Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

diariobombeiro



Sexta-feira, 26.11.10

Curso de Técnicas de Imobilizações em Ambientes Hostis


A Associação dos Profissionais de Protecção e Socorro, em parceria com a ASPP/PSP - Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, delegação da Madeira, vai realizar um Curso de Técnicas de Imobilizações em Ambientes Hostis - Policial.

A formação decorrerá no Funchal, na ilha da Madeira nos dias 18 e 19 de Dezembro de 2010.

Durante a instrução serão apresentadas técnicas de imobilizações, assim como técnicas de algemagem, revista e condução de detidos.

Serão ainda simuladas diversas situações e cenários, sob exercícios de controlo emocional.

Informações:

Representante da Madeira Sr. João Calado no Funchal, através do tel.: 964 427 186 ou jkallado@apps.pt ou geral@apps.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 19:23

Sexta-feira, 26.11.10

Curso de Técnicas de Imobilizações em Ambientes Hostis


A Associação dos Profissionais de Protecção e Socorro, em parceria com a ASPP/PSP - Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, delegação da Madeira, vai realizar um Curso de Técnicas de Imobilizações em Ambientes Hostis - Policial.

A formação decorrerá no Funchal, na ilha da Madeira nos dias 18 e 19 de Dezembro de 2010.

Durante a instrução serão apresentadas técnicas de imobilizações, assim como técnicas de algemagem, revista e condução de detidos.

Serão ainda simuladas diversas situações e cenários, sob exercícios de controlo emocional.

Informações:

Representante da Madeira Sr. João Calado no Funchal, através do tel.: 964 427 186 ou jkallado@apps.pt ou geral@apps.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 19:23

Sexta-feira, 26.11.10

Concurso de Recrutamento e Selecção, para a Carreira de TAE

Torna-se público que, por deliberação de 18/11/2010 do Conselho Directivo do Instituto Nacional de Emergência Médica, I.P., se encontra aberto um concurso para preenchimento de 70 postos de trabalho na carreira de Técnico de Ambulância de Emergência, previstos no seu mapa de pessoal, sendo 3 (três) para a Delegação Regional do Porto, 29 (vinte e nove) para a Delegação Regional de Coimbra e 38 (trinta e oito) para a Delegação Regional de Lisboa, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado.

in: INEM


 Alguns dos requisitos de admissão obrigatórios:

- 12º Ano de escolaridade

- 18 Anos de idade completos;

- Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se propõe desempenhar;

- Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;

- Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:47

Sexta-feira, 26.11.10

Concurso de Recrutamento e Selecção, para a Carreira de TAE

Torna-se público que, por deliberação de 18/11/2010 do Conselho Directivo do Instituto Nacional de Emergência Médica, I.P., se encontra aberto um concurso para preenchimento de 70 postos de trabalho na carreira de Técnico de Ambulância de Emergência, previstos no seu mapa de pessoal, sendo 3 (três) para a Delegação Regional do Porto, 29 (vinte e nove) para a Delegação Regional de Coimbra e 38 (trinta e oito) para a Delegação Regional de Lisboa, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado.

in: INEM


 Alguns dos requisitos de admissão obrigatórios:

- 12º Ano de escolaridade

- 18 Anos de idade completos;

- Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se propõe desempenhar;

- Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;

- Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:47

Sexta-feira, 26.11.10

Madeira: Chuva Não Deu Treguas

"Lembra-se do que aconteceu a 21 de Outubro? Então escreva a mesma coisa". Na Rua da Carreira os comerciantes encaravam a inundação de ontem quase com uma fatalidade, de quem trava uma batalha que, à partida, já sabe estar perdida. Foi isso que aconteceu ontem, por volta das 14 horas, na pastelaria 'Fritel'.

Humberto Vieira, o proprietário, até estava preparado para a chuva. Montou uns encaixes à entrada da porta e uma placa metálica para travar a entrada da água. "Quando vi a água a subir, até reforcei aquilo com silicone, mas foi tempo perdido", conta ao DIÁRIO, contabilizando perto de mil euros em prejuízos.

O problema na 'Fritel', que também aconteceu em mais quatro estabelecimentos da zona, foi que a água começou a jorrar de sanitas, lavatórios e até de adufas nas cozinhas e casas de banho.

Duas portas ao lado da pastelaria, Dolores está sentada ao fundo da loja que vende colchões 'Moloflex'. "É a terceira vez este ano, o soalho está todo levantado e temos colchões estragados", explica, falando em 500 euros de danos só em material. "Os expositores também estão estragados e algum material de escritório", acrescenta, dizendo que a água também entrou pela casa de banho.

"Tem lá uma daquelas adufas, que até está reforçada com silicone, mas a força foi tanta que não deu".

Foi, como Dolores disse, a terceira inundação que a Rua da Carreira sofreu este ano. Uma situação, admite o vice-presidente da Câmara Municipal do Funchal (CMF), Bruno Pereira, que justifica-se em parte pelo "sistema unitário" das condutas de água.

"A Rua da Carreira e a Avenida Arriaga, ao contrário do resto da cidade, têm sistemas muito antigos, nos quais o saneamento básico e as águas pluviais estão na mesma conduta", explicou Bruno Pereira, adiantando que estão previstas intervenções nestas áreas já no próximo ano.

Mas, frisa o autarca, a principal razão foi a quantidade "anormal" de chuva que caiu. Entre as 13 e as 14 horas choveu 37 litros por metro quadrado, mais 10 litros do que no dia 21 de Outubro (quando ocorreram as segundas inundações deste ano na cidade), e muito mais do que em Outubro de 1993, quando o Funchal foi atingido por uma grande enxurrada.

Por isso, Bruno Pereira considera que a cidade "reagiu com normalidade" face à chuva que caiu. "Tivemos algumas inundações em lojas casas e estradas, mas nada de muita gravidade", afirma o 'vice' da CMF, que justifica o grande número de adufas que saltaram com o crescimento do Funchal.

"A cidade tem crescido em termos de urbanização , o que significa que existem menos terrenos livres para impermeabilizar a água, daí que toda a chuva seja canalizada para as condutas", afirma, insistindo na necessidade de "olhar para os números" da pluviosidade.

Outro número que Bruno Pereira realça, também com tristeza, é o 4,9. Foram estes os milhões de euros que a Autarquia, "sem ajuda do Orçamento Regional ou da Lei de Meios", gastou este ano em obras de emergência, para reparar os danos provocados pelo 20 de Fevereiro.

"Estávamos no terreno com obras em curso para minorar os efeitos destas situações, mas o tempo e o dinheiro têm estado contra nós", lamentou, exemplificando com as intervenções que estão a ser feitas nos túneis da Cota 40.

