Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

diariobombeiro



Domingo, 13.02.11

Bombeiros fazem o que ninguém pode imaginar!... por Steve Rudolph

Quando você pensa de um bombeiro resgatar alguém de uma casa, a maioria das pessoas pensa em um esforço heróico com fogo e fumaça em torno tanto herói e vítima. Esse cenário pode acontecer e é o que as pessoas normalmente vêem quando imagem de um bombeiro fazendo seu trabalho.

Mais comum no entanto, é o trabalho menos heróica do movimento vítimas indefesas do seu quarto depois de ter colocado lá por vários dias em sua própria sujeira.

Enquanto o primeiro cenário é o romântico, o segundo acontece diariamente. Tenho ouvido muitas vezes como eu sou corajoso de ir para uma casa em chamas para salvar uma vítima ou extinguir um incêndio. Aqueles que dizem que este não tem ideia do que é como ir a um desordenado, fedendo casa, infestada de vermes para encontrar uma vítima de £ 400-encontrando-se em fezes e urina.

Essas pessoas são tão indefeso como uma vítima de um incêndio e muito mais comum. No Departamento Fire Jackson respondemos aos apelos destas pessoas centenas de vezes por ano. Às vezes a mesma pessoa que vai chamar duas vezes por dia.

O anúncio que mostra a senhora chamar a monitorar a saúde e dizendo, "eu caí e eu não posso me levantar", é uma ocorrência comum. Infelizmente, a senhora em que o comercial é muito abaixo do peso médio da maioria das pessoas que responder nessa situação.

À chegada, a casa tem um cheiro forte. A casa é um risco de incêndio desordenado completa com um elogio cheio de baratas. É quando você quebrar o selo que você ganhar o seu dinheiro. O que você cheira à chegada é leve em comparação com o cheiro que domina quando você mover a vítima. Mover a pessoa é quebrar o selo. Tivemos socorristas começam ânsia de vomito e levantando imediatamente após o rompimento do lacre.

Normalmente, a maca não pode ser movida para cima ao lado da vítima. A vítima deve ser movida. TNão existem alças de um corpo humano adulto. Eles têm de ser enrolado, arrastada ou empurrada para algo com que a realiza-las. Se eles estão lá em cima os desafios se multiplicam. Muitos estão com dor severa. Suas pernas e pés estão inchados irreconhecível. Alguns tornozelos são 18 centímetros de diâmetro. Mesmo toque mais leve em suas pernas e pés envia-los em uivos de dor. Como socorrista, todos nós podemos fazer é perseverar. Você não pode ignora-lo e você nunca esquece.

Estas pessoas fazem parte da população esquecida que mais sofrem com o desaparecimento do corpo de bombeiros. Eles são as pessoas sem voz. Os resgates acima descritos são uma fracção das 5.000 chamadas que fazemos a cada ano. As pessoas nos chamam quando eles estão desesperados e precisam de ajuda. Muitas pessoas vivem suas vidas à beira do desespero.

Pessoas sem rede estão lá fora, lidando com a vida da melhor maneira possível. Eles foram doutrinados para chamar o 911 para uma emergência. Muitas coisas na vida constitui uma emergência. Seu corpo de bombeiros responde a essas chamadas. Esta cidade pode querer acabar com este departamento, mas alguém vai ter de responder a essas pessoas. Quem vai fazer isso?

Para trabalhar no serviço de emergência é uma ocupação orgulhoso, embora ele raramente é o que Hollywood faz-se. Gostaria de ver o gerente ou o prefeito responde por um dia para as chamadas que considerem importante. Eles podem se perguntar: Quem vai voluntário para quebrar o selo?

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:19

Domingo, 13.02.11

Bombeiros - UMA FORÇA A ENFRAQUECER

Está a aproximar-se a época que mais trabalho dá aos bombeiros. Apesar de ser uma altura que implica um aumento do contingente operacional de bombeiros, também se aumenta ás forças de combate aos incêndios, quer militares, quer civis.
O distrito de Bragança não foge á regra, e também se incluem essas diversas forças, sendo o único distrito que não dispõe de FEB´s, e meio aéreos pesados de combate a incêndios.Umas das forças instituídas no passado ano de 2008 foram os GIPS da GNR. Estes tem como missão executar acções de prevenção e de intervenção de primeira linha em todo o território nacional, em situações de emergência de protecção e socorro, designadamente nas ocorrências de incêndios florestais ou de matérias perigosas, catástrofes ou acidentes graves, que em Bragança apenas dispõem de meios para vigilância e combate a incêndios florestais. Estes grupos, que tanto fizeram temer aos bombeiros, são na realidade um complemento imprescindível no combate as chamas no Distrito de Bragança. Nos passados meses de Fevereiro e Março, os GIPS tiveram que acarretar com praticamente todas as ignições do distrito, visto serem os únicos com dispositivos em prontidão. Estes mesmos elementos têm duas bases no distrito, uma em Bornes (Alfandega da Fé) e outra na Nogueira (Bragança), conhecendo eu a realidade destes últimos, que possuem duas pick-ups tipo VLCI´s. Já me encontrei com equipas de GIPS com cargas horárias superiores a 48h de serviço sem rendição, tomei conhecimento que estes elementos perderam vários subsídios, como por exemplo, o subsidio de guias de marcha e o subsidio de batalhão, acabando por perder a principal regalia de pertencerem a um corpo profissional de protecção civil, e criando algum mal-estar e desagrado no seio destes profissionais.Alguns militares são obrigados à desistência de pertencerem aos GIPS. Voltando a falar daquilo que já há muito tempo, nós bombeiros comentamos sobre GNR´s não terem a “essência”, talvez inata até, do que é ser bombeiro, “adoçarem a boca” aos militares durante a criação destas equipas e depois de enraizadas tirarem-lhe os benefícios que possuíam, acabará por prejudicar a reestruturação da Protecção Civil em Portugal, deixando os bombeiros de novo sozinhos. A maioria destes militares desistentes confessa que prefere andar de farda limpa, com horário de trabalho e ter tempo de descanso, que pelo mesmo salário andarem sujos, sem horário concreto de trabalho, a correr de um lado para o outro, porque a AAP´s deles será geralmente o equivalente a um distrito. Estas medidas reflectem-se no combate e desde á algum tempo para cá que os tenho visto a deslocar com 3 a 4 elementos em cada viatura, não preenchendo a guarnição total das mesmas, que no caso de primeira intervenção irá influenciar negativamente as operações. O contingente do GIPS de Bragança, que foi colocado ao serviço do distrito iniciou com cerca 70 elementos, onde neste momento pode contar com cerca de 40 operacionais. Para o ano de 2009, já se coloca em causa a possibilidade de ser outro organismo, que não os GIPS, de assegurar meio aéreo do CMA de Nogueira. Quanto ao trabalho nos teatros de operações, estes elementos tem sido eficazes, mostrando por parte das hierarquias mais baixas algum companheirismo, contrariando assim as opiniões do ano passado, em que se falava em autoritarismo e falta de humildade. Nota-se crescentemente um dinamismo de equipa no combate às chamas por parte dos bombeiros e dos GIPS.Mas a principal questão é a seguinte: os GIPS apresentaram em 2008, a nível nacional, um sucesso nas operações de 98.31%. No distrito de Bragança, em Bornes um sucesso de 96.55%, e na Nogueira um sucesso de 98.61%, e quem lucra com isto é o distrito de Bragança, mas será que este ano, com todas estas questões de desfavorecimento pessoal dos elementos GIPS, conseguirão taxas de sucesso tão elevadas? Com o investimento inicial que fizeram para os GIPS, será compensatória esta poupança/redução de custos exagerada? Não querendo com a desgraça dos outros fazer minhas graças, pois não tirarão os bombeiros para dar aos GIPS, mas concerteza se não retomarem as medidas anteriores, os GIPS serão uma força a enfraquecer, e menos um apoio para nós Bombeiros!
 
