Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

diariobombeiro



Quinta-feira, 17.11.11

O Futuro do Presente


Escrevo esta crónica após a realização do Congresso que elegeu a nova equipa que vai dirigir os destinos da Liga dos Bombeiros Portugueses no próximo triénio.

Um Congresso que não discutiu o futuro, antes se voltou para dentro e falou do passado e dos protagonistas das listas concorrentes. Nem uma proposta foi discutida. Apenas ideias gerais, intenções e compromissos de defesa dos Bombeiros e suas Associações. Veremos. Da minha parte darei o benefício da dúvida aos novos dirigentes e assumirei, como sempre, total disponibilidade para ajudar a encontrar as melhores soluções e reforçar a intervenção das Federações Distritais na construção das propostas reivindicativas que venham a ser colocadas ao Governo.

O presente da vida dos Bombeiros Voluntários e das suas Associações Humanitárias afigura-se muito difícil e com muito poucas perspectivas de a curto ou médio prazo voltar a respirar a saúde que se espera destas Associações, cujas responsabilidades são incomparavelmente superiores aos apoios que recebem por força dos elevados serviços prestados às populações e a Portugal, para mais na situação de debilidade financeira, económica e social que o país atravessa e que se agrava de dia para dia.

Tipificação, financiamento, comandamento próprio, equipamentos e viaturas, estatuto social do bombeiro, formação, relações trabalho entre as Associações e os assalariados e serviço de saúde nos bombeiros, são alguns dos compromissos que a nova equipa dirigente da LBP se compromete a defender.

Quem não está de acordo com estas linhas de acção?

Estas e outras têm sido pelo menos nos últimos 20 anos as principais preocupações dos dirigentes dos Bombeiros portugueses, que ao longo dos anos têm vindo a reivindicar do poder político a sua resolução, mas sem sucesso.

Passaram vários governos, de partidos diferentes, e todos eles foram intervindo, reforma após reforma, mas sempre coxa porque em nada (ou quase) contribuíram para a dignificação dos Bombeiros Voluntários e para a sustentabilidade das Associações que os suportam.

E se em tempos de "vacas gordas" não conseguimos verter para a legislação, por exemplo, o financiamento das Associações ou um plano de reequipamento que de facto responda às reais necessidades dos Corpos de Bombeiros, será agora com a conjuntura económica que todos conhecemos que o vamos conseguir?

Numa altura em que o nosso principal parceiro - autarquias locais - se debate com cortes brutais no seu financiamento e receitas, vamos ter coragem para lhe exigir ainda mais? Não me parece.

Resta-nos pois, contribuir com propostas concretas para que o Governo possa encarar as mudanças necessárias na estrutura da protecção e socorro existente, e que sem aumentar a despesa possa redistribuir os escassos recursos financeiros, por aqueles que diariamente com enormes dificuldades mantêm uma das principais missões da Estado - a protecção de pessoas e bens.

A contratualização de serviços, enquanto modelo de desenvolvimento e de sustentabilidade das Associações e por sua vez do Voluntariado, pode ser de facto uma saída e o único caminho para as relações que devemos privilegiar com os municípios, enquanto nossos principais aliados, mas não podemos ignorar tanto o Ministério da Saúde como o da Administração Interna, devendo exigir destes, que os organismos que tutelam, respectivamente o INEM e a ANPC, tenham de facto uma relação de parceria com os Bombeiros de Portugal e não que os vejam como sumidouros de recursos.

O novo Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, afirmou na sua carta de compromisso que "as linhas de força que irão orientar a missão dos órgãos sociais da Liga dos Bombeiros Portugueses, jamais deixarão de perseguir um rumo consonante com a real participação e contributo do agente Bombeiros no Sistema da Protecção Civil, tendo em conta a importância e dignificação dos princípios e valores do Associativismo como suporte do Voluntariado".

Os Bombeiros Portugueses decerto que se revêem nesta afirmação e por isso também os seus dirigentes lhe deram este voto de confiança no último Congresso.

