Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

diariobombeiro



Domingo, 29.07.12

Bombeiros recebem divisas e galões de promoção

O Corpo de Bombeiros de Anadia procedeu, no passado dia 20, à atribuição das divisas e galões aos bombeiros que frequentaram o curso de Promoção na Carreira de Bombeiro de 3ª a 2ª e de Bombeiro de 1ª a Subchefe.

Ao todo seis elementos do Corpo receberam as novas patentes. Assim, foram promovidos a Bombeiros de 2ª: Bruna Lopes e Luis Silvano. A Subchefe foram promovidos: Aurélio Duarte, Maria José Baptista, Mário Morais e Vítor Libório.

Os galões e divisas foram colocados pelo Comandante do Quadro de Honra dos Bombeiros Aveiro Novos, José César e pelo Comandante dos Bombeiros de Águeda, Francisco Santos.

O Comandante do Corpo de Bombeiros, Eduardo Matos, reafirmou o seu contentamento pelo “esforço, dedicação e empenho na forma interessada em se candidatarem no concurso de Promoção demonstrando o quanto é necessário progredir”.

Referiu que estas promoções significam “assumir mais responsabilidades, pondo em prática as vossas competências e saberes de forma organizada”.

Apelou aos restantes elementos do Corpo Activo para que se candidatem aos cursos de promoção na carreira, “à semelhança dos colegas agora promovidos, não se acomodando na categoria a que pertencem e sempre com o intuito de mais saber e melhor fazer”.

O presidente da Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Anadia (AHBVA), Mário Teixeira, manifestou o seu contentamento pelo acto. Dirigiu-se aos bombeiros que foram promovidos dizendo que “as promoções devem-se ao empenho de todos vós”, acrescentando que “vamos estar atentos à vossa carreira no Corpo de Bombeiros”.

Mário Teixeira considerou ainda que “as promoções trazem responsabilidade acrescida”, sublinhando que “a Associação será aquilo que vocês quiserem que seja”.

O responsável máximo da AHBVA salientou que “a Direcção tudo tem feito para ultrapassar as situações menos famosas, nomeadamente a redução nos serviços de transporte de doente”, realçando que, “temos sabido até agora ultrapassá-las”.

Fonte: Região Bairradina

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 23:56

Domingo, 29.07.12

Bombeiros de Viseu "somam" dificuldades

A Associação de Bombeiros Profissionais denuncia uma série de problemas que estão a afetar o funcionamento dos municipais de Viseu. São inúmeras as dificuldades que colocam em causa a prestação do socorro às populações, como sucedeu esta tarde durante um acidente de viação e para o qual os bombeiros municipais não tiveram capacidade de resposta.


O problema está sobretudo da falta de efetivos que atrasa a prontidão na resposta. Ainda esta tarde foi necessário chamar bombeiros do Sátão para reforçar o socorro num acidente de viação em Viseu do qual resultaram três feridos, que ficaram encarcerados.

Uma situação que vem confirmar os alertas feitos pelos bombeiros profissionais, disse à TSF o presidente da associação.

Fernando Curto adianta ainda que a desorganização porque passam os bombeiros municipais está a afetar o socorro prestado à população de Viseu.

Ouvido pela TSF o vice-presidente da Câmara de Viseu garante que o piquete dos bombeiros municipais estava envolvido num incêndio florestal e que o comandante da corporação mal soube do sucedido se deslocou ao local do acidente.

A Associação Nacional de Bombeiros Profissionais garante que já fez chegar estas preocupações à Câmara de Viseu e espera agora a marcação de uma reunião para saber se o município vai fazer alguma coisa para melhorar as condições de trabalho nos bombeiros.


A Associação de Bombeiros Profissionais denuncia uma série de problemas que estão a afetar o funcionamento dos municipais de Viseu. São inúmeras as dificuldades que colocam em causa a prestação do socorro às populações, como sucedeu esta tarde durante um acidente de viação e para o qual os bombeiros municipais não tiveram capacidade de resposta.


Entretanto já esta semana os bombeiros voluntários e municipais vão reunir para articular o socorro no concelho.

