Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Quarta-feira, 02.05.12

Tornados ocorrem bastante em Portugal, embora a maioria não saiba

O meteorologista especializado na área de observação remota Paulo Pinto disse hoje que pequenos tornados, como o que hoje provocou danos materiais e um ferido ligeiro na Lagoa de Albufeira, Sesimbra, são relativamente frequentes em Portugal.

«Estes fenómenos ocorrem bastante mais do que aquilo que todos nós – eu, inclusive – temos a noção, uma vez que são de muito pequena escala e, em geral, são tornados de nível reduzido, ou seja, F0 ou F1, os primeiros dois níveis da Escala de Fujita Modificada», indicou Paulo Pinto.

O especialista confirmou que o que aconteceu hoje de manhã foi, tecnicamente, um tornado e sublinhou que poderá haver mais nos próximos dois dias.

«De facto, hoje de manhã, tivemos, por volta das 12h locais – 11h UTC (Coordinated Universal Time) – uma linha de instabilidade relativamente organizada na circulação de uma depressão localizada aqui no oeste da Península Ibérica, que transportava – e ainda transporta – na sua circulação ar polar marítimo modificado», explicou.

Este ar polar marítimo modificado «é caracterizado por algum conteúdo em água e alguma instabilidade», prosseguiu, adiantando: «No entanto, não foi daquelas situações em que tivéssemos grandes indícios da ocorrência deste tipo de fenómeno».

Segundo o especialista em meteorologia-radar, o que terá acontecido é que, «nos primeiros 1.500 a 3.000 metros de altitude – portanto, numa camada baixa da atmosfera -, uma certa variação do vento fez com que à corrente ascendente que normalmente alimenta e forma as massas nebulosas – as nuvens – e que normalmente não tem movimento de rotação (são correntes apenas ascendentes, verticais) se juntasse a tendência para rodar».

Quando tal acontece, «toda a corrente ascendente que alimenta a nuvem roda, adquire movimento de rotação e transforma-se no tal mesociclone, que é uma zona de circulação organizada nos níveis médios da nuvem, e, em algumas condições – e foi o caso, hoje -, esse mesociclone pode produzir vórtices de menor dimensão, de menor escala espacial e que são os tornados», descreveu.

Na opinião de Paulo Pinto, «nos próximos dois dias, em que continua a depressão a noroeste da Península, não é impossível um fenómeno deste tipo afectar uma ou outra área do território nacional».

Em todo o caso, acrescentou, «são, em geral, tornados que afectam regiões extremamente diminutas e com um pequeno trajecto de destruição, às vezes centenas de metros».

E insistiu: «Em qualquer dia em que um destes tornados ocorra, podem, sob as mesmas condições meteorológicas, ocorrer mais».

Em Portugal continental, já aconteceu: «[Há dois anos, registaram-se] dois ou três no mesmo dia - e digo dois ou três com relatos, reportados por pessoas que puderam circunstanciar o fenómeno e que depois foi analisado por técnicos do Instituto de Meteorologia».

«Não é todos os dias que ocorre um tornado. Podemos ter anos em que não ocorre nenhum e podemos ter mais vezes situações em que, em poucos dias, ocorrem vários, porque a sua ocorrência depende muito de certas condições particulares que são difíceis de prever», sustentou.

Fonte: Lusa / SOL

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 22:50


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2012

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031




Tags

mais tags