Túneis que ontem voltaram a inundar, num deles, o da Cruz Vermelha, um autocarro da 'Rodoeste' ficou imobilizado devido à água, com vários passageiros a bordo. Os Bombeiros Voluntários Madeirenses (BVM) tiveram que utilizar um bote para retirar as pessoas, uma das quais com hipotermia.

Além destes dois túneis, a Avenida do Mar, e as ruas do Carmo e da Carreira estiveram encerradas durante algumas horas, acabando por reabrir por volta das quatro, altura em que o trânsito da cidade regressou à normalidade.

Isto num dia em que os BVM e os Bombeiros Municipais do Funchal (BMF) não pararam, recebendo um total de 40 pedidos de ajuda, entre inundações, pequenas derrocadas e cortes de árvores que ameaçavam cair devido ao vento.

Vento, juntamente com o nevoeiro, que também complicou ontem a operacionalidade do Aeroporto da Madeira, com alguns voos a serem desviados para o Porto Santo. De resto, Santa Cruz, a par do Funchal, foram os concelhos onde o mau tempo mais se sentiu.

Na cidade de Santa Cruz os comerciantes da Rua Cónego de Oliveira, uma das mais movimentadas, assistiram impotentes à subida da água, que acabou por não provocar danos.

Também no Caniço aconteceram problemas. Na Rua da Paz, completamente inundada, um automóvel caiu numa adufa destapada, sofrendo danos avultados. Mas os estragos em viaturas aconteceram também no Funchal, devido às inundações e adufas.

As previsões do Instituto de Meteorologia apontam para uma melhoria no estado do tempo, mas os bombeiros vão estar de prevenção, nomeadamente na Rua da Carreira, com electrobombas.

"Se isto chover durante a noite, não conseguimos dormir descansadas a pensar na loja", desabafa Dolores, sentada ao fundo da loja, entre colchões encharcados.

A Câmara activou o Plano Municipal de Emergência às 14 horas, montando o gabinete no quartel dos BMF. Daqui foram coordenadas todas as respostas às várias solicitações surgidos, e Bruno Pereira destaca a "profícua" coordenação com a PSP. "Estiveram aqui oficiais de ligação, que permitiram-nos chegar mais depressas aos locais", disse o vice-presidente, acrescentando que o trabalho dos agentes policiais foi importante e visível.
 
in: DN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:46

Sexta-feira, 26.11.10

Madeira: Chuva Não Deu Treguas

"Lembra-se do que aconteceu a 21 de Outubro? Então escreva a mesma coisa". Na Rua da Carreira os comerciantes encaravam a inundação de ontem quase com uma fatalidade, de quem trava uma batalha que, à partida, já sabe estar perdida. Foi isso que aconteceu ontem, por volta das 14 horas, na pastelaria 'Fritel'.

Humberto Vieira, o proprietário, até estava preparado para a chuva. Montou uns encaixes à entrada da porta e uma placa metálica para travar a entrada da água. "Quando vi a água a subir, até reforcei aquilo com silicone, mas foi tempo perdido", conta ao DIÁRIO, contabilizando perto de mil euros em prejuízos.

O problema na 'Fritel', que também aconteceu em mais quatro estabelecimentos da zona, foi que a água começou a jorrar de sanitas, lavatórios e até de adufas nas cozinhas e casas de banho.

Duas portas ao lado da pastelaria, Dolores está sentada ao fundo da loja que vende colchões 'Moloflex'. "É a terceira vez este ano, o soalho está todo levantado e temos colchões estragados", explica, falando em 500 euros de danos só em material. "Os expositores também estão estragados e algum material de escritório", acrescenta, dizendo que a água também entrou pela casa de banho.

"Tem lá uma daquelas adufas, que até está reforçada com silicone, mas a força foi tanta que não deu".

Foi, como Dolores disse, a terceira inundação que a Rua da Carreira sofreu este ano. Uma situação, admite o vice-presidente da Câmara Municipal do Funchal (CMF), Bruno Pereira, que justifica-se em parte pelo "sistema unitário" das condutas de água.

"A Rua da Carreira e a Avenida Arriaga, ao contrário do resto da cidade, têm sistemas muito antigos, nos quais o saneamento básico e as águas pluviais estão na mesma conduta", explicou Bruno Pereira, adiantando que estão previstas intervenções nestas áreas já no próximo ano.

Mas, frisa o autarca, a principal razão foi a quantidade "anormal" de chuva que caiu. Entre as 13 e as 14 horas choveu 37 litros por metro quadrado, mais 10 litros do que no dia 21 de Outubro (quando ocorreram as segundas inundações deste ano na cidade), e muito mais do que em Outubro de 1993, quando o Funchal foi atingido por uma grande enxurrada.

Por isso, Bruno Pereira considera que a cidade "reagiu com normalidade" face à chuva que caiu. "Tivemos algumas inundações em lojas casas e estradas, mas nada de muita gravidade", afirma o 'vice' da CMF, que justifica o grande número de adufas que saltaram com o crescimento do Funchal.

"A cidade tem crescido em termos de urbanização , o que significa que existem menos terrenos livres para impermeabilizar a água, daí que toda a chuva seja canalizada para as condutas", afirma, insistindo na necessidade de "olhar para os números" da pluviosidade.

Outro número que Bruno Pereira realça, também com tristeza, é o 4,9. Foram estes os milhões de euros que a Autarquia, "sem ajuda do Orçamento Regional ou da Lei de Meios", gastou este ano em obras de emergência, para reparar os danos provocados pelo 20 de Fevereiro.

"Estávamos no terreno com obras em curso para minorar os efeitos destas situações, mas o tempo e o dinheiro têm estado contra nós", lamentou, exemplificando com as intervenções que estão a ser feitas nos túneis da Cota 40.

Túneis que ontem voltaram a inundar, num deles, o da Cruz Vermelha, um autocarro da 'Rodoeste' ficou imobilizado devido à água, com vários passageiros a bordo. Os Bombeiros Voluntários Madeirenses (BVM) tiveram que utilizar um bote para retirar as pessoas, uma das quais com hipotermia.

Além destes dois túneis, a Avenida do Mar, e as ruas do Carmo e da Carreira estiveram encerradas durante algumas horas, acabando por reabrir por volta das quatro, altura em que o trânsito da cidade regressou à normalidade.

Isto num dia em que os BVM e os Bombeiros Municipais do Funchal (BMF) não pararam, recebendo um total de 40 pedidos de ajuda, entre inundações, pequenas derrocadas e cortes de árvores que ameaçavam cair devido ao vento.

Vento, juntamente com o nevoeiro, que também complicou ontem a operacionalidade do Aeroporto da Madeira, com alguns voos a serem desviados para o Porto Santo. De resto, Santa Cruz, a par do Funchal, foram os concelhos onde o mau tempo mais se sentiu.