Fonte: TSF

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 23:55

Domingo, 29.07.12

México: Sismo de 6.0 no Oceano Pacífico

Um sismo de magnitude 6.0 foi registado no oceano Pacífico, ao largo das costas da Guatemala e do México, anunciou o Instituto de Geofísica norte-americano, mas sem aviso imediato de 'tsunami'.

Segundo as agências noticiosas estrangeiras, o sismo ocorreu às 6h22 (12h22 GMT) a uma profundidade de 35 quilómetros e a 28 quilómetros a sudoeste de Suchiate, no México.

Não foram adiantadas informações sobre danos materiais ou de vítimas.

Fonte: CM

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 19:14

Domingo, 29.07.12

Criança desaparece no Rio Douro

Uma criança desapareceu este domingo à tarde no rio Douro, na zona do Areinho, Avintes, Vila Nova de Gaia, estando as buscas a decorrer, disse à Agência Lusa fonte dos Bombeiros Sapadores de Gaia.

Nas buscas estão envolvidos
mergulhadores, bombeiros,
Instituto Socorros a Náufragos,
Polícia Marítima e INEM.
Segundo a mesma fonte, o alerta foi dado por volta das 16h25.

Na zona do Areinho, em Avintes, Vila Nova de Gaia, estão mergulhadores, Bombeiros Sapadores de Gaia, Bombeiros Sapadores do Porto, Instituto Socorros a Náufragos (ISN), Polícia Marítima e INEM.

Fonte: CM

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 18:56

Domingo, 29.07.12

Busca e Salvamento Praia Fluvial Areinho



29/716:16Areinho (Praia Fluvial)Vila Nova de GaiaPortoEm CursoBusca Salvamento
29/716:16Buscas a criança desaparecida
29/716:16Comandante das Operações de Socorro (COS): Sub - Chefe da Companhia de Bombeiros Sapadores de Vila Nova de Gaia.
29/717:15Acionada a Unidade Móvel de Intervenção Psicológica de Emergência (UMIPE) para o Teatro de operações (TO).
29/718:00Buscas a criança desaparecida.



Fonte: CNOS/ANPC

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 18:51

Domingo, 29.07.12

BV do Sul e Sueste - Barreiro: Condecoração de 3 Bombeiros com o Crachá de Ouro da Liga dos Bombeiros


A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Sul e Sueste comemorou, no dia 23 de julho, o seu 118º aniversário. 

A Sessão Solene comemorativa da efeméride decorrerá hoje, dia 29 de julho, no quartel-sede, contando com a presença do Presidente da Câmara Municipal do Barreiro. 

O ponto alto das comemorações será a condecoração de 3 bombeiros com o Crachá de Ouro da Liga dos Bombeiros Portugueses: Adjunto de Comando Caetano Beja, presentemente a exercer as funções de Comandante em substituição, Subchefe Luís Filipe Nunes e Subchefe Luís Alferes.

Fonte: rostos.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 18:26

Domingo, 29.07.12

Incêndio em Tondela está dominado

O incêndio começou na Sexta-feira, chegou a ser dado como dominado, mas reacendeu-se e chegou a ameaçar a povoação de Carvalhido. Estavam mobilizados, esta manhã, 230 bombeiros e 73 viaturas para o combate às chamas.

Video 

Fonte: RTP

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 18:21

Domingo, 29.07.12

Voluntariado de bombeiros faz poupar 400 milhões por ano

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), Jaime Soares, crê que o voluntariado nos bombeiros vai continuar a ser a trave mestra do socorro.

Em defesa da sua tese, o homem que já dedicou meio século aos bombeiros e que é o mais antigo presidente de câmara em atividade, aduz um argumento que ganha força acrescida em tempos de crise: a profissionalização total do setor "exigiria 400 milhões de euros/ano" e, ainda assim, implicaria a opção por uma estrutura minimalista, sacrificando a proximidade do serviço.

André Couto, da Autoridade Nacional de Proteção Civil, concorda e sublinha que Portugal "só tem a ganhar" se a rede voluntária de bombeiros puder ser "preservada e até reforçada". Acredita que é isso que vai acontecer, "independentemente de alguma profissionalização no socorro" e das exigências crescentes que se põem aos voluntários, em termos de formação, de disponibilidade física, psicológica e mesmo do número de horas dedicadas ao serviço operacional.

