Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Terça-feira, 19.03.13

Governo aumenta valor do subsídio de combustível a bombeiros no combate a incêndios

O Governo vai aumentar o valor do subsídio de combustível às corporações de bombeiros, envolvidas no combate a incêndios florestais, este ano, revelou hoje o secretário de Estado da Administração Interna, Filipe Lobo d'Ávilla.
 
O valor da comparticipação passa de 80 cêntimos para 1,20 euros, por litro, e, como salientou o governante após reunião com comandos distritais e operacionais na Autoridade Nacional da Proteção Civil, representa "um esforço financeiro de dois milhões de euros", juntamente com a remuneração diária para elementos que integrem equipas de combate a incêndios florestais.
 
Este ano, a remuneração diária será de 45 euros, isentos de tributação, mais quatro euros do que no passado, foi anunciado na semana passada pelo ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, após a aprovação do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais 2013 (DECIF).
 
"A atualização do valor desta comparticipação diária não acontecia há cinco anos", referiu o secretário de Estado da Administração Interna, acrescentando que "há um conjunto de propostas" no DECIF 2013 "que vai ao encontro das questões dos bombeiros".
 
O combate a incêndios florestais vai custar 78,5 milhões de euros (ME), em 2013, o que reflete um aumento de quase cinco por cento em relação ao ano passado, o que corresponde a mais quatro milhões de euros.
 
No que se refere a verbas destinadas às corporações de bombeiros, que totalizarão 2,3 ME, em 2013, há um reforço de 11 por cento, enquanto serão despendidos 1,3 ME para a aquisição de rádios, a serem distribuídos pelas corporações de bombeiros de todo o país, que vão passar a dispor de seis aparelhos, em vez de três, como se verificou em 2012.
 
A constituição de dez grupos de reforço de ataque ampliado, denominados GRUATA, a utilização de máquinas de rastos, no apoio às ações de combate a incêndios florestais, e a cooperação com a Força Aérea Portuguesa, que disponibiliza o avião C-295M, são outras das alterações significativas no DECIF para 2013.
 
O plano consagra ainda o programa de integração de reclusos em ações de prevenção e vigilância dos incêndios florestais, na primeira de três fases do sistema de combate, e a instalação de sistema de apoio e monitorização de incêndios florestais, um projeto-piloto no Parque Natural da Peneda-Gerês, com 13 sistemas com tecnologia nacional para a deteção de fumo.
 
O DECIF consagra quatro fases de perigo, cujo período crítico - a fase Charlie - decorre de 01 de julho a 30 de setembro, com um total de 237 postos de vigia, 1.172 equipas, 1.976 veículos e um total de 9.337 operacionais, distribuídos por equipas de vigilância (676), de vigilância e ataque inicial (396) e de combate (1.102).
 
Durante as fases Bravo (15 de maio a 30 de junho), Charlie e Delta (01 a 31 de outubro), serão utilizados 45 meios aéreos, no total, juntando-se os helicópteros com brigadas e o helicóptero Allouete III e o C-295M da Força Aérea.
 
 
por JM

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 19:53


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31




Tags

mais tags