Na cidade de Santa Cruz os comerciantes da Rua Cónego de Oliveira, uma das mais movimentadas, assistiram impotentes à subida da água, que acabou por não provocar danos.

Também no Caniço aconteceram problemas. Na Rua da Paz, completamente inundada, um automóvel caiu numa adufa destapada, sofrendo danos avultados. Mas os estragos em viaturas aconteceram também no Funchal, devido às inundações e adufas.

As previsões do Instituto de Meteorologia apontam para uma melhoria no estado do tempo, mas os bombeiros vão estar de prevenção, nomeadamente na Rua da Carreira, com electrobombas.

"Se isto chover durante a noite, não conseguimos dormir descansadas a pensar na loja", desabafa Dolores, sentada ao fundo da loja, entre colchões encharcados.

A Câmara activou o Plano Municipal de Emergência às 14 horas, montando o gabinete no quartel dos BMF. Daqui foram coordenadas todas as respostas às várias solicitações surgidos, e Bruno Pereira destaca a "profícua" coordenação com a PSP. "Estiveram aqui oficiais de ligação, que permitiram-nos chegar mais depressas aos locais", disse o vice-presidente, acrescentando que o trabalho dos agentes policiais foi importante e visível.
 
in: DN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:46

Sexta-feira, 26.11.10

Construção do Centro Municipal de Operações de Socorro novamente Adjudicada

A Câmara Municipal de Seia voltou a adjudicar a construção do Centro Municipal de Operações de Socorro.

O edifício vai ser construído nos terrenos contíguos ao Aeródromo Municipal.

Alvo de constantes atrasos, o projecto do Centro Municipal de Operações de Socorro, foi agora reformulado tendo sido submetido à abertura de um novo concurso público e à alteração da candidatura ao QREN.

Com a alteração do projecto foi também necessária a recolha de parecer da Autoridade Nacional de Protecção Civil. O financiamento está garantido sendo o próximo passo a construção do edifício.

A obra, orçada em 800 mil euros, foi adjudicada à empresa senense EQUIPAV – Engenharia e Construção, pelo valor de 694.883,71 euros sendo financiada em cerca de 300 mil euros

in: DãoTV

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:43

Sexta-feira, 26.11.10

Construção do Centro Municipal de Operações de Socorro novamente Adjudicada

A Câmara Municipal de Seia voltou a adjudicar a construção do Centro Municipal de Operações de Socorro.

O edifício vai ser construído nos terrenos contíguos ao Aeródromo Municipal.

Alvo de constantes atrasos, o projecto do Centro Municipal de Operações de Socorro, foi agora reformulado tendo sido submetido à abertura de um novo concurso público e à alteração da candidatura ao QREN.

Com a alteração do projecto foi também necessária a recolha de parecer da Autoridade Nacional de Protecção Civil. O financiamento está garantido sendo o próximo passo a construção do edifício.

A obra, orçada em 800 mil euros, foi adjudicada à empresa senense EQUIPAV – Engenharia e Construção, pelo valor de 694.883,71 euros sendo financiada em cerca de 300 mil euros

in: DãoTV

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:43

Sexta-feira, 26.11.10

Aviso Amarelo em Seis Distritos Devido ao Frio e por Temporal na Madeira

As baixas temperaturas colocaram hoje, sexta-feira, seis distritos do norte e centro sob aviso amarelo, que está também activo no arquipélago da Madeira devido à chuva, vento forte e agitação marítima, tem prevista para o sul do país.

Braga, Vila Real, Bragança, Aveiro, Guarda e Leiria são os distritos em que se verifica a persistência de valores relativamente baixos das temperaturas mínimas, situação que está na origem do aviso amarelo, o menos grave e que significa situações de risco para a realização de determinadas actividades dependentes das condições meteorológicas.

De acordo com a informação disponibilizada pelo Instituto de Meteorologia (IM), as temperaturas mínimas irão hoje atingir valores negativos nestes distritos, com Braga e Leiria a registarem -1 graus Celsius, Vila Real -2º, Guarda -3º e Bragança -5º.

Às 07 horas, o IM registava -2,9º em Bragança e -2,4º nas Penhas Douradas. As previsões meteorológicas para hoje, nas regiões norte e centro do país, são de tempo frio, céu pouco nublado ou limpo, com a nebulosidade a aumentar gradualmente por nuvens altas na região nortenha.

O vento será fraco a moderado (inferior a 25 km/h), predominando de leste, e soprando temporariamente moderado a forte (25 a 40 km/h) nas terras altas.

Na região sul, o céu apresentar-se-á muito nublado, com o vento a soprar fraco a moderado (inferior a 25 km/h) de nordeste, rodando para leste e tornando-se moderado a forte (25 a 40 km/h) no Algarve, local onde se esperam períodos de chuva a partir da manhã, a qual se estenderá ao Baixo Alentejo, podendo ser por vezes forte a partir da tarde e existindo condições favoráveis à ocorrências de trovoadas.

Relativamente ao estado do mar, na costa ocidental, as ondas serão de noroeste com 1,5 a 2,5 metros e com a temperatura da água do mar a rondar os 15º a 17º.

Na costa sul, com o aviso amarelo activo devido à agitação marítima, as ondas serão de sudoeste com um a 1,5 metros, passando a ondas de sueste com 1,5 a dois metros e com a água a registar 17º a 18º de temperatura.

Segundo o "site" oficial da Marinha portuguesa, a barra de Vila do Conde encontra-se encerrada a toda a navegação.

Por outro lado, o arquipélago da Madeira está igualmente sob aviso amarelo e assim deverá permanecer até sábado, devido à continuação de chuva e vento forte, assim como agitação marítima.

Assim, as previsões do IM para as ilhas da Madeira e do Porto Santo são de céu geralmente muito nublado, com ocorrência de chuva ou aguaceiros, que serão por vezes fortes e com condições favoráveis à ocorrência de trovoada.

O vento será moderado a forte (25 a 40 km/h) de oeste, tornando-se forte (40 a 55 km/h), com rajadas até 90 km/h, nas terras altas.

Quanto ao estado do mar, na costa norte, as ondas serão de noroeste com dois a três metros, aumentando depois para os três a quatro metros de altura, enquanto que na costa sul, as ondas de sudoeste terão 1,5 a 2,5 metros, que diminuirão para um ou dois metros.

As temperaturas máximas previstas para hoje, sexta-feira, são de 13º no Porto, 14º em Lisboa, 15º em Faro, 19º em Ponta Delgada e 22º no Funchal.

in: JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:42

Sexta-feira, 26.11.10

Aviso Amarelo em Seis Distritos Devido ao Frio e por Temporal na Madeira

As baixas temperaturas colocaram hoje, sexta-feira, seis distritos do norte e centro sob aviso amarelo, que está também activo no arquipélago da Madeira devido à chuva, vento forte e agitação marítima, tem prevista para o sul do país.