in: Bombeiros.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:12

Domingo, 13.02.11

Bombeiros alemães arriscam vida para salvar... cisne de plástico

Uma equipa de 25 bombeiros arriscou a vida para salvar… um cisne de plástico. O insólito caso ocorreu em Straubing, na Alemanha, na sequência de vários telefonemas paro número de emergência nacional dando conta de um cisne preto preso num algo gelado, segundo a edição inglesa do jornal Metro. Um dos bombeiros disse ao jornal: “A informação era muito imprecisa. Tivemos que procurar por muito tempo até encontrarmos o local. Por mero acaso, conseguimos detectar o cisne no meio do lago. O gelo não era muito espesso, o que fez com que a operação de resgate fosse perigosa”. Ainda segundo o mesmo bombeiro: “Quando chegámos ao local, verificámos que afinal se tratava de um ganso de plástico, que os pescadores deixaram no lago para assustar os pássaros”. E acrescentou: “Felizmente, ninguém se feriu e, ao menos, treinámos um pouco”.

in: JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:09

Domingo, 13.02.11

Cantanhede: Morto há Meses e com Cabeça Separada do Corpo [Com Videos]

Um reformado do Exército, de 71 anos, foi encontrado morto na casa onde vivia sozinho, em Balsas, Febres, no concelho de Cantanhede. Um vizinho comunicou à GNR que não o via há três meses. É o segundo caso, numa semana. 

"Assim que recebemos a denúncia, foi, imediatamente, uma patrulha para o local", disse o 2.º comandante do Destacamento Territorial de Cantanhede da GNR, Cláudio Lopes. José de Jesus Jerónimo foi encontrado, anteontem, já cadáver, em adiantado estado de decomposição. O seu cão estava vivo e, aparentemente, ter-se-á alimentado dos restos mortais do dono.


 Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa.






 
in: JN
video: SIC

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:59

Domingo, 13.02.11

Foram Encontrados mais Dois Idosos Mortos em Casa

Um homem de 71 anos foi encontrado morto na sua residência, ontem, por elementos da GNR de Cantanhede. O alerta foi dado por um vizinho que não o via há três meses. O homem, reformado do exército, morava sozinho na localidade de Balsas, concelho de Cantanhede. Ainda ontem, os bombeiros de Matosinhos também encontraram sem vida um homem de 80 anos, que os vizinhos estranharam por não o ver há mais de uma semana

O septuagenário, que estaria morto há três meses, foi encontrado pelas autoridades na sua habitação, no concelho de Cantanhede. "O idoso vivia sozinho e não era visto há três meses", afirmou à Lusa fonte do Comando Distrital da GNR de Coimbra. Como "não há suspeita de crime", os agentes da Polícia Judiciária de Coimbra não chegaram a deslocar-se à residência

Os vizinhos do homem, que raramente recebia visitas de familiares, alertaram o Destacamento Territorial da GNR de Cantanhede, que se dirigiram à habitação e encontraram o corpo na cama, em avançado estado de decomposição. O cadáver foi transportado para o Gabinete Médico-Legal do Hospital Distrital da Figueira da Foz.

Também ontem, os Bombeiros de Matosinhos encontraram sem vida um homem de 80 anos, solteiro, em São Mamede Infesta. O homem morava sozinho e havia vivido em França durante muitos anos.

Os vizinhos estranharam não o ver há mais de uma semana e ficaram inquietos por ver uma luz na sala constantemente acesa. O corpo em estado de decomposição foi levado para o Instituto de Medicina Legal do Porto.

Na terça-feira, o corpo de uma mulher que terá falecido há nove anos foi encontrado no seu apartamento da Rinchoa, concelho de Sintra.

O cadáver da idosa, desaparecida desde 2002, foi encontrado pela PSP, chamada ao local a pedido da nova proprietária, que adquiriu o imóvel num leilão realizado pelas Finanças.

Neste caso, uma vizinha alertou a polícia meses após não ver a mulher e um primo tentou por 13 vezes autorização do tribunal para entrar em sua casa.

in: RTP

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:59

Domingo, 13.02.11

Cantanhede: Morto há Meses e com Cabeça Separada do Corpo [Com Videos]

Um reformado do Exército, de 71 anos, foi encontrado morto na casa onde vivia sozinho, em Balsas, Febres, no concelho de Cantanhede. Um vizinho comunicou à GNR que não o via há três meses. É o segundo caso, numa semana. 

"Assim que recebemos a denúncia, foi, imediatamente, uma patrulha para o local", disse o 2.º comandante do Destacamento Territorial de Cantanhede da GNR, Cláudio Lopes. José de Jesus Jerónimo foi encontrado, anteontem, já cadáver, em adiantado estado de decomposição. O seu cão estava vivo e, aparentemente, ter-se-á alimentado dos restos mortais do dono.


 Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa.






 
in: JN
video: SIC

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:59

Domingo, 13.02.11

Foram Encontrados mais Dois Idosos Mortos em Casa

Um homem de 71 anos foi encontrado morto na sua residência, ontem, por elementos da GNR de Cantanhede. O alerta foi dado por um vizinho que não o via há três meses. O homem, reformado do exército, morava sozinho na localidade de Balsas, concelho de Cantanhede. Ainda ontem, os bombeiros de Matosinhos também encontraram sem vida um homem de 80 anos, que os vizinhos estranharam por não o ver há mais de uma semana

O septuagenário, que estaria morto há três meses, foi encontrado pelas autoridades na sua habitação, no concelho de Cantanhede. "O idoso vivia sozinho e não era visto há três meses", afirmou à Lusa fonte do Comando Distrital da GNR de Coimbra. Como "não há suspeita de crime", os agentes da Polícia Judiciária de Coimbra não chegaram a deslocar-se à residência

Os vizinhos do homem, que raramente recebia visitas de familiares, alertaram o Destacamento Territorial da GNR de Cantanhede, que se dirigiram à habitação e encontraram o corpo na cama, em avançado estado de decomposição. O cadáver foi transportado para o Gabinete Médico-Legal do Hospital Distrital da Figueira da Foz.

Também ontem, os Bombeiros de Matosinhos encontraram sem vida um homem de 80 anos, solteiro, em São Mamede Infesta. O homem morava sozinho e havia vivido em França durante muitos anos.

Os vizinhos estranharam não o ver há mais de uma semana e ficaram inquietos por ver uma luz na sala constantemente acesa. O corpo em estado de decomposição foi levado para o Instituto de Medicina Legal do Porto.

Na terça-feira, o corpo de uma mulher que terá falecido há nove anos foi encontrado no seu apartamento da Rinchoa, concelho de Sintra.

O cadáver da idosa, desaparecida desde 2002, foi encontrado pela PSP, chamada ao local a pedido da nova proprietária, que adquiriu o imóvel num leilão realizado pelas Finanças.

