Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Sexta-feira, 22.02.13

Chaves – Procuram-se novos bombeiros voluntários para ajudar o próximo

Os Bombeiros Voluntários de Salvação Pública de Chaves procuram novos elementos entre os 16 e 44 anos para receber formação nas novas instalações da corporação já em Março e juntar-se ao corpo activo no socorro à população. Ser voluntário tem vantagens e regalias.

Até final deste mês de Fevereiro, os Bombeiros Voluntários de Salvação Pública (BVSP) de Chaves estão a recrutar novos elementos masculinos e femininos. O único requisito é ter entre 16 e 44 anos e gosto em ajudar o próximo. “Estamos com um défice grande de bombeiros, as pessoas não aderem tanto ao voluntariado e vimo-nos mesmo na necessidade de lançar esta campanha em busca de voluntários”, admite Ricardo Rebelo, oficial de bombeiro. Com uma média de 35 elementos no quadro activo, “o ideal era recrutar mais cerca de 20 bombeiros”.

Quem responder a este desafio, irá iniciar em Março, nas próprias instalações dos BVSP, um curso de Instrução Inicial de Bombeiro com duração de meio ano, seguido de um estágio de mais seis meses integrado na vida activa da corporação. Em Julho, os voluntários serão submetidos a exame a nível distrital e, uma vez aprovados, adquirem o estatuto de bombeiro voluntário.

Ser voluntário tem vantagens e regalias. Entre elas, Ricardo Rebelo destaca que “são pagas as propinas aos estudantes num valor até ao ordenado mínimo, tanto no ensino público como no privado, há isenções de taxas moderadoras nos cuidados básicos e serviços que advêm das consultas, como os exames, e o Fundo Social de Bombeiros vai começar a fazer rastreio médico dos bombeiros”. Além disso, acrescenta, ao ser bombeiro, “o voluntário vai tirar vários cursos que poderão ser úteis na sua vida profissional e pessoal”, como o de socorrismo e de desencarceramento.

Aos voluntários são actualmente exigidas 270 horas anuais, o que “é irrisório”, sendo totalmente compatível com outra actividade profissional, garante Ricardo Rebelo. Nos meses de Verão, é ainda dada uma pequena compensação às equipas de combate a incêndios, sendo que o Governo se prepara para isentar os bombeiros do pagamento de IRS sobre esse rendimento.

Para angariar o máximo de voluntários, os bombeiros estão a colar cartazes nas escolas, ginásios, bares da cidade e aldeias vizinhas, sendo que a iniciativa também está a ser divulgada nas redes sociais e a nível nacional através do portal bombeiros.pt. Com “instalações, viaturas e mentalidades novas, a causa torna-se mais aliciante” até para as mulheres, acredita Ricardo Rebelo, notando que os BVSP contam já com cerca de 18 elementos femininos, quase metade do quadro activo.

“Ser bombeiro é um vício. Gosta-se e é aliciante. Infelizmente, ainda é um pouco mal visto, mas cada vez mais há mais formação e qualidade dentro dos bombeiros. Ao estarem cá, não saem daqui! É mesmo viciante”, conclui Ricardo Rebelo, assegurando que a maior compensação desta actividade é mesmo “sentir-se útil para a sociedade e poder ajudar o próximo”.
 por Diário@ctual

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 09:53


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728




Tags

mais tags