Esperemos pois pelos novos ventos de mudança que se avizinham, venham eles de Vila Nova de Poiares, da Figueira da Foz ou de qualquer outra cidade deste país.

E por falar em mudanças, fomos surpreendidos esta semana com a decisão da Autoridade Nacional de Protecção Civil de alterar os procedimentos relativos ao registo de ocorrências relacionadas com a emergência pré-hospitalar (eventos da família 4000).

Todos os Corpos de Bombeiros deixarão de notificar o CDOS das saídas de meios de emergência pré-hospitalar e da mesma forma o CDOS deixará de registar todas as ocorrências que não estejam previstas nas Directivas Operacionais que materializam o SIOPS.

Simultaneamente o INEM, nesta mesma semana, decidiu igualmente introduzir alterações no despacho de meios (PEM e Reservas) sem ter em conta as respectivas áreas de actuação própria dos Corpos de Bombeiros.

Estranhas coincidências estas que o INEM e ANPC decidiram implementar sem que tenham previamente auscultado os parceiros do sistema, quando por exemplo a ANPC fez questão de obrigar todos os Corpos de Bombeiros a indicarem nos seus Regulamentos Internos as respectivas áreas de actuação e que em muitos casos foram motivos para não serem aprovados, por não cumprirem com o artigo 5º do Decreto-Lei n.º 247/2007.

Em que ficamos então? As áreas são para respeitar ou não? Ou a ANPC finalmente assume que apenas quer tutelar os Corpos de Bombeiros em relação aos incêndios florestais, que parece ser a única preocupação da ANPC?

Será possível que a ANPC se queira recusar a cumprir o artigo 6.º do DL 247/2007, isto é, se queira recusar a coordenar operacionalmente a actividade dos bombeiros? Ou será que a ANPC quer anular da missão dos Corpos de Bombeiros a principal actividade operacional que é precisamente o socorro, digo bem o socorro e transporte de acidentados e doentes, incluindo a urgência pré-hospitalar?

Assim, sugere-se que a ANPC clarifique as suas reais intenções, para que possamos, sem margem para dúvidas, saber o que são missões dos Corpos de Bombeiros ou o que é ou não é socorro.


António Carvalho

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 21:22

Quinta-feira, 17.11.11

FORÇA : Chefe Marcos Scapinakis


ESTADO SAÚDE DO CHEFE MARCOS - CB OEIRAS

Alberto Brito informa:

"boa tarde a todos, mais uma vez visitei o chefe Marcos Scapinakis,as noticias não sendo más poderiam ser melhores, já dá uns passos no corredor embora c/ muitas dores,continua algaliado e para defecar só com ajuda de laxantes , a recuperação não vai ser facil, nem rápida.

A medula foi afectada e a ultima intervenção foi para alargar o canal medular,visto amedula ter engrossado, resultados só dentro de 6 a 8 meses.

As boas noticias são: a Associação e todo o CB teem sido incansaveis no apoio pessoal e se necessário, material foram acionados os seguros de voluntário, de acidentes pessoais da viatura,o fundo social da Liga, o verador da Prot. Civil de Oeiras tambem se des locou a este CB para apoiar no k seja necessário, agora só nos resta esperar´, o Scapy manda agradecer o interesse manifestado por todos, vamos ter fé k as coisas corram pelo melhor"

Fonte:Ajudt QH Alberto Brito - CB Oeiras

Nota: Administração do DB envia um abraço forte e muita força! Tudo irá correr bem mesmo que demore tempo!

FORÇA CHEFE

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 21:21

Quinta-feira, 17.11.11

Palmeira: Bombeiro ferido quando combatia fogo em habitação

Um elemento dos Bombeiros Sapadores de Braga ficou ontem ferido, quando combatia um incêndio que provocou diversos estragos materiais numa habitação situada na Rua das Tílias, na Quinta de S. José, em Palmeira, Braga.