Uma antiga dirigente de uma estrutura regional de bombeiros, que pediu para não ser identificada, alinha pela mesma tese, recusando que o voluntariado nos bombeiros tenha morte anunciada, ou, sequer, que sofra de enfermidade. Descreve-o como algo que está a seduzir crescentemente jovens e mulheres, apesar dos sacrifícios pessoais e familiares que acarreta e do risco de perda da própria vida. Como aconteceu, no ano passado, com uma jovem bombeira de Lourosa, e, ainda recentemente, com uma operacional de Abrantes.

As bombeiras, que tinham uma expressão insignificante, representam atualmente 20 por cento dos quadros ativos, assinala a ex-dirigente, considerando que para isso contribuíram uma "renovação de mentalidades", a nível de comandos, e a criação de condições nos quartéis para o serviço feminino, nomeadamente com a construção de camaratas próprias.

Como quer que seja, os bombeiros voluntários perderam algum protagonismo numa estrutura de socorro que se profissionalizou parcialmente, com a criação do INEM, na emergência pré-hospitalar, e de equipas da GNR e de sapadores florestais ("canarinhos") no combate aos incêndios.

Numa tendência que a crise veio refrear, levando mesmo a alguns despedimentos, os próprios corpos de bombeiros voluntários foram-se convertendo em estruturas mistas. Uns oito por cento dos seus colaboradores recebem uma retribuição, ainda que pouco expressiva e/ou sazonal, por trabalho de secretaria, colaboração no transporte de doentes ou participação nas equipas de primeira intervenção em incêndios.

Por outro lado, as estatísticas mais recentes indicam que 32.472 das 61.242 pessoas com o estatuto de bombeiro voluntário não integram o corpo ativo ou o comando das corporações, beneficiando, ainda assim, de algumas regalias sociais.

Numa alusão a pessoas que terão aderido à causa dos bombeiros supostamente em busca de vantagens pessoais, pecuniárias ou de outras, o presidente da LBP observa que "no melhor pano, cai a nódoa" e contrapõe que estes casos são inexpressivos, nunca podendo ser lidos como sinal de uma suposta crise do voluntariado nas corporações ou como evidência de uma espécie de voluntariado faz-de-conta.

Ainda assim, o antigo inspetor de incêndios Salazar Galhardo trata de avisar que "fazer respeitar o espírito do voluntariado passa pelos próprios bombeiros". E cita como exemplo a não seguir o caso de pessoas que assumem funções de maior visibilidade nos bombeiros de pequenas localidades e alegadamente se servem desse estatuto "para fazer currículo ou como trampolim para política" local.

Salazar Galhardo desvaloriza, contudo, o facto de alguns bombeiros, geralmente em posições de liderança, terem lançado negócios em áreas correlacionadas.

"Pode não ser muito ético, mas parece-me também que chegaram a oferecer muito material aos corpos de bombeiros e faziam, muitas vezes, preços reduzidos em relação a outras empresas. Não me parece que o problema esteja aí", observa.

O "maior problema" reside, na sua opinião, nos apoios, em alguns casos "miseráveis", que autarquias dão aos corpos de bombeiros e nos atuais modelos de organização do socorro, que integram estruturas profissionais "paralelas" aos bombeiros, contribuindo desta forma para alguma perda de força do voluntariado.

O presidente da LBP anui, falando de estruturas profissionalizadas que "fazem o mesmo que os bombeiros, mas com um custo superior". E insiste que, agora mais do que nunca, porque Portugal está em crise, é preciso rever tudo isto e "não perder esta potencialidade que são os bombeiros voluntários".

Mas isso exige "afrontar os generais na proteção civil, a viverem como as elites já nos habituaram, enquanto no terreno os bombeiros vivem com insuficiências tremendas", acrescenta Jaime Ramos.

