Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

diariobombeiro



Terça-feira, 24.07.12

BM Viseu Com Falta de Efectivos e de Equipamentos


O presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), Fernando Curto, alertou que os Bombeiros Municipais de Viseu estão no limite da “razoabilidade do socorro”, devido à falta de efectivos e de equipamentos, escreve a agência Lusa. 


Em conferência de imprensa realizada na passada sexta-feira em Viseu, em conjunto com o Sindicato Nacional de Bombeiros Profissionais (SNBP), Fernando Curto considerou que “a situação é bastante caótica”, levando a que a segurança no concelho seja “deficiente para os bombeiros e para as populações”. 
Fernando Curto lamentou que a corporação tenha apenas 39 efectivos, divididos por cinco turnos, “que não satisfazem minimamente o socorro que é preciso prestar às populações”. A ANBP e o SNBP têm reivindicado pelo menos 60 bombeiros. 


O presidente do SNBP, Sérgio Carvalho, exemplificou com o que se passou na segunda-feira, dia em que “houve um acidente de viação com encarcerados e, como havia apenas dois elementos no quartel”, teve de ser chamado um terceiro, “quase a fazer lembrar uma situação de voluntariado”, tendo a viatura de ficar à espera que chegasse. Nesse período, houve “um pedido de abertura de porta que não foi feita porque não havia bombeiros” e não se realizou um pedido de abastecimento de água. Houve ainda dois incêndios florestais, sendo que para um saiu a equipa de serviço, mas para o segundo já não havia bombeiros, acrescentou. “Isto é diário”, referiu. 


À falta de efectivos juntam-se problemas como “fardas rotas, equipamento individual insuficiente, falta de condições de habitabilidade no quartel e viaturas com 42 anos”, contou Fernando Curto, questionando a razão de a Câmara de Viseu não se ter candidatado a fundos do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) para suprir estas falhas. 


A agência Lusa adianta que Sérgio Carvalho contou que os municipais de Viseu “só têm cinco pares de calças (usadas no combate a incêndios) para 39 bombeiros”, quando esse devia ser um equipamento individual. “Quem chegar primeiro veste as calças e sai no carro. Quase que faz lembrar um país de terceiro mundo”, criticou. 


Fernando Curto lamentou que a Câmara de Viseu esteja a fazer “orelhas moucas às reivindicações dos bombeiros”, considerando que o presidente da autarquia, Fernando Ruas, deveria dar o exemplo, uma vez que é também o líder da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP). 


A 24 de Abril, na sequência de uma reunião com o vereador responsável pelo pelouro da Protecção Civil, Hermínio Magalhães, os bombeiros enviaram para a autarquia um levantamento de todos os problemas sentidos. “Desde essa reunião, a Câmara nunca mais teve agenda para reunir connosco”, lamentou Sérgio Carvalho. 


Os bombeiros vão, nos próximos dias, realizar um plenário para decidir as medidas a tomar. 


A agência Lusa tentou, sem sucesso, contactar Fernando Ruas e Hermínio Magalhães.

Fonte: ViseuMais

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 19:48



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  





Tags

mais tags