Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Quarta-feira, 31.10.12

“Devastação é muito difícil de digerir"

FOTO: Reuters
Dezenas de mortos, localidades inteiras submersas, um milhão de pessoas forçadas a abandonar as suas casas, oito milhões de casas sem electricidade e 20 mil milhões de dólares de prejuízos.

Este é o balanço - ainda provisório - da supertempestade ‘Sandy', que ontem semeou a destruição ao longo da costa leste dos EUA. "A devastação é muito difícil de imaginar", afirmou o governador de Nova Jérsia, Chris Christie.

Apesar de ter perdido a classificação de furacão mesmo antes de tocar terra, na segunda-feira à noite, a tempestade abateu-se sobre a zona costeira de Atlantic City, Nova Jérsia, com fúria devastadora, causando enormes inundações e arrastando embarcações centenas de metros terra dentro.

Em Manhattan, Nova Iorque, as inundações ultrapassaram as piores previsões, chegando a atingir um pico de 4,2 metros de altura, esmagando o anterior recorde de três metros registado em 1960.

Em cenas nunca antes vistas na cidade, a água do mar inundou túneis e estações do metro, arrastou viaturas e derrubou fachadas de edifícios. Em Breezy Point, Queens, a tempestade derrubou linhas de alta tensão, causando um gigantesco incêndio que, não obstante a chuva torrencial, destruiu mais de 80 casas.

Durante toda a noite, as equipas de socorro não pararam. Em Moonachie, Little Ferry e Carlastadt, três pequenas localidades na costa norte de Nova Jérsia, os bombeiros resgataram mais de 3 mil pessoas encurraladas nos telhados das suas casas após a subida repentina das águas.

Mais de 8 milhões de casas estavam sem electricidade ao longo de toda a costa leste, situação que poderá prolongar-se por vários dias. De igual modo, serão necessários vários dias para retomar a circulação no metro de Nova Iorque, que enfrenta o pior desastre em mais de um século de história.

RECUPERAÇÃO VAI DEMORAR
O presidente da câmara de Nova Iorque, Michael Bloomberg, apelou à paciência, afirmando que os trabalhos de limpeza "vão demorar". A prioridade é a reparação da rede eléctrica. Ao passo que o metro deverá ficar parado quatro ou cinco dias, os autocarros começaram já a circular, embora de forma limitada, e a Bolsa reabre hoje, mas as escolas e grande parte do comércio permanecem fechados.

PORTUGUESES ASSUSTADOS MAS A SALVO

A comunidade portuguesa nos EUA preparou-se, com todos os cuidados, para a chegada do furacão ‘Sandy'. "Vivo em Kearney, Newark, e aqui, como em localidades vizinhas, houve inundações e bastantes árvores arrancadas", afirmou ao CM Fernando Costa, de 52 anos, proprietário de uma oficina. "Tive receio. Dormi mal. Entre as 20h00 e as 02h00 da manhã houve ventos muito fortes e chuvas torrenciais. Estamos sem luz. Estou a tentar pôr o gerador a funcionar", acrescentou.

Carlos Costa, de 40 anos, Nova Iorque, também se preparou e garantiu ter estado tranquilo. "Creio em Jesus. Fiz as minhas orações. É Deus quem nos protege", referiu.


por Ricardo Ramos com agências
fonte: CM

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:08


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2012

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031




Tags

mais tags