Fonte: RTP

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 18:16

Domingo, 29.07.12

Só metade dos bombeiros voluntários registados faz trabalho operacional

Apenas metade dos cidadãos com estatuto de bombeiros voluntários exerce de facto tarefas regulares inerentes à condição, indica a base de dados do Recenseamento Nacional de Bombeiros Portugueses.

Em junho, segundo aquele recenseamento, havia em Portugal um total de 61.242 bombeiros voluntários, mas só 28.770 iam para os teatros de operações, entre membros dos corpos ativos (27.667) e dos comandos (1.103). Os restantes estavam no quadro de honra, na reserva ou não integravam qualquer quadro.

Os dados deste estudo foram já questionados pelo presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Soares, que, em declarações à Lusa, disse que os voluntários em efetividade de funções "se aproximam dos 35.000".

O dirigente adiantou que o "tira-teimas" será um estudo "altamente rigoroso" sobre a matéria, que a Associação Nacional de Municípios Portugueses e um instituto politécnico da região centro divulgarão "dentro de dois ou três meses".

São considerados bombeiros do quadro de honra os que cessaram a atividade no terreno por doença ou acidente gerados nessas funções ou os que, por outras razões, puseram termo a uma carreira que foi classificada como sendo de mérito.

No rol dos bombeiros sem quadro integram-se todos os que estão ainda em formação (infantes, cadetes e os estagiários), enquanto que o quadro da reserva junta os que não atingiram o mínimo de 275 horas de serviço operacional anual.

Um regime próprio de Segurança Social, incluindo a majoração do tempo de contagem para a aposentação, recuperação de parte dos montantes pagos a título de propinas no Ensino Superior ou isenção de taxa moderadora são alguns benefícios dos bombeiros voluntários, segundo fonte do Autoridade Nacional de Proteção Nacional de Proteção Civil.

No entanto, o atual rol de regalias, que teoricamente funciona como chamariz para a atividade, reduz-se substancialmente no caso dos bombeiros fora do ativo.

Em alguns casos, os bombeiros voluntários podem ser chamados a pequenas equipas profissionais existentes nas corporações, que se dedicam a tarefas administrativas, serviço de ambulâncias ou integram equipas de primeira intervenção para fogos florestais.

Esta fonte de emprego começa, contudo, a ficar em risco, por decréscimo das ajudas aos corpos de bombeiros e perda ou redução drástica de outras fontes de financiamento, como as relacionadas com o transporte de doentes.

Uma associação de bombeiros de Alijó (a de São Mamede de Ribatua) já fechou portas e a corporação de voluntários de Coimbra fez saber que os donativos caíram de quase 50 mil euros, em 2010, para 24.700, no ano transato.

Por sua vez, o presidente do Sindicato Nacional de Bombeiros Profissionais, Sérgio Carvalho, revelou que cerca de 2.000 bombeiros profissionais já foram despedidos este ano em todo o país, devido às dificuldades financeiras das corporações e às alterações das regras de transporte de doentes.

Fonte: RTP

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 18:12

Domingo, 29.07.12

Fogo em Alenquer combatido por 128 operacionais

Um total de 128 operacionais, entre os quais 98 bombeiros, estão a combater um fogo em Cabanas de Torres, no concelho de Alenquer, segundo a página oficial da Internet da Autoridade Nacional da Protecção Civil.



No local estão 34 viaturas para combaterem as chamas em floresta.

Pelas 08:00 estava registada uma frente ativa do incêndio que deflagrou cerca das 02:30 e às 09:04 passou a ser combatido com a ajuda de um helicóptero bombardeiro pesado.

Durante a madrugada foi dado como dominado o incêndio em Carvalhinho, no concelho de Tondela, distrito de Viseu, em zona de mato.

O fogo chegou a ser dado como dominado na noite de sexta-feira, mas reacendeu no sábado à tarde. As chamas foram combatidas por 241 operacionais, entre os quais 231 bombeiros, apoiados por um total de 70 veículos.

A Protecção Civil dá conta de 24 fogos desde as 00:00.

