Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Sábado, 16.10.10

Criação de uma Cultura de Prevenção na Infância


A importância do papel das crianças como vectores de criação de uma sociedade preparada para os desastres tem sido ao longos da minha formação uma das áreas pela qual me tenho interessado e elaborado alguns projectos.
Assim, deixo-vos um artigo elaborado por mim sobre a importância das crianças na criação de uma sociedade preparada e consciente dos riscos.
"O conceito de desastre não é um conceito estanque, sendo inicialmente entendido como actos divinos e de castigo para os Humanos. Nos dias de hoje esse conceito tomou outra posição e é possível explicar os desastres à luz da ciência e entendê-los como fenómenos da natureza ou de intervenção humana.
Porém, este conceito tem sofrido uma evolução ao longo dos anos. Com a primeira guerra mundial, foi possível conhecer algumas fragilidades mundiais quanto à assistência humanitária e resposta a situações urgentes.
Em muitos países, os desastres são associados ao desenvolvimento.
As mudanças no entendimento dos desastres dão lugar a necessidade de definição de conceitos.
Por conseguinte é possível considerar que um desastre é definido como “uma crise gerada em processo de desenvolvimento, devido ao forte incremento de condições de risco e a um dano causado por um fenómeno destrutivo, crise esta que se manifesta em uma alteração ou interrupção de actividade e serviços, ao ponto extremo de pôr em risco de vida a população afectada” (Manucci, 2003)
Sendo que uma alteração brusca no normal funcionamento da sociedade, irá ter consequências a vários níveis, nomeadamente, rotura do tecido social.
A infância é um estado de desenvolvimento onde são apreendidos valores e há uma constante construção da identidade, desta forma, um desastre pode produzir transtornos significativos no desenvolvimento da criança, dependendo contudo da idade e da magnitude das perdas associadas aos desastres.
A vulnerabilidade de uma criança é aumentada significativamente quando existe instabilidade social e/ou familiar, nomeadamente em situações que se encontram muito tempo sozinhos em casa ou na rua, quando as condições de segurança da escola que frequentam são baixas entre outros factores externos.
Um passo fundamental para a protecção das crianças foi a Convenção dos Direitos da Criança (autenticada por 191 países) após ser aprovada em 1986, pois constitui um instrumento de aplicação de políticas por parte do estado e da sociedade relacionada com os direitos das crianças.
Nos últimos anos têm surgido alguns desenvolvimentos por parte das associações de ajuda humanitária, em relação a normas e princípios de conduta, assegurando assim os direitos do ser humano e especificamente de um grupo etário tão importante é a infância.(...)
De acordo com o panorama geral do mundo quanto aos desastres, é possível concluir que cada vez mais a sociedade necessita de estar informada e sensibilizada para os desastres e para as matérias de Protecção Civil, pois cabe a cada um de nós, cidadãos do mundo, tentar minimizar os efeitos de alguns desastres e prevenir outros.
É certo que as autoridades têm um papel fundamental na prevenção e mitigação dos desastres, mas deverão também certificar-se que população está de igual modo preparada para a superação dos mesmos.
Pelo que, é de elevada importância que as crianças devam ser ensinadas, de acordo com as idades e de acordo com as necessidades, sobre a problemática das situações de desastre e decorrentes deste."

Andreia Rodrigues

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 18:28


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2010

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31




Tags

mais tags