Braga, Vila Real, Bragança, Aveiro, Guarda e Leiria são os distritos em que se verifica a persistência de valores relativamente baixos das temperaturas mínimas, situação que está na origem do aviso amarelo, o menos grave e que significa situações de risco para a realização de determinadas actividades dependentes das condições meteorológicas.

De acordo com a informação disponibilizada pelo Instituto de Meteorologia (IM), as temperaturas mínimas irão hoje atingir valores negativos nestes distritos, com Braga e Leiria a registarem -1 graus Celsius, Vila Real -2º, Guarda -3º e Bragança -5º.

Às 07 horas, o IM registava -2,9º em Bragança e -2,4º nas Penhas Douradas. As previsões meteorológicas para hoje, nas regiões norte e centro do país, são de tempo frio, céu pouco nublado ou limpo, com a nebulosidade a aumentar gradualmente por nuvens altas na região nortenha.

O vento será fraco a moderado (inferior a 25 km/h), predominando de leste, e soprando temporariamente moderado a forte (25 a 40 km/h) nas terras altas.

Na região sul, o céu apresentar-se-á muito nublado, com o vento a soprar fraco a moderado (inferior a 25 km/h) de nordeste, rodando para leste e tornando-se moderado a forte (25 a 40 km/h) no Algarve, local onde se esperam períodos de chuva a partir da manhã, a qual se estenderá ao Baixo Alentejo, podendo ser por vezes forte a partir da tarde e existindo condições favoráveis à ocorrências de trovoadas.

Relativamente ao estado do mar, na costa ocidental, as ondas serão de noroeste com 1,5 a 2,5 metros e com a temperatura da água do mar a rondar os 15º a 17º.

Na costa sul, com o aviso amarelo activo devido à agitação marítima, as ondas serão de sudoeste com um a 1,5 metros, passando a ondas de sueste com 1,5 a dois metros e com a água a registar 17º a 18º de temperatura.

Segundo o "site" oficial da Marinha portuguesa, a barra de Vila do Conde encontra-se encerrada a toda a navegação.

Por outro lado, o arquipélago da Madeira está igualmente sob aviso amarelo e assim deverá permanecer até sábado, devido à continuação de chuva e vento forte, assim como agitação marítima.

Assim, as previsões do IM para as ilhas da Madeira e do Porto Santo são de céu geralmente muito nublado, com ocorrência de chuva ou aguaceiros, que serão por vezes fortes e com condições favoráveis à ocorrência de trovoada.

O vento será moderado a forte (25 a 40 km/h) de oeste, tornando-se forte (40 a 55 km/h), com rajadas até 90 km/h, nas terras altas.

Quanto ao estado do mar, na costa norte, as ondas serão de noroeste com dois a três metros, aumentando depois para os três a quatro metros de altura, enquanto que na costa sul, as ondas de sudoeste terão 1,5 a 2,5 metros, que diminuirão para um ou dois metros.

As temperaturas máximas previstas para hoje, sexta-feira, são de 13º no Porto, 14º em Lisboa, 15º em Faro, 19º em Ponta Delgada e 22º no Funchal.

in: JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:42

Sexta-feira, 26.11.10

Naufrágio Fictício de Embarcação no Alqueva Treina Força Especial de Bombeiros

Oito pessoas "vítimas" de um naufrágio fictício de uma embarcação na albufeira do Alqueva foram hoje "salvas" durante um exercício de treino da capacidade da Força Especial de Bombeiros (FEB) para responder a um salvamento aquático.

O exercício "AlquevaRescue2010" permitiu também testar a articulação entre os vários agentes de Proteção Civil e os sistemas de apoio à decisão no quadro de uma intervenção integrada num acidente aquático, que resulte no naufrágio de uma embarcação de transporte de passageiros com várias vítimas.

O "AlquevaRescue2010" correu "bem, o objetivo foi cumprindo e conseguimos testar várias valências de socorro", aos níveis aquático, terrestre e aéreo, disse aos jornalistas o secretário de Estado da Proteção Civil, Vasco Franco, que acompanhou o exercício.

Segundo o governante, o uso do espelho de água da albufeira de Alqueva "vai ser cada vez mais crescente" e, por isso, é "importante" treinar todas as entidades que têm de participar num acidente como o simulado hoje e "ter a articulação entre todos os operadores na área do socorro".

O exercício de hoje envolveu 65 operacionais e 23 veículos, aquáticos, terrestres e um aéreo, da FEB da Autoridade Nacional de Proteção Civil, bombeiros de Moura, Mourão, Portel e Reguengos de Monsaraz, GNR, EDP e das empresas do Alqueva e Gescruzeiros.

Durante o exercício, uma embarcação, que estava junto ao paredão da barragem do Alqueva com dez pessoas a bordo, naufragou, depois da explosão do motor.

Após o acidente, três tripulantes que estavam junto ao motor da embarcação ficaram com ferimentos graves, cinco ficaram levemente feridos e à deriva e dois desapareceram na albufeira do Alqueva.

O alerta de socorro foi dado às 15:00 e a operação de resgate e salvamento dos oito feridos durou cerca de uma hora e a busca e o resgate dos cadáveres dos desaparecidos cerca de meia hora.

Os cinco feridos leves foram resgatados por equipas de salvamento aquático e de recuperadores salvadores, que também participaram no resgate dos três feridos graves.

Destes, um foi resgatado da água por uma equipa de salvamento em grande ângulo e os outros dois por um helicóptero de socorro kamov, que está estacionado na Base Permanente de Loulé.

Após a operação de resgate e salvamento dos oito feridos, uma equipa de mergulhadores efetuou buscas na albufeira do Alqueva até que encontrou os corpos dos desaparecidos já sem vida.

in: Agência Lusa

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:37

Sexta-feira, 26.11.10

Naufrágio Fictício de Embarcação no Alqueva Treina Força Especial de Bombeiros

Oito pessoas "vítimas" de um naufrágio fictício de uma embarcação na albufeira do Alqueva foram hoje "salvas" durante um exercício de treino da capacidade da Força Especial de Bombeiros (FEB) para responder a um salvamento aquático.

O exercício "AlquevaRescue2010" permitiu também testar a articulação entre os vários agentes de Proteção Civil e os sistemas de apoio à decisão no quadro de uma intervenção integrada num acidente aquático, que resulte no naufrágio de uma embarcação de transporte de passageiros com várias vítimas.

O "AlquevaRescue2010" correu "bem, o objetivo foi cumprindo e conseguimos testar várias valências de socorro", aos níveis aquático, terrestre e aéreo, disse aos jornalistas o secretário de Estado da Proteção Civil, Vasco Franco, que acompanhou o exercício.