Fonte: RTP

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 18:07

Domingo, 29.07.12

Bombeiros ameaçam parar em todo o país

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses disse hoje à Lusa que a 18 de agosto as corporações vão "sair à rua" e paralisar de 4 a 6 de setembro se o Governo não atender às reivindicações da classe.
"Vamos reivindicar na rua como nunca o fizemos. Se os médicos e enfermeiros o fazem, nós também temos esse direito", afirmou Jaime Marta Soares, à margem da inauguração das obras de ampliação e remodelação do quartel dos bombeiros da Cruz Verde, em Vila Real.
O dirigente referiu que, na segunda-feira, vai reunir com o Ministro da Administração Interna e o Ministro da Saúde e, disse, "se não saírem soluções das reuniões os bombeiros vão para a rua".
A 18 de agosto, explicou, haverá manifestações no Porto, Coimbra, Lisboa e Faro e, de 4 a 6 de setembro, existirá uma paralisação "total" dos serviços pelo país,excluindo assistência a hemodialisados, doentes com cancro e doenças agudas.
"Os bombeiros têm vindo sempre a baixar-se perante os poderes instituídos e a pagar para prestar socorro, pelo que a situação tem de ser invertida e as corporações ressarcidas", esclareceu.
As corporações têm sofrido, segundo o dirigente, muitas dificuldades por causa dos cortes financeiros e da falta de viaturas e ferramentas adequadas para responder às necessidades da população. "Temos de chamar à atenção do poder político para esta problemática porque a manterem-se os cortes e a diminuiçãodas transferências, os bombeiros chegarão a uma altura em que não terão capacidade para sair, combater incêndios e socorrer pessoas", afirmou.
A Liga dos Bombeiros reclama ainda uma análise à nova lei das finanças locais, uma reorganização e reformulação do Serviço Nacional de Proteção Civil, que tem "gorduras a mais", e um período de carência em concursos públicos.
"São meia dúzia de coisas que têm de ser tratadas porque, se não forem, vão-nos enfrentar na rua", ressalvou Jaime Marta Soares.
É importante que, considerou o responsável, o Governo entenda que não é nos bombeiros portugueses que está a razão do endividamento público.
Face às críticas por parte da Liga dos Bombeiros, o ministro da Administração Interna esclareceu que a sua tutela tem feito um esforço para apoiar os bombeiros.
E, disse, sinal de que o Governo valoriza o trabalho das corporações é a comparticipação das propinas dos bombeiros voluntários ou descendentes que ingressam no ensino superior.
Além disso, Miguel Macedo relembrou o apoio jurídico e médico que é prestado aos bombeiros com maiores necessidades económicas.
O governante recordou ainda o aumento de 50 para 85 por cento da comparticipação na aquisição ou reparação de viaturas danificadas nas ocorrências.
"Há, de facto, algumas matérias que carecem de atualização e merecem ser repensadas", reconheceu.
Miguel Macedo garantiu que, até setembro, um grupo de trabalho vai desenvolver ações para propor um novo modelo de financiamento das corporações.
Este esforço, acrescentou, vai obrigar a racionalizar alguns dispositivos na área da proteção civil.


Fonte: Dnotícias

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 17:59

Domingo, 29.07.12

“Tempo seco” e mão criminosa aumentam número de fogos

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, atribuiu este domingo o aumento do número de incêndios às condições climatéricas extremas e à mão criminosa, rejeitando a ideia de que tudo se deve à falta de meios.

O "excepcional" número de ignições no país, sobretudo nos meses de Fevereiro e Março, deveu-se, sublinhou Miguel Macedo, ao facto de ser o tempo "mais seco e quente" dos últimos 81 anos. Este ano, disse, ao contrário do ano passado, as condições climatéricas são "mais adversas" e isso explica o aumento do número de "algumas" das ocorrências.
Miguel Macedo destacou ainda que nos seis primeiros meses já houve uma série de detidos por fogo posto e foram, também, identificados outros presumíveis responsáveis. “Estamos à alerta", adiantou.
O ministro da Administração Interna rejeitou que os incêndios se fiquem a dever à falta de meios. "Este ano, ao contrário do ano passado, temos mais equipas de intervenção e meios aéreos no terreno", garantiu.
Fonte: CM

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 17:58

Domingo, 29.07.12

Bombeiros de Lisboa dão por extinto fogo junto à Calçada de Carriche

O Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa deu já como extinto o pequeno fogo que esta tarde de domingo deflagrou no Alto da Chapeleira, junto à Calçada de Carriche Em Lisboa.

