Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Quarta-feira, 13.03.13

Segurança no Combate a Incêndios Florestais - Parte I

Os acidentes com pessoal combatente, durante as operações de combate aos incêndios florestais, podem ser reduzidos ou evitados se forem cumpridas as regras de segurança

Triângulo de Segurança
A Segurança Individual dos Combatentes baseia-se na Conjugação de:
  1. Uma boa aptidão física;
  2. Vestuário e equipamento de protecção individual
    adequados;
  3. Bons conhecimentos dos riscos e cumprimento
    dos procedimentos de segurança!

A aptidão física no combate aos incêndios florestais depende dos seguintes factores:
  • Hidratação;
  • Nutrição: alimentação;
  • Boa preparação física e psíquica do pessoal;
  • Treinos físicos;
  • Fadiga;
  • Estado anímico;
  • Stress à temperatura e ao calor;
  • Aclimatação.
Mantenha-se em áreas livres de fumo, calor e de gases
tóxicos sempre que sentir sintomas de intoxicação;
A actividade de combate aos incêndios florestais é muito exigente e origina elevado desgaste físico ao bombeiro. Com o tempo diminui o rendimento e a qualidade do seu trabalho, quanto maior a duração e a complexidade do incêndio, maior é a fadiga dos bombeiros.

O combatente do fogo para manter as aptidões físicas, necessita de uma boa alimentação, as calorias gastas pelo esforço físico de combate aos Incêndios florestais têm que ser repostas logo que possível, e, as refeições dos combatentes devem ser acompanhadas por água, sumos naturais, pois as mesmas contêm glucose que é um restaurador de energia.

É importante não só proporcionar energia para o trabalho mas também evitar a desidratação, produto da exposição a altas temperaturas. Tanto as perdas de líquido como as necessidades energéticas estão relacionadas com o tempo de exposição ao incêndio e duração do trabalho.



• Nutrição:
– A perda de suor nas condições de combate aos incêndios florestais é muito alta;
– A dieta alimentar deve ser rica em líquidos;
– É muito importante a provisão de líquidos que deve estar disponível em quantidades adequadas;
– Perante o desgaste no combate aos incêndios é
fundamental ter atenção à hidratação, que deve ser
constante.


• Nutrição - Hidratação:
– Os combatentes poderão vir a evaporar cerca de 1 litro de suor ou transpiração durante cada hora de trabalho;
– A hidratação melhora quando são ingeridos líquidos ou alimentos que contêm sódio e potássio.

Alguns sintomas de desidratação são:
– Cansaço mental e corporal (fadiga);
– Sensação de aumento de temperatura corporal;
– Vertigens e tonturas;
– Cefaleias;
– Náuseas ou vómitos;
– Alterações visuais e auditivas (aturdimento/
atordoamento);

Para evitar a desidratação deve:
– Evitar ingerir bebidas alcoólicas;
– Limitar o consumo de café e bebidas com cafeína (“colas”) porque aumenta a perda de líquidos via urina; 

Manter-se hidratado é fundamental - ingerir água e bebidas isotónicas.

Hidratação antes do combate:
• Ingerir líquidos extra e preparar-se para o calor:
– Beber um ou dois copos de água, sumo ou bebidas desportivas antes do trabalho de combate;
– Evitar o excesso de café ou cafeína.

Hidratação durante o combate:
– Tomar ou beber líquidos em quantidade adequada de 15 em 15 minutos;
– Durante o descanso e as refeições, beber tanto líquido quanto seja possível.

Hidratação após o combate:
– Continuar a beber água ou sumo, para repor o líquido perdido e voltar a hidratar-se;
– A sede subestima a quantidade de líquido de que necessita, pelo que, é necessário beber mais do que pensa que é necessário. 
Importância do descanso (pausas):

Na abertura de faixas de contenção, assim como noutro tipo de actividades de combate ao incêndio florestal, devem existir pausas programadas;


– As pausas devem ser dinâmicas para minorar o efeito da fadiga;
– Devem ser programadas em função da actividade;
– Outra vantagem é que o descanso dá tempo para recuperar líquidos, o que é muito necessário em incêndios florestais, especialmente quando se prevê que o incêndio se pode prolongar no tempo.



E é neste ultimo capitulo desta Parte I, que cada vez mais, nós, Bombeiros Portugueses, devemos Sensibilizar os Cidadãos para acabar com a critica e sátira a todos os Combatentes de Incêndios Florestais.

Sabemos que é muito mais fácil criticar do que proceder ou ajudar, e, a população tem de compreender que todos estes factores, e outros que poderão ler nas próximas publicações, são factores que metem em risco a Integridade Física dos Combatentes, bem como toda a Operação de Combate aos Incêndios Florestais.

Por isso é que TODOS os Cidadãos quando virem Bombeiros ou outros Combatentes a descansar, não critiquem, não difamem, nem tão pouco injuriem!...
Procurem sim, junto deles, se necessitam de algo para ajudar a recuperar a Fadiga e Condição Física necessária para continuar o combate.


Acompanha este Artigo!...
Para breve será disponibilizada mais matéria relativa a esta Temática muito Importante no Combate a Incêndios Florestais.


* Este Artigo, tem como base de pesquisa, documentação disponibilizada pela ENB

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 20:00


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31




Tags

mais tags