Segundo o governante, o uso do espelho de água da albufeira de Alqueva "vai ser cada vez mais crescente" e, por isso, é "importante" treinar todas as entidades que têm de participar num acidente como o simulado hoje e "ter a articulação entre todos os operadores na área do socorro".

O exercício de hoje envolveu 65 operacionais e 23 veículos, aquáticos, terrestres e um aéreo, da FEB da Autoridade Nacional de Proteção Civil, bombeiros de Moura, Mourão, Portel e Reguengos de Monsaraz, GNR, EDP e das empresas do Alqueva e Gescruzeiros.

Durante o exercício, uma embarcação, que estava junto ao paredão da barragem do Alqueva com dez pessoas a bordo, naufragou, depois da explosão do motor.

Após o acidente, três tripulantes que estavam junto ao motor da embarcação ficaram com ferimentos graves, cinco ficaram levemente feridos e à deriva e dois desapareceram na albufeira do Alqueva.

O alerta de socorro foi dado às 15:00 e a operação de resgate e salvamento dos oito feridos durou cerca de uma hora e a busca e o resgate dos cadáveres dos desaparecidos cerca de meia hora.

Os cinco feridos leves foram resgatados por equipas de salvamento aquático e de recuperadores salvadores, que também participaram no resgate dos três feridos graves.

Destes, um foi resgatado da água por uma equipa de salvamento em grande ângulo e os outros dois por um helicóptero de socorro kamov, que está estacionado na Base Permanente de Loulé.

Após a operação de resgate e salvamento dos oito feridos, uma equipa de mergulhadores efetuou buscas na albufeira do Alqueva até que encontrou os corpos dos desaparecidos já sem vida.

in: Agência Lusa

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:37

Sexta-feira, 26.11.10

Família de Quatro Pessoas Teve de ser Realojada no Funchal

Uma família composta por quatro pessoas, sendo duas crianças, teve ontem, quinta-feira, que ser realojada na sequência da intensa chuva que caiu no Funchal e provocou o encerramento temporário de várias ruas da baixa, disse o vice-presidente da câmara.

Segundo Bruno Pereira, "toda rede rodoviária municipal já está aberta", tendo a chuva provocado alagamentos na marginal da cidade, na cota 40 e na rua da Carreira, inundando alguns estabelecimentos comerciais.

"As duas corporações de bombeiros da cidade receberam cerca de 40 alertas motivados por inundações em estabelecimentos e casas particulares depois das 13:00", adiantou.

O vice-presidente da autarquia referiu à Lusa que a família que ficou desalojada residia junto de um curso de água na freguesia de S.Martinho.

"A habitação ficou bastante danificada por via da água que entrou e esta noite a família vai ficar hospedada numa pensão", acrescentou.

Hoje entre as 13 e as 14 horas choveu no Funchal 37 litros por metro quadrado, o que significa que neste pico a precipitação foi superior à registada a 21 de Outubro, dia em que caíram 27 litros, mas é um valor inferior aos 55 litros do 20 de Fevereiro, dia em que se registou o temporal.

Para Bruno Pereira, "a cidade no seu todo portou-se muito bem".

Apesar do alerta ter baixado de laranja para amarelo, está previsto vento forte, com rajadas que podem atingir os 90 quilómetros nas zonas altas e ainda chuva menos intensa na manhã de sexta feira.

"Continuamos em alerta, todo o dispositivo está montado nas várias valências", declarou.

Sobre as situações da rede pluvial e viária que foram mais problemáticas, o autarca salientou que estão a decorrer obras e a ser delineados projectos que permitirão resolver estes casos nos próximos meses.

Fonte do aeroporto da Madeira disse também à Lusa que o movimento de aterragens, que esteve condicionado devido à fraca visibilidade provocada pela chuva, e descolagens decorre neste momento com normalidade.

in: JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:21

Sexta-feira, 26.11.10

Família de Quatro Pessoas Teve de ser Realojada no Funchal

Uma família composta por quatro pessoas, sendo duas crianças, teve ontem, quinta-feira, que ser realojada na sequência da intensa chuva que caiu no Funchal e provocou o encerramento temporário de várias ruas da baixa, disse o vice-presidente da câmara.

Segundo Bruno Pereira, "toda rede rodoviária municipal já está aberta", tendo a chuva provocado alagamentos na marginal da cidade, na cota 40 e na rua da Carreira, inundando alguns estabelecimentos comerciais.

"As duas corporações de bombeiros da cidade receberam cerca de 40 alertas motivados por inundações em estabelecimentos e casas particulares depois das 13:00", adiantou.

O vice-presidente da autarquia referiu à Lusa que a família que ficou desalojada residia junto de um curso de água na freguesia de S.Martinho.

"A habitação ficou bastante danificada por via da água que entrou e esta noite a família vai ficar hospedada numa pensão", acrescentou.

Hoje entre as 13 e as 14 horas choveu no Funchal 37 litros por metro quadrado, o que significa que neste pico a precipitação foi superior à registada a 21 de Outubro, dia em que caíram 27 litros, mas é um valor inferior aos 55 litros do 20 de Fevereiro, dia em que se registou o temporal.

Para Bruno Pereira, "a cidade no seu todo portou-se muito bem".

Apesar do alerta ter baixado de laranja para amarelo, está previsto vento forte, com rajadas que podem atingir os 90 quilómetros nas zonas altas e ainda chuva menos intensa na manhã de sexta feira.

"Continuamos em alerta, todo o dispositivo está montado nas várias valências", declarou.

Sobre as situações da rede pluvial e viária que foram mais problemáticas, o autarca salientou que estão a decorrer obras e a ser delineados projectos que permitirão resolver estes casos nos próximos meses.

Fonte do aeroporto da Madeira disse também à Lusa que o movimento de aterragens, que esteve condicionado devido à fraca visibilidade provocada pela chuva, e descolagens decorre neste momento com normalidade.

in: JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:21

Sexta-feira, 26.11.10

Fim-de-semana com Chuva no Sul e Temperaturas Negativas a Norte e Centro

As temperaturas baixas vão afectar o Norte Centro de Portugal até segunda-feira. Hoje, sexta-feira, Bragança poderá chegar aos seis graus negativos de mínima.

Para Sul, menos frio mas previsões de chuva.

A acção de um anticiclone, que fará circular uma massa de ar frio até à Península Ibérica, vai trazer frio ao Norte e Centro do país, dizem as previsões do Instituto de Meteorologia (IM).

Bragança, com seis graus abaixo de zero, vai ser o ponto mais frio de Portugal amanhã, sexta-feira. Também em Trás-os-Montes, Vila Real vai ficar nos dois graus negativos, igual temperatura à prevista para Braga, no Minho.