"Ardeu apenas mato e cercas, não há danos materiais a registar", indicou à Lusa fonte oficial do corpo de bombeiros.

O Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa envolveu um total de três carros e 12 bombeiros no combate ao fogo que ocorreu numa zona alta, de grande visibilidade, que motivou por isso "a preocupação" da população local, segundo a mesma fonte.

Fonte: JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 17:54

Domingo, 29.07.12

Mais de 26.800 hectares ardidos no Algarve e mais de 5.300 na Madeira

Os incêndios no Algarve consumiram entre 18 e 22 de julho 26.839 hectares, enquanto na Região Autónoma da Madeira os dados da União Europeia indicam uma área de 5.339 hectares entre 19 e 24 de julho. 


Os dados constam da página na Internet do Sistema Europeu de Informação de Fogo Florestal (European Forest Fire Information System - EFFIS), da Comissão Europeia. 
Segundo os últimos dados colocados no sistema, em Cachopo, no concelho de Tavira (Algarve), arderam 26.442 hectares e em Azinhal, no concelho de Castro Marim, arderam 397 hectares. 
Na Madeira, o sistema contabiliza para Ponta do Pargo 3.242 hectares de zona ardida, a que se somam 1.770 em Gaula e 327 na Ribeira Brava. 
A Autoridade Nacional da Floresta dispõe apenas no seu balanço provisório de registos até 15 de julho.

Fonte: Diárionline

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 17:51

Domingo, 29.07.12

Bombeiro de Alcobaça em Coma

O dia de ontem deveria ter sido o mais feliz na vida de Marco José Figueiredo Caetano, de 32 anos, e da mulher.

O casal celebrava a união – e baptizava a filha de um ano, na mesma cerimónia. Mas a festa de casamento, numa quinta em Carrascas, Alcobaça, terminou da pior forma. O noivo sofreu um acidente de moto-quatro. Estava ontem à noite em coma, internado em Lisboa, a lutar pela vida.

Marco Caetano, bombeiro profissional, com a categoria de tripulante de ambulância de socorro nos bombeiros de Alcobaça, foi desafiado para um passeio de moto-quatro, nos jardins da quinta onde decorria a festa, com um dos convidados, quando se deu o acidente. "O Marco ia à pendura, nem ia a conduzir. Caiu da mota e bateu com a cabeça no chão", contou um dos convidados.

Às 18h00, o alerta soou no quartel – uma ambulância e o INEM foram de imediato para a quinta. O bombeiro sofreu um traumatismo cranioencefálico e foi levado de helicóptero para o hospital de Santa Maria. A noiva estava ontem à noite a aguardar notícias na mesma unidade.

"Ele está em estado grave e precisa de exames complementares", disse ao CM Mário Cerol, comandante dos Voluntários de Alcobaça.


fonte: CM

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 09:58

Domingo, 29.07.12

Falta de meios nos Bombeiros Municipais de Viseu tem de ser ultrapassada com “empenho e dedicação”

No dia em que os Bombeiros Municipais de Viseu comemoram 185 anos de existência, Jorge Antunes, comandante da corporação, fala, em entrevista ao nosso Jornal, sobre os problemas que os únicos “soldados da paz” profissionais do distrito enfrentam, nomeadamente a falta de meios humanos e materiais, assunto que já chegou à Assembleia Municipal.