Segundo fonte dos Sapadores, o alerta foi dado pelas 13h10, através do CDOS, tendo sido mobilizados para o local seis bombeiros, apoiados por um veículo, que estiveram no local até cerca das 14h50.

O quarto da habitação ficou completamente tomado pelas chamas, mas os danos provocados pelo fumo estenderam-se ainda a outras dependências da casa, nomeadamente aos tectos e às paredes.

Em virtude do fumo intenso, que depressa se propagou a toda a habitação, os bombeiros tiveram trabalho redobrado, e um dos elementos acabou por sofrer uma violenta queda e teve de ser transportado ao Hospital de Braga, onde foi assistido. O bombeiro sofreu uma lesão ao nível de um joelho.

Fonte: www.maisactual.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 15:58

Quinta-feira, 17.11.11

Voluntariado: Disponibilidade ao toque da sirene

José António Rafael, motorista dos Bombeiros Voluntários de Torres Vedras, fala de uma missão sem hora nem local mas que dá «sentido à vida»

Lisboa, 17 nov 2011 (Ecclesia) – Há 28 anos que a vida de José António Rafael é definida pela disponibilidade para o próximo, ao toque da sirene, na corporação dos Bombeiros Voluntários de Torres Vedras, da diocese de Lisboa.

“Há quinze dias, estava a distribuir a comunhão e quando acabei, a sirene arranca. Naquele momento, larguei tudo, arranquei pela Igreja fora e fui para o fogo, porque estavam lá à minha espera”, recorda o motorista dos soldados da paz, em entrevista ao Programa da Igreja Católica desta quarta-feira, na Antena 1.

Durante 365 dias por ano, este torreense entrega-se a um tipo de voluntariado que não tem hora nem local, mas que – assegura – dá “sentido à vida”.
“Há dias melhores, há dias piores, mas é muito gratificante saber que estamos a ajudar o próximo e sentir que as pessoas se sentem satisfeitas com a nossa ajuda”, realça.
A sua vocação manifestou-se ainda muito jovem, quando andava nas aulas de música para entrar na banda de música dos bombeiros.

Tal como hoje, as sirenes dos carros chamaram-no mais alto do que os instrumentos musicais ou qualquer outro tipo de ocupação pessoal.
Nesta luta constante entre a vida e a morte, sempre de mãos ao volante e com mil olhos para o perigo, José António Rafael já assistiu a muitas situações difíceis mas também teve a oportunidade de participar em autênticos milagres.

“Fiz um parto a um miúdo há 13 anos e o ano passado estava na parte dos fogos florestais e chegou-me lá uma senhora. Então, o miúdo quis saber quem lhe fez o parto, queria conhecer-me”, explica, considerando que são este tipo de episódios que o fazem “andar aqui, alegre e bem disposto”.

Nos últimos dois anos, com a ajuda da mulher e da filha, o voluntário conseguiu conciliar o seu trabalho com um projeto dedicado a crianças com deficiência.

“Este ano tivemos um menino que foi passar uma semana connosco a Torres Vedras. Levei-o para os bombeiros, é um miúdo com trissomia 21 mas com uma inteligência fora de série”, conta José António Rafael.

No seguimento da festa de São Martinho, santo associado à solidariedade, o Programa da Igreja Católica na Antena 1 apresenta esta semana alguns projetos e histórias de pessoas que disponibilizam o seu tempo para ajudar os outros.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 15:44

Quinta-feira, 17.11.11

Doação de Sangue: GUSTAVO precisa de nós !


Um simples GESTO, pode marcar  a diferença!

 Vamos ajudar o GUSTAVO !

Ele precisa de nós !



Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 10:28

Quinta-feira, 17.11.11

B M LOUSÃ: "AJUDE A SORRIR"


Mais uma causa, em que a Administração do Diário de um Bombeiro nao poderia ficar indiferente!