Coimbra, um grau abaixo de zero, fecha o grupo das terras com previsão de temperaturas negativas. Mas, a Norte e Centro do país, a mínima não deve passar dos quatro graus em Viseu e no Porto.

A máxima, para sexta-feira, fica pelo Centro, com Coimbra e Viseu a poderem registar 15 graus de temperatura ambiente.
De acordo com a informação disponibilizada no site oficial do IM, o anticiclone "transporta na sua circulação uma massa de ar frio", sendo a situação meteorológica agravada por uma depressão, "centrada actualmente a noroeste da Madeira", a qual se desloca lentamente para sueste.

"Esta massa de ar frio afectará sobretudo as regiões do norte e do centro" de Portugal continental, adianta o comunicado que se encontra disponível "online", prevendo-se que as temperaturas baixas se mantenham até segunda-feira.

Na região Sul, para onde está prevista a ocorrência de chuva a partir do final do dia de sexta-feira, as temperaturas previstas não serão tão baixas.

in: JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:19

Sexta-feira, 26.11.10

Fim-de-semana com Chuva no Sul e Temperaturas Negativas a Norte e Centro

As temperaturas baixas vão afectar o Norte Centro de Portugal até segunda-feira. Hoje, sexta-feira, Bragança poderá chegar aos seis graus negativos de mínima.

Para Sul, menos frio mas previsões de chuva.

A acção de um anticiclone, que fará circular uma massa de ar frio até à Península Ibérica, vai trazer frio ao Norte e Centro do país, dizem as previsões do Instituto de Meteorologia (IM).

Bragança, com seis graus abaixo de zero, vai ser o ponto mais frio de Portugal amanhã, sexta-feira. Também em Trás-os-Montes, Vila Real vai ficar nos dois graus negativos, igual temperatura à prevista para Braga, no Minho.

Coimbra, um grau abaixo de zero, fecha o grupo das terras com previsão de temperaturas negativas. Mas, a Norte e Centro do país, a mínima não deve passar dos quatro graus em Viseu e no Porto.

A máxima, para sexta-feira, fica pelo Centro, com Coimbra e Viseu a poderem registar 15 graus de temperatura ambiente.
De acordo com a informação disponibilizada no site oficial do IM, o anticiclone "transporta na sua circulação uma massa de ar frio", sendo a situação meteorológica agravada por uma depressão, "centrada actualmente a noroeste da Madeira", a qual se desloca lentamente para sueste.

"Esta massa de ar frio afectará sobretudo as regiões do norte e do centro" de Portugal continental, adianta o comunicado que se encontra disponível "online", prevendo-se que as temperaturas baixas se mantenham até segunda-feira.

Na região Sul, para onde está prevista a ocorrência de chuva a partir do final do dia de sexta-feira, as temperaturas previstas não serão tão baixas.

in: JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:19

Sexta-feira, 26.11.10

QREN: Entrega de Viaturas Começa no Final deste Mês

Depois de um processo bastante atribulado, com sucessivos adiamentos, o Ministério da Administração Interna (MAI) vai iniciar a entrega das 95 viatura financiadas pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) aos bombeiros portugueses.

Segundo informações prestadas pelo secretário de Estado da Protecção Civil, Vasco Franco, o primeiro lote tem entrega marcada para o próximo dia 26 de Novembro. Nessa data serão atribuídos três veículos florestais de combate a incêndios (VFCI), um veículo urbano de combate a incêndios (VUCI), um veículo de socorro e assistência táctico (VSAT) e a única viatura de desencarceramento (VSAE) que integra a lista.

Depois, no dia 10 de Dezembro, prossegue a entrega, com mais três VFCI, um VUCI e um VSAT. Ainda durante o mês de Dezembro, e em data a afixar, serão entregues mais cinco viaturas com as características técnicas descritas anteriormente. O MAI conta ter finalizada a entrega das restantes até o final de Janeiro de 2011. A “necessidade operacional” é o critério principal definido pela tutela para a escolha dos corpos de bombeiros a serem contemplados nas primeiras entregas.

Refira-se que, no passado dia 27 de Outubro, foram apresentados e validados em termos técnicos os protótipos das viaturas que serão comparticipadas pelas verbas do QREN, material que começou já a ser produzido e que os bombeiros aguardam há mais de três anos. Das 95 viaturas previstas, apenas 17 não foram adquiridas, tendo o MAI lançado já novo concurso público para a sua compra.
 
in: Jornal Bombeiros de Portugal

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:17

Sexta-feira, 26.11.10

QREN: Entrega de Viaturas Começa no Final deste Mês

Depois de um processo bastante atribulado, com sucessivos adiamentos, o Ministério da Administração Interna (MAI) vai iniciar a entrega das 95 viatura financiadas pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) aos bombeiros portugueses.

Segundo informações prestadas pelo secretário de Estado da Protecção Civil, Vasco Franco, o primeiro lote tem entrega marcada para o próximo dia 26 de Novembro. Nessa data serão atribuídos três veículos florestais de combate a incêndios (VFCI), um veículo urbano de combate a incêndios (VUCI), um veículo de socorro e assistência táctico (VSAT) e a única viatura de desencarceramento (VSAE) que integra a lista.

Depois, no dia 10 de Dezembro, prossegue a entrega, com mais três VFCI, um VUCI e um VSAT. Ainda durante o mês de Dezembro, e em data a afixar, serão entregues mais cinco viaturas com as características técnicas descritas anteriormente. O MAI conta ter finalizada a entrega das restantes até o final de Janeiro de 2011. A “necessidade operacional” é o critério principal definido pela tutela para a escolha dos corpos de bombeiros a serem contemplados nas primeiras entregas.

Refira-se que, no passado dia 27 de Outubro, foram apresentados e validados em termos técnicos os protótipos das viaturas que serão comparticipadas pelas verbas do QREN, material que começou já a ser produzido e que os bombeiros aguardam há mais de três anos. Das 95 viaturas previstas, apenas 17 não foram adquiridas, tendo o MAI lançado já novo concurso público para a sua compra.
 
in: Jornal Bombeiros de Portugal

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:17

Sexta-feira, 26.11.10

INEM: Concurso Aberto Para 87 Vagas

Encontra aberto um concurso para preenchimento de 87 postos de trabalho na carreira de Técnico de Ambulância de Emergência do INEM, previstos no mapa de pessoal, 17 para a Delegação Regional de Faro e 70 para as outras regiões do país, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado.

Alguns dos requisitos de admissão obrigatórios:

- 12º Ano de escolaridade

- 18 Anos de idade completos;

- Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se propõe desempenhar;

- Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;

- Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:13

Sexta-feira, 26.11.10

INEM: Concurso Aberto Para 87 Vagas

Encontra aberto um concurso para preenchimento de 87 postos de trabalho na carreira de Técnico de Ambulância de Emergência do INEM, previstos no mapa de pessoal, 17 para a Delegação Regional de Faro e 70 para as outras regiões do país, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado.

