Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Sexta-feira, 10.02.12

Bombeiros de luto pela morte de colega na Golegã

O quartel dos Bombeiros Voluntários da Golegã está de luto pela morte de um jovem estagiário de 19 anos, na sequência do despiste brutal ocorrido na Estrada Nacional 243, entre a Golegã e os Riachos, na noite desta quinta-feira. Nelson Maia Ramos faleceu ao embater com enorme violência numa oliveira que foi arrancada do chão com o impacto do carro.


A vítima, que entrou para a corporação em 2006, com apenas 14 anos, tem três irmãs, de 17, 18 e 23 anos, todas elas voluntárias na Golegã. “E o avô também pertence ao nosso quadro de honra”, diz  o chefe Luís Pratas, acrescentando que “entre o pessoal, a moral está muito em baixo. Foi uma vida que se perdeu sem sentido nenhum”. Os companheiros vão marcar presença no funeral com a farda de gala.

As causas do acidente estão a ser investigadas pela GNR, mas o rasto de destroços deixado pelo carro e a travagem no alcatrão indiciam que o jovem seguia em excesso de velocidade. Parte do habitáculo do carro ficou esmagado no tronco da árvore, e a vítima, já sem vida, teve que ser desencarcerada. 

Segundo o CM apurou, Nelson estava com um grupo de amigos na Golegã, onde residia, quando decidiram ir a Torres Novas, pouco antes das 23 horas. Os amigos saíram primeiro, em dois carros, e o jovem bombeiro ficou um pouco mais para trás. Ao chegar aos Riachos, estranhando o atraso de Nelson, um dos carros voltou para trás e deparou-se com o acidente.

“Eu nem consegui dormir com a recordação do miúdo esmagado dentro do carro”, afirma ao CM Arnaldo Oliveira, um dos primeiros populares a tentar socorrer a vítima. “Ainda falámos com ele, mas desfaleceu e já não veio a si”, recorda o homem, que conta ter sido ultrapassado por Nelson cerca de dois quilómetros antes do local do acidente, conhecido por Cova do Minhoto. 

“Ele ia com uma velocidade louca quando passou por mim, mas tenho pena do que lhe aconteceu”, lamenta Arnaldo Oliveira.

“Sentimos uma tristeza enorme. A morte de um dos nossos custa sempre, sobretudo quando é alguém muito novo”,destaca João Marques, padrinho de baptismo de Nelson nos Bombeiros Voluntários da Golegã.

O corpo de Nelson Ramos foi a enterrar nesta sexta-feira, às 15h30, no cemitério da Golegã, depois de ter estado em câmara ardente no salão nobre do quartel.

Toda a família da vítima está a receber apoio e acompanhamento psicológico disponibilizado pela Autoridade Nacional de Protecção Civil.



Fonte: Correio da Manhã

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 20:46


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
26272829




Tags

mais tags