Diário de Viseu (DV) Os Bombeiros Municipais de Viseu comemoram hoje 185 anos de existência. O que nos pode contar sobre a história desta corporação? Jorge Antunes (JA) O corpo de Bombeiros Municipais de Viseu é uma instituição pública. Foi fundado no tempo da Monarquia, reinado de D. Miguel, em 24-07-1827, tendo a sua primeira sede na Rua João Mendes, mais conhecida como Rua das Bocas, em Viseu. Graças ao querer, poder e audácia de homens de garra, que naquele tempo se dispuseram a dar a sua vida em prol da defesa do próximo e protecção de seus bens materiais, nasceram, os “Soldados da Paz” como hoje geralmente os intitulam, são “soldados” que vão na frente da guerra, de combate ao fogo e contra qualquer outra catástrofe (natural ou artificial). Como os Bombeiros têm História e Memória não lhes faltaram razões para a Glória mais que merecida, justíssima. Desde 1963, o quartel encontra-se sediado na Praça João I. A corporação foi condecorada com a Ordem Militar de Cristo em 05-10-1930 e com a Medalha Crachá de Ouro da Liga de Bombeiros Portugueses em 7-10-1978.


Fonte: Diario Viseu

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 02:29

Domingo, 29.07.12

Sismo de magnitude 6,6 sacode Papua Nova Guiné

Um terremoto de magnitude 6,6 sacudiu este domingo a longínqua província de Nova Irlanda, no nordeste de Papua Nova Guiné, informou o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), sem que tenha sido emitido um alerta de tsunami. O terremoto aconteceu às 06H04 de domingo, hora local (17h04 de sábado, horário de Brasília) a uma profundidade de 66 km, a 124 km da cidade de Rabaul, na ilha de Nova Bretanha, e a 843 km da capital Port Moresby. Papua Nova Guiné registra regularmente fortes terremotos. O país está situado no chamado "cinturão de fogo do Pacífico", que concentra intensa atividade sísmica devido às fricções entre as placas tectônicas. Em 1998, um enorme tsunami deixou mais de 2.000 mortos perto de Aitape, na costa noroeste do país

Fonte: Terra

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 01:42

Domingo, 29.07.12

BOMBEIROS TONDELA: Cercados pelo fogo

(em actualização)

Bombeiros de Tondela estiveram "cercados pelo fogo" e foram salvos por descargas de meios aéreos.

Cinco bombeiros de Tondela, Viseu, estiveram hoje cercados pelas chamas que lavram na serra do Caramulo, depois da viatura em que seguiram ter tido um acidente, mas foram salvos por descargas de água de meios aéreos.

Segundo fonte dos bombeiros de Tondela, a viatura de combate a incêndios  em que os cinco homens seguiam "tombou lateralmente" junto à povoação de  Carvalhinho - que esteve ameaçada pelas chamas a meio da tarde de hoje -  e os seus ocupantes ficaram "cercados pelo fogo".  
De acordo com a mesma fonte os meios aéreos que estão a atuar no incêndio  efetuaram descargas de água no local, auxiliados por outro veículo de combate  ao fogo, não tendo os bombeiros sofrido ferimentos.  
"Os bombeiros não ficaram feridos e já estão a combater o incêndio",  disse, por seu turno, à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações  de Socorro (CDOS) de Viseu.  
De acordo com a mesma fonte a viatura acidentada "já foi removida do  local", situado numa zona de acessos "fáceis".  
O incêndio, que lavra em zona de mato, chegou a ser dado como dominado  na noite de sexta-feira mas reativou-se pelas 15:47 de hoje e possuía, pelas  17:10, duas frentes ativas, depois de ter chegado a lavrar em três frentes.
Segundo a fonte do CDOS de Viseu as chamas junto à povoação do Carvalhinho  foram controladas e a frente que agora mais preocupa os bombeiros dirige-se  para o cume da serra, para uma zona onde existem antenas de telecomunicações  "estando os meios de combate a ser reposicionados". 
De acordo com a página de Internet da Autoridade Nacional de Proteção  Civil (ANPC) o incêndio do Caramulo está a ser combatido por 164 operacionais,  apoiados por 44 viaturas, um helicóptero bombardeiro pesado e dois aviões  bombardeiros médios anfíbios.  
Este incêndio é o único que aparece em destaque na página da ANPC, embora  pelas 18:00 estivessem em curso dois fogos florestais no país. 
Ainda de acordo com a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil  desde as 00:00 de hoje registaram-se 55 ocorrências. 

Fonte: SICNoticias


Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 00:58


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  





Tags

mais tags