Neste caso, uma vizinha alertou a polícia meses após não ver a mulher e um primo tentou por 13 vezes autorização do tribunal para entrar em sua casa.

in: RTP

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:59

Domingo, 13.02.11

Barcelos: Bombeiros Ajudam Menina a Nascer em Ambulância

Mais dois bombeiros foram bombeiros parteiros.

Ontem, foram chamados para uma emergência em plena A28: uma mulher que ia com o marido para o hospital estava em trabalho de parto.

O casal saiu de casa e ainda tentou fazer a viagem para o Hospital de S. João, Porto, mas não houve tempo para chegar e o parto aconteceu em plena A28.

Uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Barcelinhos, Barcelos, foi chamada ao local e os bombeiros já só tiveram tempo colocar a mulher na ambulância em plena A28 e fazer o parto, ali mesmo.
in: BP

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:58

Domingo, 13.02.11

Castelo Branco: Mais Capacidade Com Menos Meios

Este ano, os meios aéreos de combate a fogos florestais no distrito de Castelo Branco devem passar de 7 para 5, mas com características diferentes de anos anteriores.

De acordo com a governadora civil de Castelo Branco, o distrito terá, pela primeira vez, dois meios pesados que ficarão localizados na pista da Moitas em Proença-a-Nova, que acolherá também um avião ligeiro. Covilhã e Castelo Branco terão um meio aéreo disponível.

Embora não esteja ainda decidido, este vai ser o dispositivo que o distrito contará este ano na denominada fase critica de combate a fogos florestais

“Em principio serão meios aéreos completamente diferentes. Vão existir dois meios aéreos pesados, o que nunca aconteceu no distrito. Podem não ser 7, podem ser 5 mas com mais litros de água disponíveis a cada momento, a par dos meios rápidos instalados na Covilhã, Castelo Branco e Proença-a-Nova. Em termos práticos penso que vamos ficar melhor”, refere a governadora civil.

Declarações de Alzira Serrasqueiro à margem da cerimónia de homologação do protocolo de cedência de duas novas viaturas para os bombeiros do Fundão e de Cernache do Bonjardim, realizada esta manhã em Castelo Branco.

A cerimónia foi presidida pelo secretário de estado da protecção civil. Vasco Franco foi cauteloso quanto aos meios aéreos disponíveis em 2011, para combate aos incêndios. Face às restrições financeiras, o governante não escondeu as dificuldades que está a tentar ultrapassar para que o país tenha em 2011 o dispositivo de meios aéreos adequados.

De acordo com Vasco Franco, o montante financeiro do MAI para esta área é idêntico a 2010, mas na lei do orçamento foram estabelecidas restrições ao uso de determinadas verbas

“Estou a fazer tudo o que está ao meu alcance para ultrapassar a situação. Todos sabemos que seria um temeridade e uma irresponsabilidade não termos no Verão os meios adequados. Eu não cometerei essa irresponsabilidade”, garantiu o secretário de estado da protecção civil.

Depois das novas viaturas para o Fundão e Cernache do Bonjardim, seguem-se Covilhã, Sertã( com veículos florestais de combate a incêndios) e Belmonte com um veículo tanque táctico.

in: rcb.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:58

Domingo, 13.02.11

Barcelos: Bombeiros Ajudam Menina a Nascer em Ambulância

Mais dois bombeiros foram bombeiros parteiros.

Ontem, foram chamados para uma emergência em plena A28: uma mulher que ia com o marido para o hospital estava em trabalho de parto.

O casal saiu de casa e ainda tentou fazer a viagem para o Hospital de S. João, Porto, mas não houve tempo para chegar e o parto aconteceu em plena A28.

Uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Barcelinhos, Barcelos, foi chamada ao local e os bombeiros já só tiveram tempo colocar a mulher na ambulância em plena A28 e fazer o parto, ali mesmo.
in: BP

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:58

Domingo, 13.02.11

Castelo Branco: Mais Capacidade Com Menos Meios

Este ano, os meios aéreos de combate a fogos florestais no distrito de Castelo Branco devem passar de 7 para 5, mas com características diferentes de anos anteriores.

De acordo com a governadora civil de Castelo Branco, o distrito terá, pela primeira vez, dois meios pesados que ficarão localizados na pista da Moitas em Proença-a-Nova, que acolherá também um avião ligeiro. Covilhã e Castelo Branco terão um meio aéreo disponível.

Embora não esteja ainda decidido, este vai ser o dispositivo que o distrito contará este ano na denominada fase critica de combate a fogos florestais

“Em principio serão meios aéreos completamente diferentes. Vão existir dois meios aéreos pesados, o que nunca aconteceu no distrito. Podem não ser 7, podem ser 5 mas com mais litros de água disponíveis a cada momento, a par dos meios rápidos instalados na Covilhã, Castelo Branco e Proença-a-Nova. Em termos práticos penso que vamos ficar melhor”, refere a governadora civil.

Declarações de Alzira Serrasqueiro à margem da cerimónia de homologação do protocolo de cedência de duas novas viaturas para os bombeiros do Fundão e de Cernache do Bonjardim, realizada esta manhã em Castelo Branco.

A cerimónia foi presidida pelo secretário de estado da protecção civil. Vasco Franco foi cauteloso quanto aos meios aéreos disponíveis em 2011, para combate aos incêndios. Face às restrições financeiras, o governante não escondeu as dificuldades que está a tentar ultrapassar para que o país tenha em 2011 o dispositivo de meios aéreos adequados.

De acordo com Vasco Franco, o montante financeiro do MAI para esta área é idêntico a 2010, mas na lei do orçamento foram estabelecidas restrições ao uso de determinadas verbas

“Estou a fazer tudo o que está ao meu alcance para ultrapassar a situação. Todos sabemos que seria um temeridade e uma irresponsabilidade não termos no Verão os meios adequados. Eu não cometerei essa irresponsabilidade”, garantiu o secretário de estado da protecção civil.

Depois das novas viaturas para o Fundão e Cernache do Bonjardim, seguem-se Covilhã, Sertã( com veículos florestais de combate a incêndios) e Belmonte com um veículo tanque táctico.

in: rcb.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:58

Domingo, 13.02.11

Comitiva luxemburguesa Formou Bombeiros no Cadaval Após Cedência de Auto-Escada por Autarquia de Kayl, no Luxemburgo

Deslocou-se nos passados dias 22 e 23 de Janeiro, ao Cadaval, uma comitiva de quatro elementos da Protecção Civil de Kayl - Luxemburgo, com o objectivo de ministrar formação aos Bombeiros Voluntários do Cadaval, no manuseamento de um veículo auto-escada cedido pela autarquia de Kayl.
A equipa luxemburguesa, composta por três operacionais dos bombeiros e um elemento de polícia, teve oportunidade de conhecer um pouco do concelho do Cadaval - sua história e principais actividades económicas, numa breve visita realizada à serra de Montejunto, Museu Municipal, Núcleo Museológico do Moinho das Castanholas, Adega Cooperativa do Cadaval e COOPVAL - estação fruteira.

O dia de sábado foi exclusivamente reservado à formação sobre o manuseamento da viatura auto-escada, nas vertentes teórica e prática. A mesma foi ministrada no quartel da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Cadaval (AHBVC) e complementada com a criação de alguns cenários reais em edifícios da vila, para testar a capacidade desta nova ferramenta ao serviço dos bombeiros e da população do concelho.