Alguns dos requisitos de admissão obrigatórios:

- 12º Ano de escolaridade

- 18 Anos de idade completos;

- Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se propõe desempenhar;

- Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;

- Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:13

Sexta-feira, 26.11.10

ENB: Formação nas ULF Está a Ser Atribuída Conforme o Peso da Cunha

Atribuição da Formação vai contra os princípios básicos
da ENB
O BPS têm conhecimento de várias situações em que a utilização dos locais de formação para a administração de curso de chefes de incêndios urbanos e chefe de fogos florestais está a ser doseada entre corporações de forma não muito justa e até duvidosa. Os parâmetros de atribuição de formação não são muito claros e ninguém quer falar disso sob pena de ainda ver agravada a sua situação de formação.


O caso é geral e por vários pontos do país as queixas são generalizadas e a formação chega as corporações de uma forma não muito clara, havendo mesmo situações em que corpos de bombeiros não viram ninguém dos seus quadros chamados para formação e outros com quadros activos já com ambas as formações em todos os seus elementos (ou quase na sua totalidade).


O BPS relembra que por exemplo para a subida de um bombeiro de 2ª Classe a 1ª Classe são necessários, entre outros cursos, o curso de Chefe de Urbanos e o Curso de Chefe de Florestais. Sem estes cursos todas as candidaturas vêem-se assim estancadas por falta de formação. Para aniquilar estas deficiências, e depois de se ver criada uma necessidade de tanta formação, a ENB criou as unidades locais de formação, ULF, sediadas um pouco por todo o país e normalmente agregadas a corpos de bombeiros da zona a que estão instaladas, levando e bem, a que as corporações proprietárias destas unidades sejam privilegiadas no seu uso. O problema é que existem mais beneficiados e os critérios ninguém os sabe.


Pegando num caso concreto, Coimbra é um dos locais onde a formação está a ser dividida e entregue aos CB's de forma deficitária chegando mesmo a haver por parte de alguns comandantes uma certa revolta por esta injustiça. Ao BPS chegou a informação por parte de 2 comandantes que o CODIS de Coimbra foi informado da situação e mesmo não tendo responsabilidade directa comunicou à entidade competente, ENB. "Houve situações de cursos em urbanos em que a minha corporação só foi um elemento chamado quando havia outros cb's onde foram 4 elementos ao mesmo tempo", comentou ao BPS um dos comandantes.


A formação é um aspecto importante e todos julgamos que as unidades locais de formação vieram fazer crescer a oferta formativa pelo país, evitando que muitas vezes corporações se desloquem centenas de quilómetros para formação.


A algum tempo atrás, depois da saída da nova regulamentação das promoções, os cb's foram questionados sobre as necessidades de formação para dar vazão ao numero crescente de Homens para promover.


A opinião entre quadros activos de CB's e unânime, há que investigar, analisar e comparar números para que a formação esteja distribuída de forma igualitária e não pelo peso ou pressão (cunha, incentivos, amizades...) que possam existir.


Numa altura em que a ENB é acusada de se ter virado de costas para a formação gratuita dos bombeiros em qualidade e quantidade esta é apenas mais uma machada na imagem que passa a quem todos os dias está na linha da frente da intervenção.

in: Exclusivo BPS

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:12

Sexta-feira, 26.11.10

ENB: Formação nas ULF Está a Ser Atribuída Conforme o Peso da Cunha

Atribuição da Formação vai contra os princípios básicos
da ENB
O BPS têm conhecimento de várias situações em que a utilização dos locais de formação para a administração de curso de chefes de incêndios urbanos e chefe de fogos florestais está a ser doseada entre corporações de forma não muito justa e até duvidosa. Os parâmetros de atribuição de formação não são muito claros e ninguém quer falar disso sob pena de ainda ver agravada a sua situação de formação.


O caso é geral e por vários pontos do país as queixas são generalizadas e a formação chega as corporações de uma forma não muito clara, havendo mesmo situações em que corpos de bombeiros não viram ninguém dos seus quadros chamados para formação e outros com quadros activos já com ambas as formações em todos os seus elementos (ou quase na sua totalidade).


O BPS relembra que por exemplo para a subida de um bombeiro de 2ª Classe a 1ª Classe são necessários, entre outros cursos, o curso de Chefe de Urbanos e o Curso de Chefe de Florestais. Sem estes cursos todas as candidaturas vêem-se assim estancadas por falta de formação. Para aniquilar estas deficiências, e depois de se ver criada uma necessidade de tanta formação, a ENB criou as unidades locais de formação, ULF, sediadas um pouco por todo o país e normalmente agregadas a corpos de bombeiros da zona a que estão instaladas, levando e bem, a que as corporações proprietárias destas unidades sejam privilegiadas no seu uso. O problema é que existem mais beneficiados e os critérios ninguém os sabe.


Pegando num caso concreto, Coimbra é um dos locais onde a formação está a ser dividida e entregue aos CB's de forma deficitária chegando mesmo a haver por parte de alguns comandantes uma certa revolta por esta injustiça. Ao BPS chegou a informação por parte de 2 comandantes que o CODIS de Coimbra foi informado da situação e mesmo não tendo responsabilidade directa comunicou à entidade competente, ENB. "Houve situações de cursos em urbanos em que a minha corporação só foi um elemento chamado quando havia outros cb's onde foram 4 elementos ao mesmo tempo", comentou ao BPS um dos comandantes.


A formação é um aspecto importante e todos julgamos que as unidades locais de formação vieram fazer crescer a oferta formativa pelo país, evitando que muitas vezes corporações se desloquem centenas de quilómetros para formação.


A algum tempo atrás, depois da saída da nova regulamentação das promoções, os cb's foram questionados sobre as necessidades de formação para dar vazão ao numero crescente de Homens para promover.


A opinião entre quadros activos de CB's e unânime, há que investigar, analisar e comparar números para que a formação esteja distribuída de forma igualitária e não pelo peso ou pressão (cunha, incentivos, amizades...) que possam existir.


Numa altura em que a ENB é acusada de se ter virado de costas para a formação gratuita dos bombeiros em qualidade e quantidade esta é apenas mais uma machada na imagem que passa a quem todos os dias está na linha da frente da intervenção.

in: Exclusivo BPS

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:12

Sexta-feira, 26.11.10

Peniche: Direcção Demeti-se em Divergência com a Autarquia

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:10

Sexta-feira, 26.11.10

Peniche: Direcção Demeti-se em Divergência com a Autarquia

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:10

Sexta-feira, 26.11.10

Beja: Bombeiros Precisam de Autotanque

Os Bombeiros Voluntários de Beja dispõem de um parque de viaturas “muito capaz para as funções” assegurou esta semana Rodeia Machado em entrevista concedida à Rádio Pax.

