaços – estará preparada para dar “formação altamente qualificada”. 


Promotor do projeto desde a sua génese e elemento fundamental no desenvolvimento futuro da Escola, Luís Morais – adjunto de comando dos bombeiros vilaverdenses – assegura que esta “é uma das melhores escolas de bombeiros do país” e uma “ferramenta essencial para o desenvolvimento das capacidades dos homens que têm de prestar socorro em diferentes situações de defesa da vida das pessoas e do seu património”. 


“Só se aprende a fazer, fazendo” 


A necessidade de levar uma maior formação à generalidade das corporações dos bombeiros dos distritos de Braga e Viana do Castelo levou à criação desta Unidade situada em Gondinhaços. As ferramentas e os teatros de operações são cada vez mais peculiares e o bombeiro é obrigado, quase sempre a fazer uso da astúcia para resolver situações mais delicadas. Agora, a ideia é diminuir os imprevistos e eliminar tempos de resposta. “Cada vez mais, há necessidade de uma maior preparação dos bombeiros”, começa por defender o Comandante dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde. 


“Por exemplo, hoje em dia, as viaturas vêm apetrechadas com material moderno que ninguém é obrigado a saber utilizar. Também nesta matéria poderá ser importante a nova Escola de Formação”, entende o responsável, lembrando que “só com a constante aprendizagem se pode ter o bombeiro permanentemente preparado”. Além disso, lembra, “treinar naquele tipo de cenários prepara-os para uma coisa: o primeiro momento num teatro de operações real”. “O primeiro momento é muito importante, porque pode salvar vidas. Ter muito discernimento, ser factual e deixar a emotividade de lado é, por isso, fundamental. E este treino pode ajudá-los nessa vertente”, acredita José Lomba. 


Para este comandante, “só se aprende a fazer, fazendo”. “Temos que treinar cada vez mais, para que os nossos homens não vão para os acontecimentos reais às escuras”, defende. 


O objetivo, conta José Lomba, é “criar equipas de intervenção rápidas”. “Gostava também de ouvir, cada vez menos, a sirene dos bombeiros, porque os nossos vizinhos também têm direito ao seu descanso, de forma tranquila. Para isso, preciso do máximo de bombeiros formado ao melhor nível, para que cada um deles possa acorrer a qualquer situação, sem ter que soar o alarme. Que a mesma equipa que trabalha na parte urbana, também consiga acudir a um incêndio florestal”, acrescentou o comandante da corporação vilaverdense. 


Assim, acredita, também se conseguirá “valorizar o bombeiro, em si”. 


“Ferramenta essencial e uma das melhores escolas do país” 


Espaço multifacetado, esta nova escola de formação de bombeiros, localizada na freguesia de Gondinhaços, é considerada pelos bombeiros vilaverdenses como uma “ferramenta essencial” para o desenvolvimento das suas capacidades. 


Luís Morais, adjunto de comando dos bombeiros vilaverdenses, Luís Morais, salienta que estes “treinos também servirão para mudar comportamentos e mentalidades”. 


Neste espaço poderá ser treinado o combate a incêndios urbanos e industriais, em espaços confinados – com simulação de busca e salvamento em espaços estreitos e de difícil acesso –, combate a incêndios com materiais perigosos e fogos florestais, salvamento em grande ângulo, entre outras situações. 


 
Esta escola dispõe também de espaço para briefings e duas salas para formações teóricas, com capacidade para perto de 40 formandos, balneários, bar e campo de jogos, que permitirá preparar a componente física dos formandos, aspeto “muito importante, nos dias que correm”. 


Com “contentores de top”, esta Unidade de Formação é considerada, em termos de ocorrências urbanas e industriais, “uma das melhores escolas” do país. 


Bombeiros de Vila Verde abrem quartel… e realizam rastreios gratuitos ao domingo 


Os Bombeiros Voluntários de Vila Verde assinalaram o Dia da Proteção Civil, abrindo o quartel à população, para visitas guiadas e explicações sobre as condições e os meios de trabalho da corporação. O objetivo desta iniciativa passava por sensibilizar e informar a comunidade vilaverdense para o trabalho dos bombeiros, conforme salientou o comandante, José Alberto Lomba. 


“Esta primeira ação foi de encontro às minhas palavras na tomada de posse. Entendo que os bombeiros devem estar abertos à sociedade. Queremos dizer às pessoas, onde estamos, o que fazemos e com que meios. Contamos com a comunidade para o fortalecimento de uma atitude de entreajuda e partilha, dando-lhes também algo em troca”, comentou o comandante da corporação, precisando pouco depois. 


Nesse sentido, os bombeiros irão realizar, ao longo do ano, uma série de rastreios, especialmente direcionados à população mais idosa e carenciada do concelho. “A maioria dos idosos do nosso concelho tem reformas baixas e tem que suportar elevados custos no acesso aos cuidados de saúde. Assim, ofereceremos estas consultas de rastreio de diabetes e tensão arterial”, prometeu José Lomba, garantindo que os mesmos serão feitos por “jovens licenciados nessa área funcional, entre médicos e enfermeiras”. 


Os primeiros rastreios realizaram-se, junto às igrejas matrizes de Vila Verde e da Vila de Prado, antes e depois da missa dominicais. De acordo com fonte da corporação vilaverdense, as iniciativas “têm contado com uma forte adesão por parte da população”. 


Fonte: Terras do Homem

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 18:07


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2012

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031




Tags

mais tags