Campanha da JuveBombeiro -- Bombeiros Municipais da Lousã

"AJUDE A SORRIR "


Divulgação através do João Teixeia - Bombeiro do CB M Lousã
Iniciativa do Valter Serra - da Juvebombeiro do CB M Lousã

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 10:06

Quinta-feira, 17.11.11

Bombeiro Ferido num Incêndio em Moradia

Um quarto totalmente destruído e estragos em dois pisos é o resultado de um incêndio que ontem deflagrou numa habitação na Rua das Tílias, na freguesia de Palmeira, em Braga.
Durante o combate ao incêndio, um bombeiro dos Sapadores de Braga ficou ferido e teve de ser transportado ao hospital.

O alerta aos bombeiros foi dado às 13.10 horas por vizinhos que viram as chamas a sair do primeiro andar da moradia, no nº 26 da Rua das Tílias.
Os proprietários - um casal que vive entre Portugal e a Alemanha - não se encontravam na residência onde tinham regressado, ontem mesmo, depois de mais uma estadia na Alemanha.
Com as elevadas temperaturas partiram os vidros do q uarto onde o incêndio deflagrou e onde ficou circunscrito.

Fonte dos Bombeiros Sapadores de Braga (BSB) - que combateram o incêndio - explicou que a porta do quarto e das outras divisões estavam fechadas evitando que o incêndio alastrasse. Durante o combate, um bombeiro sofreu uma queda e foi transportado ao Hospital de Braga pelos Bombeiros Voluntários de Braga.

O chefe das operações do BSB no local explicou que o incêndio teve origem no tubo da lareira que estava acesa no piso inferior.
O quarto ficou destruído pelas chamas e o fumo afectou dois pisos da residência, causando prejuízos avultados.
No local estiveram seis bombeiros apoiados por um veículo.
 
 
por Teresa M. Costa
fonte: Correio do Minho

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 09:29

Quinta-feira, 17.11.11

Incêndios: Governo Estuda Hipóteses em Alternativa à Extinção da EMA

O ministro da Administração Interna disse que estão a ser estudadas três hipóteses em alternativa à extinção da Empresa de Meio Aéreos (EMA), garantindo que o combate aos incêndios contará com mais meios a um menor custo.

«Estamos a equacionar três hipóteses alternativas para solução dos meios aéreos e a avaliar cada uma dessas hipóteses», disse Miguel Macedo aos jornalistas no final da cerimónia de avaliação do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais promovida pela Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC).

O ministro adiantou que está «convicto» que no próximo ano o dispositivo de combate a incêndios florestais vai contar com «mais meios aéreos com menos custos», adiantando que até ao final do ano vai haver alterações no sector da protecção civil para que o dispositivo de combate a incêndios florestais esteja em «estado de prontidão» no próximo ano.

Para o ministro, o objectivo é melhorar a resposta no próximo ano durante a fase mais critica de incêndios florestais. Miguel Macedo afirmou ainda que o sistema de protecção civil vai continuar na administração interna.

A área ardida desceu este ano para metade em relação a 2010, mas os incêndios aumentaram cerca de 15 por cento, tendo para isso contribuído os fogos registados em Outubro, segundo os dados da Autoridade Florestal Nacional (AFN).

A AFN indica que entre 01 de Janeiro e 31 de Outubro arderam 70.193 hectares de florestas, menos 62.795 hectares do que no mesmo período do ano passado, quando a área ardida se situou nos 132.988.

Já as ocorrências de fogo aumentaram este ano, tendo-se registado 25.318, mais 3.455 do que no mesmo período do ano passado, quando se verificaram 21.863 incêndios. Para estes números contribuíram os incêndios de Outubro, mês «relativamente atípico quando comparado com as médias mensais da última década».