O presidente dos Bombeiros Voluntários de Beja apontou como “fundamental” a aquisição de um autotanque de grande capacidade (16 mil litros), não só para combate aos incêndios como para abastecimento à população. Os Bombeiros equacionam a aquisição de um veículo usado ou a apresentação de uma candidatura ao QREN- Quadro de Referência Estratégico Nacional para compra de uma viatura nova, no âmbito da Federação dos Bombeiros do Distrito de Beja. O autotanque custa entre 150 a 200 mil euros. Rodeia Machado admite que mesmo com financiamento comunitário “não é fácil” a aquisição pois obriga a Associação a despender uma verba na ordem dos 45 mil euros.

A Corporação tem neste momento em fase de adaptação um veículo doado pela Força Aérea.

in: Radip Pax

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:09

Sexta-feira, 26.11.10

Madeira: PC Apela á Calma

"As pessoas devem se manter calmas e não entrar em situações de alarmismos porque os responsáveis estão a fazer os possíveis para que não haja problemas de maior" este foi o apelo feito há pouco por Luís Neri, Presidente do Serviço Regional de Protecção Civil (SRPCM).

O responsável garantiu ao DIÁRIO que "o serviço não tem tido referências de incidentes em escala" e que "até ao momento estão sinalizadas algumas inundações, estradas encerradas e condicionadas e alguns túneis fechados". Toda esta informação estará disponível dentro de pouco tempo no 'site' do SRPCM.

Sobre as condições meteorológicas esperadas para as próximas horas, Luís Neri disse que já se está a sentir um "desagravamento do mau tempo, com alguma chuva mas, sem a intensidade da hora de almoço".

Amanhã a partir das 18 horas deverá voltar a cair, porém o responsável explica que o SRPCM está a ser constantemente actualizado pelo Instituto de Meteorologia e todas as avaliações são feitas de acordo com essas informações regulares.

À população, Neri pede ainda que se evitem os lugares que podem trazer riscos acrescidos e que não tentem percorrer zonas alagadas e estradas que estejam condicionadas ou encerradas, evitar aglomerados junto a locais que podem estar mais susceptíveis de perigo, como ribeiras e linhas de água. "As pessoas devem obedecer às instruções das forças de segurança e outros responsáveis e deixar que as entidades façam o seu trabalho.

No site da Protecção Civil estão já disponíveis estas e outras informações sobre como agir em caso de chuva:

Esteja atento aos avisos e recomendações das autoridades competentes, mantendo-se informado do evoluir da situação.

Feche portas e janelas e retire os objectos soltos que se encontrem nas varandas e peitoris das anelas.

Em caso de inundação no interior de sua casa por excesso de chuva, contacte os Bombeiros locais e/ou o Serviço Municipal de Protecção Civil do seu concelho.

Ao conduzir nestas condições, reduza a velocidade, conduzindo com precaução devido a possíveis congestionamentos de tráfego. Tenha atenção aos lençóis de água que podem formar-se, não conduza ou estacione em zonas propícias a inundações.

Tenha em atenção que as estradas podem estar cortadas ou condicionadas ao trânsito.

in: DN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:09

Sexta-feira, 26.11.10

Madeira: PC Apela á Calma

"As pessoas devem se manter calmas e não entrar em situações de alarmismos porque os responsáveis estão a fazer os possíveis para que não haja problemas de maior" este foi o apelo feito há pouco por Luís Neri, Presidente do Serviço Regional de Protecção Civil (SRPCM).

O responsável garantiu ao DIÁRIO que "o serviço não tem tido referências de incidentes em escala" e que "até ao momento estão sinalizadas algumas inundações, estradas encerradas e condicionadas e alguns túneis fechados". Toda esta informação estará disponível dentro de pouco tempo no 'site' do SRPCM.

Sobre as condições meteorológicas esperadas para as próximas horas, Luís Neri disse que já se está a sentir um "desagravamento do mau tempo, com alguma chuva mas, sem a intensidade da hora de almoço".

Amanhã a partir das 18 horas deverá voltar a cair, porém o responsável explica que o SRPCM está a ser constantemente actualizado pelo Instituto de Meteorologia e todas as avaliações são feitas de acordo com essas informações regulares.

À população, Neri pede ainda que se evitem os lugares que podem trazer riscos acrescidos e que não tentem percorrer zonas alagadas e estradas que estejam condicionadas ou encerradas, evitar aglomerados junto a locais que podem estar mais susceptíveis de perigo, como ribeiras e linhas de água. "As pessoas devem obedecer às instruções das forças de segurança e outros responsáveis e deixar que as entidades façam o seu trabalho.

No site da Protecção Civil estão já disponíveis estas e outras informações sobre como agir em caso de chuva:

Esteja atento aos avisos e recomendações das autoridades competentes, mantendo-se informado do evoluir da situação.

Feche portas e janelas e retire os objectos soltos que se encontrem nas varandas e peitoris das anelas.

Em caso de inundação no interior de sua casa por excesso de chuva, contacte os Bombeiros locais e/ou o Serviço Municipal de Protecção Civil do seu concelho.

Ao conduzir nestas condições, reduza a velocidade, conduzindo com precaução devido a possíveis congestionamentos de tráfego. Tenha atenção aos lençóis de água que podem formar-se, não conduza ou estacione em zonas propícias a inundações.

Tenha em atenção que as estradas podem estar cortadas ou condicionadas ao trânsito.

in: DN

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:09

Sexta-feira, 26.11.10

Beja: Bombeiros Precisam de Autotanque

Os Bombeiros Voluntários de Beja dispõem de um parque de viaturas “muito capaz para as funções” assegurou esta semana Rodeia Machado em entrevista concedida à Rádio Pax.

O presidente dos Bombeiros Voluntários de Beja apontou como “fundamental” a aquisição de um autotanque de grande capacidade (16 mil litros), não só para combate aos incêndios como para abastecimento à população. Os Bombeiros equacionam a aquisição de um veículo usado ou a apresentação de uma candidatura ao QREN- Quadro de Referência Estratégico Nacional para compra de uma viatura nova, no âmbito da Federação dos Bombeiros do Distrito de Beja. O autotanque custa entre 150 a 200 mil euros. Rodeia Machado admite que mesmo com financiamento comunitário “não é fácil” a aquisição pois obriga a Associação a despender uma verba na ordem dos 45 mil euros.

A Corporação tem neste momento em fase de adaptação um veículo doado pela Força Aérea.

in: Radip Pax

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 08:09


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2010

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930




Tags

mais tags