Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Sábado, 19.03.11

Bombeiros de Mirandela Com Quebra de 50% nas Receitas do Transporte de Doentes

Desde Janeiro, a Associação Humanitária dos Bombeiros de Mirandela sofreu um corte de cerca de 50 por cento nas receitas de prestação de serviços de saúde, precisamente desde a entrada em vigor do despacho do secretário de Estado da Saúde alterando a forma de comparticipação de transporte aos doentes, indicando que apenas com justificação médica teria direito.

Uma situação que está a causar dificuldades financeiras à corporação que vem juntar-se à dívida do Centro Hospitalar do Nordeste que já ascende a cerca de 140 mil euros.Desde o início deste ano, um despacho do secretário de Estado da Saúde alterou a forma de comparticipação de transporte aos doentes, indicando que apenas com justificação médica será possível o serviço ser pago pelo Estado. 

Com estas novas regras, os bombeiros de Mirandela estão a ter menos serviços de saúde para realizar e dos poucos que fazem estão a ter mais dificuldade em receber porque as credenciais para justificar o transporte são recusadas e os particulares têm de se responsabilizar pelo pagamento. O problema é que o serviço é feito pelos bombeiros, mas o pagamento, muitas vezes, não é um dado adquirido.“Neste momento estamos a facturar muito mais a particulares, o que não acontecia até Janeiro porque havia as credenciais.

Agora quando somos chamados pelo hospital para fazer uma transporte ao domicílio temos de lhe dizer que tem de pagar. O utente diz que paga, mas isso pode não acontecer e há situações em que não pagam” refere o presidente da direcção dos bombeiros de Mirandela.“Nós não temos capacidade para suportar estas despesas e isto asfixia a vida da colectividade” acrescenta. Marcelo Lago está preocupado porque a maior fatia da receita da associação é precisamente da prestação de serviços de saúde e actualmente houve um decréscimo de cerca de 50 por cento nessa facturação.“Ás vezes nós facturávamos 20 mil euros ao Centro Hospitalar, mas no mês de Janeiro facturámos oito mil, mas a despesa continua a mesma, à excepção do combustível porque a manutenção das viaturas e os vencimentos têm de ser pagos” refere o responsável.

Diga-se que a despesa fixa dos bombeiros de Mirandela, durante o ano de 2010 foi superior a 600 mil euros. A situação complica-se ainda mais quando se sabe que o Centro Hospitalar do Nordeste já não paga àquela associação desde o Verão do ano passado e a dívida já vai em cerca de 140 mil euros.“O Centro Hospitalar do Nordeste é o que paga pior e desde Julho que não pagam e o valor da divida já ronda os 140 mil euros” revela Marcelo Lago.

Um momento difícil para a associação dos bombeiros de Mirandela com as novas regras no transporte de doentes. Recorde-se que as situações preferenciais no transporte de doentes são agora as doenças do foro oncológico, doenças neuromusculares de origem genética, doentes com sequelas motoras de doenças neurológicas e neurovasculares, iminência de parto e apoio à mãe e recém-nascido, grandes acamados e doentes com problemas no sistema imunitário.
Há ainda situações de excepção para residentes a menos de 20 quilómetros, como doentes de hemodiálise ou submetidos a transplante.

in: Rádio Brigantia

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:21


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031




Tags

mais tags