No final, Aristides Sécio, presidente da Câmara Municipal do Cadaval, teve oportunidade de manifestar o seu agradecimento por mais este contributo da comunidade de Kayl para a melhoria da resposta dos agentes de Protecção Civil do Cadaval.

Também os BVC evidenciavam satisfação em poder receber os seus congéneres luxemburgueses e poder também partilhar as suas experiências e conhecimento, numa acção que decorreu em ambiente de boa disposição e em que a evidente barreira linguística não constituiu qualquer dificuldade.

Bombeiros do Cadaval reforçados com viatura auto-escada

A visita da comitiva luxemburguesa ao Cadaval vem na sequência da cedência de um veículo auto-escada por parte da autarquia luxemburguesa de Kayl, viatura que veio reforçar o parque de viaturas dos BVC.

Foi no passado dia 19 de Novembro que o presidente da Câmara Municipal, Aristides Sécio, se deslocou a Kayl, acompanhado do actual comandante dos BVC, Luís Gaspar, e de um director da AHBVC, para participar na cerimónia de entrega da viatura auto-escada, cedida ao município do Cadaval pela “commune de Kayl”, sua congénere no Luxemburgo.

A entrega decorreu no quartel de bombeiros de Kayl, com a celebração de um contrato de venda de valor simbólico ao município do Cadaval. O veículo seria, depois, formalmente cedido à AHBVC, na reunião de câmara de 7 de Dezembro.

Foi há cerca de dois anos que se iniciaram os contactos entre o cidadão cadavalense Amílcar Caetano (residente no Luxemburgo e com responsabilidades na autarquia luxemburguesa), o edil cadavalense e o então comandante dos BVC, José Carlos Caetano, acerca da possibilidade de cedência da viatura, que já se encontra ao serviço da população local.

in: AlvoradaOnline

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:57

Domingo, 13.02.11

“Se Estás Mal a Valer… o 112 Vai-te Atender!”

A sessão de sensibilização dos alunos da Escola EB 2,3 Eugénio de Castro sobre o 112, número de emergência que celebra 20 anos, realizou-se esta sexta-feira (dia 11). O pequeno número, partilhado pelos 27 países da União Europeia, permite hoje salvar muitas vidas.

Só na região Centro, no ano passado, registaram-se mais de 343 mil chamadas, com “uma média de 940 por dia”, revela Jody Rato, técnico e formador do INEM. Isto tendo em conta que existem centros que atendem até 120 chamadas em simultâneo.

O problema é que apenas 23 por cento destes pedidos de ajuda são verdadeiras emergências, como mostram os dados. E a sessão serviu também para ensinar isso aos mais novos. Isso e muito mais.

in: asbeiras.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:57

Domingo, 13.02.11

“Se Estás Mal a Valer… o 112 Vai-te Atender!”

A sessão de sensibilização dos alunos da Escola EB 2,3 Eugénio de Castro sobre o 112, número de emergência que celebra 20 anos, realizou-se esta sexta-feira (dia 11). O pequeno número, partilhado pelos 27 países da União Europeia, permite hoje salvar muitas vidas.

Só na região Centro, no ano passado, registaram-se mais de 343 mil chamadas, com “uma média de 940 por dia”, revela Jody Rato, técnico e formador do INEM. Isto tendo em conta que existem centros que atendem até 120 chamadas em simultâneo.

O problema é que apenas 23 por cento destes pedidos de ajuda são verdadeiras emergências, como mostram os dados. E a sessão serviu também para ensinar isso aos mais novos. Isso e muito mais.

in: asbeiras.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:57

Domingo, 13.02.11

Comitiva luxemburguesa Formou Bombeiros no Cadaval Após Cedência de Auto-Escada por Autarquia de Kayl, no Luxemburgo

Deslocou-se nos passados dias 22 e 23 de Janeiro, ao Cadaval, uma comitiva de quatro elementos da Protecção Civil de Kayl - Luxemburgo, com o objectivo de ministrar formação aos Bombeiros Voluntários do Cadaval, no manuseamento de um veículo auto-escada cedido pela autarquia de Kayl.
A equipa luxemburguesa, composta por três operacionais dos bombeiros e um elemento de polícia, teve oportunidade de conhecer um pouco do concelho do Cadaval - sua história e principais actividades económicas, numa breve visita realizada à serra de Montejunto, Museu Municipal, Núcleo Museológico do Moinho das Castanholas, Adega Cooperativa do Cadaval e COOPVAL - estação fruteira.

O dia de sábado foi exclusivamente reservado à formação sobre o manuseamento da viatura auto-escada, nas vertentes teórica e prática. A mesma foi ministrada no quartel da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Cadaval (AHBVC) e complementada com a criação de alguns cenários reais em edifícios da vila, para testar a capacidade desta nova ferramenta ao serviço dos bombeiros e da população do concelho.

No final, Aristides Sécio, presidente da Câmara Municipal do Cadaval, teve oportunidade de manifestar o seu agradecimento por mais este contributo da comunidade de Kayl para a melhoria da resposta dos agentes de Protecção Civil do Cadaval.

Também os BVC evidenciavam satisfação em poder receber os seus congéneres luxemburgueses e poder também partilhar as suas experiências e conhecimento, numa acção que decorreu em ambiente de boa disposição e em que a evidente barreira linguística não constituiu qualquer dificuldade.

Bombeiros do Cadaval reforçados com viatura auto-escada

A visita da comitiva luxemburguesa ao Cadaval vem na sequência da cedência de um veículo auto-escada por parte da autarquia luxemburguesa de Kayl, viatura que veio reforçar o parque de viaturas dos BVC.

Foi no passado dia 19 de Novembro que o presidente da Câmara Municipal, Aristides Sécio, se deslocou a Kayl, acompanhado do actual comandante dos BVC, Luís Gaspar, e de um director da AHBVC, para participar na cerimónia de entrega da viatura auto-escada, cedida ao município do Cadaval pela “commune de Kayl”, sua congénere no Luxemburgo.

A entrega decorreu no quartel de bombeiros de Kayl, com a celebração de um contrato de venda de valor simbólico ao município do Cadaval. O veículo seria, depois, formalmente cedido à AHBVC, na reunião de câmara de 7 de Dezembro.

Foi há cerca de dois anos que se iniciaram os contactos entre o cidadão cadavalense Amílcar Caetano (residente no Luxemburgo e com responsabilidades na autarquia luxemburguesa), o edil cadavalense e o então comandante dos BVC, José Carlos Caetano, acerca da possibilidade de cedência da viatura, que já se encontra ao serviço da população local.

in: AlvoradaOnline

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:57

Domingo, 13.02.11

Bombeiros Feridos em Incêndio já Tiveram Alta

Escada vergou e feriu bombeiros
Os dois bombeiros que ficaram feridos no combate ao incêndio que deflagrou anteontem à noite num edifício no centro de Ponta Delgada, nos Açores, já tiveram alta e estão a recuperar.

Um dos homens partiu um braço e o outro sofreu escoriações, depois de caírem de uma escada que estava a ser usada no combate ao incêndio, que vergou ao meio, segundo explicou ao CM João Melo, comandante da Associação de Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada.

