Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

diariobombeiro



Sábado, 21.07.12

Tochas encontradas na Camacha reforçam suspeitas de fogos crimosos na Madeira

Os bombeiros de Santa Cruz localizaram nesta tarde de sábado seis tochas a arder no antigo hotel da Camacha, localizado no sitio dos Casais de Além, anunciou o comandante da corporação, Duarte Ferro.

As tochas foram apreendidas pela Polícia Judiciária que tem vindo a intensificar as investigações aos fogos, destacando várias equipas para apurar indícios de fogo posto na origem dos incêndios que desde quarta-feira deflagraram na Madeira, nomeadamente nos concelhos do Funchal, Calheta, Porto Moniz e Santa Cruz.

Na quinta-feira, o presidente da Câmara do Funchal afirmou não ter dúvidas de que o grande incêndio do Palheiro Ferreiro “teve origem criminosa”. Miguel Albuquerque adiantou que há testemunhas oculares que presenciaram a intervenção de “mão criminosa” na deflagração do fogo a partir na zona da Cornélia. As chamas de elevadas proporções ameaçaram residências particulares e o aldeamento turístico do Palheiro, de onde durante a noite foram transferidos 49 hóspedes para outras unidades hoteleiras da cidade.

Também o presidente do governo regional, em comunicado distribuído na sexta-feira, declarou-se convencido de que se está perante “terrorismo incendiário”, manifestando o desejo de que “as autoridades competentes do Estado saibam averiguar, descobrir e punir”. “Dada a dispersão de pontos em que os incêndios iam sucessivamente ocorrendo, numa multiplicação de locais nunca antes vista, obrigando tecnicamente a uma dispersão de meios, os quais a região dispõe para situações de catástrofe, mas nunca para uma impensada multiplicidade desta natureza”, acentuou a nota divulgada pelo gabinete de Alberto João Jardim.

Também nesta tarde de sábado o presidente da câmara de Porto Moniz, Valter Correia, considerou “suspeitas” e “muito esquisitas” as circunstâncias em que surgiram dois focos de incêndio no pequeno planalto da Terra Chã, sobranceiro ao do Chão da Ribeira, no Seixal.

Um homem, o único detido sob suspeitas de ter ateado um fogo, foi este sábado ouvido em tribunal, ficando obrigado a apresentações diárias às autoridades policiais da área de residência. Segundo o inspector da PJ na Madeira, Ricardo Silva, a detenção do indivíduo, com 50 anos, foi realizada ao final desta sexta-feira na freguesia da Boaventura, no concelho de São Vicente.

Incêndios ainda por extinguir

Na tarde deste sábado os bombeiros, com a colaboração de populares estão a dominar o incêndio que esteve incontrolável na Assomada, colocando em perigo residentes da localidade. Sob nova ameaça está a população de Gaula, que há mais de 24 horas vive em ambiente de pânico e de destruição. Também no Caniço, no sítio dos Moinhos, as chamas que se propagaram com grande velocidade devoraram árvores e atingiram residências.

Na zona oeste da ilha, subsistiam alguns focos do incêndio que na sexta-feira a Fonte do Barro, nas serras da Fajã da Ovelha. Nas Achadas da Cruz, no Porto Moniz, os bombeiros continuam a combater o incêndio, procurando impedir que as chamas atinjam a Santa.

Última actualização às 19h28
Fonte: Publico

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 19:22



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  





Tags

mais tags