O maior número de incêndios e de área ardida concentrou-se em Outubro, o que levou o Governo a reforçar por duas vezes, o dispositivo de combate a incêndios florestais e a despender mais de 1,2 milhões de euros.
 
 
fonte: Lusa

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 09:28

Quinta-feira, 17.11.11

Bombeiros Expõem Realidade no Mercado

Uma exposição de fotografias dos mais variados serviços dos Bombeiros Voluntários da Ribeira Brava, no espaço do Mercado, tem como objectivo aproximar o povo dos "soldados da paz". As fotografias são bem elucidativas das intervenções dos bombeiros, desde o início da corporação em 1986, com mais incidência nas desgraças que ainda estão na memória que assolaram a Ribeira Brava e a Ponta do Sol no "20 de Fevereiro".
 
Agostinho Silva, comandante dos "Voluntários da Ribeira Brava", com um dispositivo de 46 elementos, entre os quais 32 profissionais, mostrou-se satisfeito com o desempenho dos seus bombeiros, recordando os sacrifícios de todos eles passados naquele fatídico dia onde os pedidos de auxílio surgiam "uns em cima de outros". Sobre a possível falta de meios técnicos e materiais, este responsável não tem dúvidas que "nunca são demais", recordando que a actividade da corporação desenvolve-se quer na Ribeira Brava quer na Ponta do Sol. "O ideal era que não houvesse mais catástrofes e tudo se normalizasse e que tivessemos de manter a nossa actividade sem problemas", ironizou o comandante. 
 
"Os meios técnicos e humanos nunca são demais", esclareceu o comandante, recordando que a crise também chegou à classe dos bombeiros. Reconhece que tudo depende agora das circunstâncias, mas adianta que a corporação tem necessidade de, pelo menos, duas viaturas para servir zonas que têm dificuldade de acesso a viaturas pesadas, situação que, confirma, está a ser equacionado pela Câmara Municipal, pelo Governo e também pelo Serviço de Protecção Civil".
 
A exposição de fotografias está disponível a todos os visitantes nos espaços do Mercado, numa iniciativa da Câmara Municipal da Ribeira Brava em vésperas da comemoração do 25.º Aniversário dos Bombeiros Voluntários da Ribeira Brava. 
 
 
fonte: Jornal da Madeira

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 09:27

Quinta-feira, 17.11.11

Agradecimento ao INEM

"Quero expressar aqui os meus mais sinceros agradecimentos e elogios, à tripulação da SIV Tondela, que no passado dia 22/04, socorreu com eficácia, profissionalismo e brio a minha Mãe, após uma paragem cardiopulmonar que ela sofreu. O Sr. Enf. Alberto Ferreira e o TAE Tiago Morais, foram inexcedíveis no seu empenho e foi este empenho que ajudou a salvar a minha mãe. Este agradecimento e elogio são igualmente extensivos à equipa da VMER de Viseu que os apoiou, liderada pela Srª Drª Joana Carvalho e pelo Enfº Nelson. Agradeço que estas minhas parcas palavras cheguem ao conhecimento dos visados. Por muito o meu eterno agradecimento.
João Carlos Matos do Vale

Estão de Parabéns os seguintes profissionais do INEM:

Centro de Orientação de Doentes Urgentes da Região Centro
Operadores: António Quintas, Ana Lima e Rosário Prata
Médicos: Teresa Henriques e Filipa Madeira

Ambulância de Suporte Imediato de Vida de Tondela
Técnico de Ambulância de Emergência: Tiago Morais
Enfermeiro: Alberto Ferreira

Viatura Médica de Emergência e Reanimação de Viseu
Enfermeiro: Nelson Martins
Médico: Joana Carvalho


por INEM

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 01:10

Quinta-feira, 17.11.11

Regimento Sapadores Promovem Rescue Challenge Lisboa 2011


Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 01:09

Quinta-feira, 17.11.11

Voluntáriamente Feliz

A sessão pública de lançamento do livro será será no dia 18-12-2011 pelas 16h00m na Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Azambuja.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 01:08

Quinta-feira, 17.11.11

Voluntáriamente Feliz

A sessão pública de lançamento do livro será será no dia 18-12-2011 pelas 16h00m na Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Azambuja.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 01:08


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930




Tags

mais tags