O incêndio deflagrou pelas 21h30, ainda por razões desconhecidas. O edifício estava em obras e tinha albergado a sede da RTP--Açores. Ficou totalmente destruído no interior, mas não vai ser demolido, segundo João Melo. No combate às chamas foi utilizada água do mar.

in: CM

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:56

Domingo, 13.02.11

Elvas: Bombeiros Voluntários Receberam Três Novos Fatos de Cidadã Anónima

Os três novos fatos especiais de combate a incêndios dos Bombeiros de Elvas
Uma cidadã de Elvas, que prefere o anonimato, ofereceu aos Bombeiros Voluntários da cidade três fatos especiais de combate a incêndios, num valor total de 1.800 euros, revelou João Bugio, presidente da direcção da corporação elvense.
Este gesto surgiu na sequência da trágica morte de uma jovem bombeira de 21 anos que faleceu em Agosto passado quando combatia, ao serviço de uma corporação voluntária de Lourosa, um incêndio em Monte Meda, Gondomar.

in: linhaselvas

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:56

Domingo, 13.02.11

Bombeiros Feridos em Incêndio já Tiveram Alta

Escada vergou e feriu bombeiros
Os dois bombeiros que ficaram feridos no combate ao incêndio que deflagrou anteontem à noite num edifício no centro de Ponta Delgada, nos Açores, já tiveram alta e estão a recuperar.

Um dos homens partiu um braço e o outro sofreu escoriações, depois de caírem de uma escada que estava a ser usada no combate ao incêndio, que vergou ao meio, segundo explicou ao CM João Melo, comandante da Associação de Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada.

O incêndio deflagrou pelas 21h30, ainda por razões desconhecidas. O edifício estava em obras e tinha albergado a sede da RTP--Açores. Ficou totalmente destruído no interior, mas não vai ser demolido, segundo João Melo. No combate às chamas foi utilizada água do mar.

in: CM

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:56

Domingo, 13.02.11

Elvas: Bombeiros Voluntários Receberam Três Novos Fatos de Cidadã Anónima

Os três novos fatos especiais de combate a incêndios dos Bombeiros de Elvas
Uma cidadã de Elvas, que prefere o anonimato, ofereceu aos Bombeiros Voluntários da cidade três fatos especiais de combate a incêndios, num valor total de 1.800 euros, revelou João Bugio, presidente da direcção da corporação elvense.
Este gesto surgiu na sequência da trágica morte de uma jovem bombeira de 21 anos que faleceu em Agosto passado quando combatia, ao serviço de uma corporação voluntária de Lourosa, um incêndio em Monte Meda, Gondomar.

in: linhaselvas

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:56

Domingo, 13.02.11

Fachadas Principais de Edifício Destruído por Incêndio “não Oferecem Risco de Derrocada”

Adicionar legenda
As fachadas principais do prédio no centro de Ponta Delgada, que sexta-feira à noite ficou destruído na sequência de um violento incêndio, “não oferecem risco de derrocada”, disse o serviço municipal de Proteção Civil.
“Durante o dia de hoje foi realizada uma nova avaliação profunda e verificou-se que a parte estrutural do edifício (as fachadas principais) não oferecem risco de derrocada, como resultado do incêndio”, disse o coordenador geral do serviço municipal de Protecção Civil de Ponta Delgada, Pedro Azevedo, em declarações à Lusa.
Depois de uma primeira avaliação após o incêndio, o responsável precisou que hoje foi realizada uma nova vistoria por “técnicos de engenharia civil e proteção civil”, tendo estado também no local “a Policia Judiciária (PJ) que fez um levantamento para apurar as causas do incêndio”.
Pedro Azevedo disse que “a avaliação atual” indica que “as fachadas principais não oferecem risco de derrocada”, mas como “medida de precaução estão a ser retirados alguns elementos soltos”, nomeadamente telhas do beiral e estruturas de madeira da cobertura, um trabalho que “está a ser finalizado”.
Ainda durante a tarde de hoje os responsáveis admitem reabrir a via à circulação.
“Após a retirada destes elementos soltos pretende-se abrir a rua à circulação pedonal e de veículos”, referiu o coordenador do serviço municipal de Protecção Civil, alertando, no entanto, que a circulação de pessoas “será apenas feita no passeio contrário ao edifício” que ardeu.
Pedro Azevedo acrescentou à Lusa que vai também ser colocado no edifício “uma vedação na fachada”.
O incêndio, que deflagrou na sexta-feira à noite e cujas causas ainda são desconhecidas, foi combatido por 65 bombeiros e 15 viaturas, de três corporações.
Apesar da violência do fogo, os bombeiros conseguiram evitar que as chamas se propagassem aos edifícios contíguos, mas no combate ocorreu um acidente que provocou ferimentos em dois bombeiros, um dos quais sofreu uma fratura num dos pulsos, enquanto o outro teve escoriações ligeiras.
O edifício, que foi sede da RTP/Açores e onde chegou a funcionar a delegação dos Açores da Lusa, estava em obras e ficou totalmente destruído no interior.

in: RA

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:55

Domingo, 13.02.11

Armazém em Chamas Ameaçou Habitações


Um armazém usado para lacagem de móveis foi esta quarta-feira totalmente consumido pelas chamas, que ameaçaram habitações, em Alfena, Valongo. No interior, estavam diluentes, tintas e garrafas de gás, que explodiram, obrigando à intervenção de 60 bombeiros e 11 viaturas.
O armazém quase já não era usado para lacagem. A actividade estava parada e os trabalhadores no desemprego. O filho do proprietário ficou sem os dois carros que ali se encontravam. E a casa de outra filha foi ameaçada pelo fogo, que começou cerca das 20.40 horas. Porém, as habitações contíguas apenas foram chamuscadas pelas chamas.
Num cenário negro, estavam 60 membros de quatro corporações e com 11 carros estacionados no local, dos Bombeiros da Areosa, Valongo, Ermesinde e Tirsense. Aos bombeiros que foram chamados ao local, outros foram juntando-se ao longo da noite para ajudar. À volta, estavam familiares do dono, amigos, vizinhos e outros populares que correram para o local para ver o incêndio.
"Isto é um armazém onde fazem lacagem de móveis" e que, por isso, precisa de "gás, diluentes e tintas", explicou, ao JN, o comandante dos Bombeiros de Ermesinde, Carlos Teixeira. A primeira preocupação, garantiu, foi retirar as garrafas de gás do armazém. Mas "algumas rebentaram". Conseguiram retirar "três grandes de 45 quilos e mais de uma dezena das mais pequenas".
Quando chegou ao local, o comandante já encontrou tudo em chamas. E as garrafas continuavam a explodir. Demoraram cerca de uma hora a controlar o incêndio mas a casa ao lado apenas ficou manchada de negro na lateral que fica junto ao armazém. Na habitação seguinte, a noite também foi de grande susto e o cheiro a fumo continuava a alastrar horas depois. Os moradores esperaram na rua.
Com o armazém arderam um jipe e uma carrinha do filho do proprietário do armazém. Paulo Carvalho, de 38 anos, contou ao JN que "estava a cinco quilómetros" do local quando foi avisado.
"Pode ter sido curto-circuito", sugeriu, explicando que o espaço já só funcionava "uma vez por semana" devido ao "pouco trabalho". E não estava a funcionar no momento do incêndio, disse. Paulo deixou de trabalhar ali há oito anos. E conta que os funcionários estão no desemprego.
A irmã, explicou Paulo, mora na casa ao lado. Feliz por não haver feridos, tem a lamentar o jipe e a carrinha que ali tinha guardados. Esta ia ser pintada. O pai estava no local mas sem condições para falar. Por volta das 23 horas, as causas do fogo estavam ainda por apurar, segundo o comandante dos Bombeiros de Ermesinde.

