Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Terça-feira, 04.09.12

"Fogo leão devora tudo a grande velocidade"

Um homem carbonizado, dois pilotos feridos na queda de um helicóptero Kamov, três bombeiros feridos, casas ardidas, populações em pânico. Tudo por causa dos incêndios que ontem voltaram a massacrar o País – com mais de 250 ocorrências a mobilizarem cinco mil bombeiros.

O maior, que hoje entra no terceiro dia, é o de Mata, Ourém, com chamas num perímetro de 20 quilómetros. Já destruíram seis mil hectares de floresta. Em Seia e Rio de Mel (Oliveira do Hospital), dezenas de pessoas fugiram de casa. Em Águeda e Albergaria-a-Velha as chamas ameaçaram dezenas de casas. "É uma catástrofe! Vivemos momentos de aflição e temos uma vida para lamentar", disse ontem ao CM Paulo Fonseca, presidente da Câmara de Ourém, descrevendo um "fogo leão, que devora tudo a grande velocidade".

Além da morte de um morador em Resouro, foram destruídas uma fábrica, várias casas (não habitadas) e barracões, com as chamas a "lamber mais de mil habitações".

Os bombeiros contavam ter a situação controlada ao final da tarde, mas o vento voltou a dar força às chamas. "Não temos uma frente activa para combater, mas vários fragmentos, já que se trata de um fogo de saltos, em que a propagação se faz pelas copas, em fogo aéreo, e a grande velocidade", diz o comandante Luís Costa.

Em Seia, o fogo nasceu em Carragosela, galgou com força por encostas da Serra da Estrela e obrigou à retirada de 40 pessoas em Sazes Velho. Outras pessoas, em quintas de Corgas e Furtado, foram aconselhadas pela GNR a sair. "Não estamos seguros em casa", lamentou Maria Rodrigues.

HELICÓPTERO CAIU QUANDO REABASTECIA

l Um helicóptero bombardeiro Kamov despenhou-se ontem, às 11h00, quando reabastecia o balde numa lagoa, junto ao parque de merendas de Espite, Ourém. Os dois pilotos, Paulo Loureiro e Diogo Cabral, saíram pelo próprio pé, apenas com ferimentos ligeiros. O aparelho ficou muito danificado, não devendo ter reparação. O CM perguntou à Empresa de Meios Aéreos se a aeronave estava coberta pelo seguro, mas não obteve resposta da empresa pública.

CHAMAS INFERNAIS OBRIGARAM AO CORTE DA A1

n Os fogos também não deram ontem descanso aos bombeiros do norte do País, em especial em Albergaria-a-Velha e Águeda – em ambos os casos a chamas começaram no domingo à tarde. Dezenas de casas estiveram em perigo, um morador ficou ferido e a A1, entre Albergaria e Aveiro, esteve mesmo cortada ao trânsito entre as 19h00 e as 20h00, situação que já tinha também ocorrido ao início da manhã. Ao fecho desta edição, as chamas ainda não tinham dado tréguas aos bombeiros e o vice-presidente da Câmara de Águeda adivinhava mais uma noite infernal.

"Tudo aponta para mais uma noite de fogos, temos quase 200 bombeiros no terreno. Para já estamos a conseguir controlar os danos e evitar que as casas sejam atingidas", adiantou à Lusa o vice-presidente, Jorge Almeida.

Em Albergaria-a-Velha, o denso mato trouxe muitas dificuldades a mais de 100 bombeiros que só com apoio aéreo conseguiram evitar que o fogo chegasse às casas nos lugares de Frossos e Fontão. Os moradores também tentavam a todo o custo proteger os bens – com mangueiras e baldes de água combatiam o fogo. Deram ainda comida e água aos bombeiros, de forma a dar-lhes força.

Fonte: Correio da Manhã

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 16:17


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2012

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30




Tags

mais tags