Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Sábado, 25.06.11

Governo Não "Mexe" no Dispositivo de Combate aos Fogos

O ministro da Administração Interna recorreu ao ditado popular "em tempo de guerra não se limpam armas" para reforçar a decisão de, em pleno período crítico de fogos florestais, não "mexer em tudo o que está previsto, organizado e planeado" pela Protecção Civil.

Miguel Macedo adiantou que "o dispositivo que estava montado continua absolutamente intocável em todos os seus aspectos" e assumiu que a "prioridade política" é ter este ano "menos fogos e menos área ardida".

O ministro falava aos jornalistas, ontem, no final de uma reunião com a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), em Carnaxide, Oeiras, para avaliar o dispositivo de combate aos incêndios florestais. Miguel Macedo adiantou ter recebido garantias de que o dispositivo no terreno - 41 meios aéreos (menos 15 que no ano passado) e 9210 elementos - é "o necessário para a época que se avizinha". E explicou que o objectivo da sua primeira deslocação como governante à ANPC foi o de dar um "sinal político de homenagem a um dos interesses nacionais mais fundamentais do momento".

No entanto, o novo responsável pela pasta da Administração Interna não esclareceu se esta área vai passar para o Ministério da Defesa, como estava previsto no programa eleitoral do PSD. Também se escusou a "antecipar a notícia" sobre a eventual nomeação, para o seu ministério, de um secretário de Estado da Protecção Civil.

A época mais crítica de incêndios florestais só começa a 1 de Julho, mas o calor dos últimos dias tem dado que fazer às corporações de bombeiros do país. O feriado de quinta-feira foi o que registou mais ocorrências, 160, do total de 1290 que estão até agora contabilizadas. No entanto, a Protecção Civil já alertou para as temperaturas elevadas que se vão fazer sentir este fim-de-semana, com os termómetros a chegarem aos 40 graus Celsius nalguns distritos.

Ontem, os concelhos de Ponte de Lima, Gondomar, Maia e Oliveira de Azeméis viveram os casos mais complicados do dia. À hora do fecho desta edição permaneciam activos os incêndios em Loureiro (Oliveira de Azeméis) e Frejufe (Maia), que mobilizavam no seu conjunto 99 bombeiros, apoiados por 31 viaturas.

por Andrea Cruz
fonte: Público

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 10:58


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2011

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930




Tags

mais tags