in: JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:55

Domingo, 13.02.11

Fachadas Principais de Edifício Destruído por Incêndio “não Oferecem Risco de Derrocada”

Adicionar legenda
As fachadas principais do prédio no centro de Ponta Delgada, que sexta-feira à noite ficou destruído na sequência de um violento incêndio, “não oferecem risco de derrocada”, disse o serviço municipal de Proteção Civil.
“Durante o dia de hoje foi realizada uma nova avaliação profunda e verificou-se que a parte estrutural do edifício (as fachadas principais) não oferecem risco de derrocada, como resultado do incêndio”, disse o coordenador geral do serviço municipal de Protecção Civil de Ponta Delgada, Pedro Azevedo, em declarações à Lusa.
Depois de uma primeira avaliação após o incêndio, o responsável precisou que hoje foi realizada uma nova vistoria por “técnicos de engenharia civil e proteção civil”, tendo estado também no local “a Policia Judiciária (PJ) que fez um levantamento para apurar as causas do incêndio”.
Pedro Azevedo disse que “a avaliação atual” indica que “as fachadas principais não oferecem risco de derrocada”, mas como “medida de precaução estão a ser retirados alguns elementos soltos”, nomeadamente telhas do beiral e estruturas de madeira da cobertura, um trabalho que “está a ser finalizado”.
Ainda durante a tarde de hoje os responsáveis admitem reabrir a via à circulação.
“Após a retirada destes elementos soltos pretende-se abrir a rua à circulação pedonal e de veículos”, referiu o coordenador do serviço municipal de Protecção Civil, alertando, no entanto, que a circulação de pessoas “será apenas feita no passeio contrário ao edifício” que ardeu.
Pedro Azevedo acrescentou à Lusa que vai também ser colocado no edifício “uma vedação na fachada”.
O incêndio, que deflagrou na sexta-feira à noite e cujas causas ainda são desconhecidas, foi combatido por 65 bombeiros e 15 viaturas, de três corporações.
Apesar da violência do fogo, os bombeiros conseguiram evitar que as chamas se propagassem aos edifícios contíguos, mas no combate ocorreu um acidente que provocou ferimentos em dois bombeiros, um dos quais sofreu uma fratura num dos pulsos, enquanto o outro teve escoriações ligeiras.
O edifício, que foi sede da RTP/Açores e onde chegou a funcionar a delegação dos Açores da Lusa, estava em obras e ficou totalmente destruído no interior.

in: RA

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:55

Domingo, 13.02.11

Armazém em Chamas Ameaçou Habitações


Um armazém usado para lacagem de móveis foi esta quarta-feira totalmente consumido pelas chamas, que ameaçaram habitações, em Alfena, Valongo. No interior, estavam diluentes, tintas e garrafas de gás, que explodiram, obrigando à intervenção de 60 bombeiros e 11 viaturas.
O armazém quase já não era usado para lacagem. A actividade estava parada e os trabalhadores no desemprego. O filho do proprietário ficou sem os dois carros que ali se encontravam. E a casa de outra filha foi ameaçada pelo fogo, que começou cerca das 20.40 horas. Porém, as habitações contíguas apenas foram chamuscadas pelas chamas.
Num cenário negro, estavam 60 membros de quatro corporações e com 11 carros estacionados no local, dos Bombeiros da Areosa, Valongo, Ermesinde e Tirsense. Aos bombeiros que foram chamados ao local, outros foram juntando-se ao longo da noite para ajudar. À volta, estavam familiares do dono, amigos, vizinhos e outros populares que correram para o local para ver o incêndio.
"Isto é um armazém onde fazem lacagem de móveis" e que, por isso, precisa de "gás, diluentes e tintas", explicou, ao JN, o comandante dos Bombeiros de Ermesinde, Carlos Teixeira. A primeira preocupação, garantiu, foi retirar as garrafas de gás do armazém. Mas "algumas rebentaram". Conseguiram retirar "três grandes de 45 quilos e mais de uma dezena das mais pequenas".
Quando chegou ao local, o comandante já encontrou tudo em chamas. E as garrafas continuavam a explodir. Demoraram cerca de uma hora a controlar o incêndio mas a casa ao lado apenas ficou manchada de negro na lateral que fica junto ao armazém. Na habitação seguinte, a noite também foi de grande susto e o cheiro a fumo continuava a alastrar horas depois. Os moradores esperaram na rua.
Com o armazém arderam um jipe e uma carrinha do filho do proprietário do armazém. Paulo Carvalho, de 38 anos, contou ao JN que "estava a cinco quilómetros" do local quando foi avisado.
"Pode ter sido curto-circuito", sugeriu, explicando que o espaço já só funcionava "uma vez por semana" devido ao "pouco trabalho". E não estava a funcionar no momento do incêndio, disse. Paulo deixou de trabalhar ali há oito anos. E conta que os funcionários estão no desemprego.
A irmã, explicou Paulo, mora na casa ao lado. Feliz por não haver feridos, tem a lamentar o jipe e a carrinha que ali tinha guardados. Esta ia ser pintada. O pai estava no local mas sem condições para falar. Por volta das 23 horas, as causas do fogo estavam ainda por apurar, segundo o comandante dos Bombeiros de Ermesinde.

in: JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:55

Domingo, 13.02.11

Federação de Bombeiros Preocupada com Cortes

Meios Aéreos
Floresta ficará mais desprotegida e o combate aos fogos será mais perigoso, adverte Jaime Soares
O presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Coimbra acusou o Governo e o ministro da Administração Interna de estarem a dar «verdadeiras machadadas na segurança das vidas e haveres dos portugueses» ao reduzirem o financiamento para «a manutenção no terreno» dos meios aéreos de combate aos fogos florestais.
Em nota à Imprensa, aquela estrutura diz subscrever as preocupações já manifestadas pela Liga de Bombeiros Portugueses com os cortes publicados em resolução do Conselho de Ministros, afirmando a sua «estupefacção e incompreensão» perante uma decisão «tão preocupante como perigosa».
A «diminuição drástica de equipamentos aéreos tornará a floresta menos protegida, com maior retardamento de actuação, o que, inevitavelmente, vem tornar os fogos florestais mais complexos, mais perigosos e mais atreitos à destruição dessa mesma floresta, dos haveres e vidas que lhes estão subjacentes», avisa a federação liderada por Jaime Soares, autarca de Poiares.
Um problema que, refere o comunicado, se agrava com as «consequências dos constantes cortes no apoio aos bombeiros, em viaturas, equipamentos e transportes no sector de saúde – problemas que querem capear com o acesso ao QREN, que não se sabe quando estará resolvido – obrigando os bombeiros a um esforço suplementar, muitas vezes desumano».
Pedido mapa com meios disponíveis

