Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Quinta-feira, 21.03.13

Médicos denunciam degradação do socorro prestado pelo INEM

Um abaixo-assinado subscrito por 118 médicos afirma que a qualidade do socorro prestado à população pelo INEM tem vindo a degradar-se.

«Algumas medidas implementadas nos últimos tempos geraram um decréscimo na qualidade do serviço médico prestado à comunidade e nas condições de eficácia e segurança do trabalho», lê-se no documento a que a TVI teve acesso.

Os médicos queixam-se da falta de qualidade do programa informático usado na receção das chamadas de socorro. Gera falsos positivos, ocupando ambulâncias, carros médicos e helicópteros em casos não urgentes, meios que podem depois fazer falta para doentes verdadeiramente em risco.

«Revisão técnico-científica de todos os fluxos de triagem do programa tetricosy® de forma a reduzir os inúmeros falsos positivos gerados atualmente pelo programa e que impedem uma maior qualidade na triagem e na selecção dos meios de socorro a accionar», defendem.

Os profissionais queixam-se ainda da falta de condições de trabalho das bases em terra dos helicópteros de emergência médica do Alentejo e Algarve.

«As bases dos helis de Beja e Loulé atualmente não têm condições ideais para o seu digno funcionamento, nomeadamente em termos de condições sanitárias, de higiene, de luminosidade e de controlo climático para a presença das equipas médicas», dizem.

O abaixo-assinado revela que, devido à falta de condições, os pilotos desses helicópteros não pernoitam nas bases, o que atrasa o socorro. «As equipas de pilotos, com o consentimento do INEM, não se encontram fisicamente nas instalações durante o período noturno, indo pernoitar a hotéis locais distantes das bases».

Os 118 subscritores representam 90 por cento do corpo médico do INEM, mas trabalham a recibo verde. Não aceitam a proposta de um novo corte no valor da hora de trabalho e denunciam pagamentos em atraso: «Atrasos na regularização dos vencimentos a pagar aos médicos, que no caso do serviço de helicópteros de emergência médica chegaram a ser de seis meses».

O presidente do INEM não acedeu ao convite para uma entrevista. Confrontado pela TVI com o documento apresentado pelos médicos, produziu apenas comentários sobre o diferendo remuneratório: «Trata-se de procurar um tratamento equivalente e uniforme, em termos remuneratórios, do trabalho médico em toda a administração pública».

O conselho diretivo garante ainda que vai responder aos médicos no prazo previsto e que está certo da boa compreensão deles para a resposta que está a preparar.


por TVI24

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 15:15


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31




Tags

mais tags