Para a federação, os cortes nos meios aéreos poderão «desmantelar um sistema que, de uma forma ou de outra, vinha remediando muitas das insuficiências que todos os anos se detectavam pela falta de equipamentos mínimos necessários a uma actuação rápida e eficaz, em especial no que toca aos fogos nascentes».
«É aqui, nesta área, que se deve actuar de imediato, pois os fogos só atingem grandes dimensões se não forem extintos enquanto são pequenos», sublinha, lembrando que o «meio aéreo é, por isso, imprescindível nesta actuação primeira, não só pela sua rapidez de acção, como pela facilidade com que actua em muitas zonas inacessíveis aos bombeiros, sejam eles apeados ou em viaturas».
Jaime Soares considera que a floresta «continua desprogramada, desplaneada, desordenada e muita dela abandonada» e exige que seja dado a conhecer «um mapa com critérios rigorosos, onde se informe da quantidade de meios disponíveis e locais onde vão ser instalados» os apoios aéreos.
«Fica esta federação a aguardar, com carácter de urgência, que lhe sejam dados estes esclarecimentos, já que o distrito de Coimbra é de alto risco e não pode, em circunstância alguma, ficar dependente da leviandade dos governantes responsáveis por este sector», conclui o comunicado.

in: DC

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:10

Domingo, 13.02.11

Federação de Bombeiros Preocupada com Cortes

Meios Aéreos
Floresta ficará mais desprotegida e o combate aos fogos será mais perigoso, adverte Jaime Soares
O presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Coimbra acusou o Governo e o ministro da Administração Interna de estarem a dar «verdadeiras machadadas na segurança das vidas e haveres dos portugueses» ao reduzirem o financiamento para «a manutenção no terreno» dos meios aéreos de combate aos fogos florestais.
Em nota à Imprensa, aquela estrutura diz subscrever as preocupações já manifestadas pela Liga de Bombeiros Portugueses com os cortes publicados em resolução do Conselho de Ministros, afirmando a sua «estupefacção e incompreensão» perante uma decisão «tão preocupante como perigosa».
A «diminuição drástica de equipamentos aéreos tornará a floresta menos protegida, com maior retardamento de actuação, o que, inevitavelmente, vem tornar os fogos florestais mais complexos, mais perigosos e mais atreitos à destruição dessa mesma floresta, dos haveres e vidas que lhes estão subjacentes», avisa a federação liderada por Jaime Soares, autarca de Poiares.
Um problema que, refere o comunicado, se agrava com as «consequências dos constantes cortes no apoio aos bombeiros, em viaturas, equipamentos e transportes no sector de saúde – problemas que querem capear com o acesso ao QREN, que não se sabe quando estará resolvido – obrigando os bombeiros a um esforço suplementar, muitas vezes desumano».
Pedido mapa com meios disponíveis

Para a federação, os cortes nos meios aéreos poderão «desmantelar um sistema que, de uma forma ou de outra, vinha remediando muitas das insuficiências que todos os anos se detectavam pela falta de equipamentos mínimos necessários a uma actuação rápida e eficaz, em especial no que toca aos fogos nascentes».
«É aqui, nesta área, que se deve actuar de imediato, pois os fogos só atingem grandes dimensões se não forem extintos enquanto são pequenos», sublinha, lembrando que o «meio aéreo é, por isso, imprescindível nesta actuação primeira, não só pela sua rapidez de acção, como pela facilidade com que actua em muitas zonas inacessíveis aos bombeiros, sejam eles apeados ou em viaturas».
Jaime Soares considera que a floresta «continua desprogramada, desplaneada, desordenada e muita dela abandonada» e exige que seja dado a conhecer «um mapa com critérios rigorosos, onde se informe da quantidade de meios disponíveis e locais onde vão ser instalados» os apoios aéreos.
«Fica esta federação a aguardar, com carácter de urgência, que lhe sejam dados estes esclarecimentos, já que o distrito de Coimbra é de alto risco e não pode, em circunstância alguma, ficar dependente da leviandade dos governantes responsáveis por este sector», conclui o comunicado.

in: DC

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:10

Domingo, 13.02.11

Controlado Fogo em Edifício da RTP/Açores

A água do mar ajudou os bombeiros a combaterem o violento incêndio que destruiu na noite de sexta-feira por completo um antigo edifício da RTP/Açores, no centro de Ponta Delgada, que já se encontra em fase de rescaldo.
O incêndio, que deflagrou pelas 21h30 e cujas causas ainda são desconhecidas, foi combatido por 65 bombeiros, apoiados por 15 viaturas, de três corporações. O fogo entrou em fase de rescaldo cerca de hora e meia depois.

A água utilizada para o combate às chamas foi retirada do mar, através de mangueiras especiais com mais de um quilómetro de extensão, o que permitiu uma maior eficácia no trabalho dos bombeiros. 
Apesar da violência do fogo, os bombeiros conseguiram evitar que as chamas se propagassem aos edifícios contíguos, um dos quais alberga a delegação nos Açores do Tribunal de Contas.

No combate às chamas ocorreu um acidente que provocou ferimentos em dois bombeiros, um dos quais sofreu uma fractura num dos pulsos, enquanto o outro teve apenas escoriações ligeiras.

O edifício, em obras e que foi sede da RTP/Açores, ficou totalmente destruído no interior, sendo que será feita uma avaliação técnica para apurar se há necessidade de proceder à demolição da fachada. 
O presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César, o secretário-regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, José Contente, que tem a tutela da Protecção Civil, e o vice-presidente da Câmara de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, estiveram no local a acompanhar o combate ao incêndio, cujas chamas eram visíveis numa parte grande da cidade.

in: CM

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:06

Domingo, 13.02.11

Controlado Fogo em Edifício da RTP/Açores

A água do mar ajudou os bombeiros a combaterem o violento incêndio que destruiu na noite de sexta-feira por completo um antigo edifício da RTP/Açores, no centro de Ponta Delgada, que já se encontra em fase de rescaldo.
O incêndio, que deflagrou pelas 21h30 e cujas causas ainda são desconhecidas, foi combatido por 65 bombeiros, apoiados por 15 viaturas, de três corporações. O fogo entrou em fase de rescaldo cerca de hora e meia depois.

A água utilizada para o combate às chamas foi retirada do mar, através de mangueiras especiais com mais de um quilómetro de extensão, o que permitiu uma maior eficácia no trabalho dos bombeiros. 
Apesar da violência do fogo, os bombeiros conseguiram evitar que as chamas se propagassem aos edifícios contíguos, um dos quais alberga a delegação nos Açores do Tribunal de Contas.

No combate às chamas ocorreu um acidente que provocou ferimentos em dois bombeiros, um dos quais sofreu uma fractura num dos pulsos, enquanto o outro teve apenas escoriações ligeiras.

O edifício, em obras e que foi sede da RTP/Açores, ficou totalmente destruído no interior, sendo que será feita uma avaliação técnica para apurar se há necessidade de proceder à demolição da fachada. 
O presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César, o secretário-regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, José Contente, que tem a tutela da Protecção Civil, e o vice-presidente da Câmara de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, estiveram no local a acompanhar o combate ao incêndio, cujas chamas eram visíveis numa parte grande da cidade.

in: CM

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:06

Domingo, 13.02.11

Bombeiros de Penela Candidatam-se a VUCI

Os Bombeiros de Penela estão a preparar a candidatura para um Veículo Urbano de Combate a Incêndios no âmbito do QREN- Quadro de Referência e Estratégico Nacional.
Uma viatura que vem colmatar uma necessidade que vem crescendo ao longo do tempo com o avanço de investimento estrutural, no concelho, como habitacional, hoteleiro, turístico, industrial e também nas vias de comunicação como é o caso do novo troço IC3 com características de Auto-Estrada do qual a viatura será também uma mais-valia no combate a incêndios em transportes e equipamentos.

Todos os incêndios deste tipo são combatidos actualmente no concelho por viaturas adaptadas. Uma viatura especializada permitirá o aumento de rapidez e eficiência num combate já que está apetrechado de características particulares nesta área.
 
in: bvpenela

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:02

Domingo, 13.02.11

Bombeiros de Penela Candidatam-se a VUCI

Os Bombeiros de Penela estão a preparar a candidatura para um Veículo Urbano de Combate a Incêndios no âmbito do QREN- Quadro de Referência e Estratégico Nacional.
Uma viatura que vem colmatar uma necessidade que vem crescendo ao longo do tempo com o avanço de investimento estrutural, no concelho, como habitacional, hoteleiro, turístico, industrial e também nas vias de comunicação como é o caso do novo troço IC3 com características de Auto-Estrada do qual a viatura será também uma mais-valia no combate a incêndios em transportes e equipamentos.

Todos os incêndios deste tipo são combatidos actualmente no concelho por viaturas adaptadas. Uma viatura especializada permitirá o aumento de rapidez e eficiência num combate já que está apetrechado de características particulares nesta área.
 
in: bvpenela

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:02

Domingo, 13.02.11

Sintra: Casal Belga Atingido por um Raio

Um casal belga foi atingido por um raio esta sexta-feira, enquanto visitava o Castelo dos Mouros, em Sintra. Segundo a edição online do Jornal de Notícias, os jovens apenas ficaram com ferimentos ligeiros, apesar de inicialmente terem ficado inconscientes.

Fonte dos Bombeiros Voluntários de São Pedro de São Pedro de Sintra, citada pelo jornal, referiu que a rapariga de 18 anos e o namorado, de 20, visitavam o Castelo dos Mouros quando começou a chover intensamente, pelas 15 horas, tendo sido atingidos por um raio na altura em que estavam a tirar fotografias junto ao mastro da bandeira.

Apesar de terem recuperado antes da chegada dos bombeiros, o casal foi transportado para o Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa, apenas por precaução.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:00

Domingo, 13.02.11

Sintra: Casal Belga Atingido por um Raio

Um casal belga foi atingido por um raio esta sexta-feira, enquanto visitava o Castelo dos Mouros, em Sintra. Segundo a edição online do Jornal de Notícias, os jovens apenas ficaram com ferimentos ligeiros, apesar de inicialmente terem ficado inconscientes.

Fonte dos Bombeiros Voluntários de São Pedro de São Pedro de Sintra, citada pelo jornal, referiu que a rapariga de 18 anos e o namorado, de 20, visitavam o Castelo dos Mouros quando começou a chover intensamente, pelas 15 horas, tendo sido atingidos por um raio na altura em que estavam a tirar fotografias junto ao mastro da bandeira.

Apesar de terem recuperado antes da chegada dos bombeiros, o casal foi transportado para o Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa, apenas por precaução.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 12:00

Domingo, 13.02.11

Bombeiros Querem "Revisão dos Seguros" que Contemple Queimaduras e Outras Situações

A Associação Nacional de Bombeiros Profissionais quer que o novo regime jurídico do sector, actualmente em elaboração pelo Governo, implique uma “revisão e uniformização dos seguros” de trabalho, cujas apólices não incluem, em vários casos, situações de queimaduras.
O presidente da associação, Fernando Curto, disse hoje à Lusa que estão agora a ser desenvolvidos novos contactos com as câmaras, responsáveis pelos bombeiros municipais e pelos regimentos de sapadores, sobre o assunto, já que a proposta do Governo ainda não está totalmente definida.
O objectivo é expor as principais necessidades dos bombeiros profissionais às autarquias e motivá-las a apresentar propostas.
Um dos principais motivos de preocupação é a ocorrência de acidentes em serviços: “Há um desfasamento, não por culpa das câmaras, mas por falta de legislação. Os bombeiros quando se acidentam, não são considerados como tal, segundo a legislação”.
O responsável recordou, por exemplo, que recentemente uma colega que partiu o maxilar e outras partes do corpo durante um combate a um incêndio não conseguiu ver os ferimentos abrangidos pelo seguro e teve de fazer um empréstimo de 10 mil euros.
“Neste momento há bombeiros profissionais de câmaras municipais em que a apólice de seguros não prevê queimaduras. É anedótico e está a contribuir para que haja prejuízos para os bombeiros”, afirmou.
Em cima da mesa estão também, além da assistência médico e medicamentosa, as horas extraordinárias e a aplicação do sistema de avaliação de desempenho da administração pública, assuntos sobre os quais os bombeiros são confrontados com “lacunas” na legislação.

Segundo Fernando Curto, há bombeiros que não são avaliados há quatro ou cinco anos.
O presidente da associação referiu que tem havido “boa receptividade” por parte dos municípios, mas admitiu existir um problema de falta de apoios financeiros e das dotações de que as autarquias dispõem.
“Também temos tido uma boa receptividade do Governo, mas queremos é que haja uma acção rápida e uma aceleração no que diz respeito à legislação”, sublinhou.

in: publico

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 11:59

Domingo, 13.02.11

Bombeiros Querem "Revisão dos Seguros" que Contemple Queimaduras e Outras Situações

A Associação Nacional de Bombeiros Profissionais quer que o novo regime jurídico do sector, actualmente em elaboração pelo Governo, implique uma “revisão e uniformização dos seguros” de trabalho, cujas apólices não incluem, em vários casos, situações de queimaduras.
O presidente da associação, Fernando Curto, disse hoje à Lusa que estão agora a ser desenvolvidos novos contactos com as câmaras, responsáveis pelos bombeiros municipais e pelos regimentos de sapadores, sobre o assunto, já que a proposta do Governo ainda não está totalmente definida.
O objectivo é expor as principais necessidades dos bombeiros profissionais às autarquias e motivá-las a apresentar propostas.
Um dos principais motivos de preocupação é a ocorrência de acidentes em serviços: “Há um desfasamento, não por culpa das câmaras, mas por falta de legislação. Os bombeiros quando se acidentam, não são considerados como tal, segundo a legislação”.
O responsável recordou, por exemplo, que recentemente uma colega que partiu o maxilar e outras partes do corpo durante um combate a um incêndio não conseguiu ver os ferimentos abrangidos pelo seguro e teve de fazer um empréstimo de 10 mil euros.
“Neste momento há bombeiros profissionais de câmaras municipais em que a apólice de seguros não prevê queimaduras. É anedótico e está a contribuir para que haja prejuízos para os bombeiros”, afirmou.
Em cima da mesa estão também, além da assistência médico e medicamentosa, as horas extraordinárias e a aplicação do sistema de avaliação de desempenho da administração pública, assuntos sobre os quais os bombeiros são confrontados com “lacunas” na legislação.

Segundo Fernando Curto, há bombeiros que não são avaliados há quatro ou cinco anos.
O presidente da associação referiu que tem havido “boa receptividade” por parte dos municípios, mas admitiu existir um problema de falta de apoios financeiros e das dotações de que as autarquias dispõem.
“Também temos tido uma boa receptividade do Governo, mas queremos é que haja uma acção rápida e uma aceleração no que diz respeito à legislação”, sublinhou.

in: publico

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 11:59


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728




Tags

mais tags