Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

diariobombeiro



Domingo, 31.07.11

“Não posso estar sem ti, meu filho”

Pampilhosa: Mãe de voluntário não esconde dor 

A bandeira está a meia haste. De semblante carregado, os bombeiros não conseguem conter as lágrimas. Os gritos de dor ecoam pelos corredores do quartel dos Voluntários de Pampilhosa do Botão, onde ontem à tarde chegou o corpo de Sérgio Ferreira.  

O jovem de 28 anos morreu anteontem no Hospital de Coimbra após ter sofrido um violento acidente a caminho de um incêndio, na passada quarta-feira, em Barcouço, Mealhada. 

"Meu filho, não posso estar sem ti. Volta para mim. Não partas", gritava Eugénia, a mãe do jovem bombeiro cujo corpo ficará em câmara-ardente no salão nobre do quartel até hoje às 17h00, altura em que será realizada a missa e, posteriormente, o funeral.

Só ontem a família teve o primeiro contacto com o corpo do bombeiro, voluntário há oito anos. "Quero estar sempre junto do meu menino", dizia Eugénia, beijando o rosto do filho.
O corpo de Sérgio foi escoltado pela corporação desde o local do acidente. "Fizemos com ele o regresso a casa", explicou Fernando Abrantes, adjunto do comando.

O Funeral do bombeiro Sérgio Miguel Ferreira, da corporação da Pampilhosa, falecido na sexta-feira, 29 de Julho, em serviço, vitima de um acidente a caminho de um incêndio na quarta-feira anterior, realiza-se no domingo, 31 de Julho. O corpo está em câmara ardente no quartel dos Bombeiros da Pampilhosa desde as 17h 30m de sábado e o funeral partirá do aquartelamento, às 17h 30m de domingo.

Sérgio Miguel Ferreira, o bombeiro de vinte e oito anos de idade, vítima de um acidente, na manhã da passada quarta-feira, 27 de julho, quando se dirigia, numa viatura da corporação da Pampilhosa - um autotanque de combate a incêndios - para o Pisão, na freguesia de Barcouço, a fim de combater um incêndio florestal, faleceu na sexta-feira, dia 29 de julho. Apesar de ao final da manhã várias terem sido as fontes que fizeram chegar ao Jornal da Mealhada a noticia, o óbito só foi declarado, pelos Hospitais da Universidade de Coimbra, cerca das 18h 30m.

Lembramos os nossos leitores que, no dia do acidente, o jovem bombeiro ficou encarcerado na viatura e quando foi retirado estava em paragem cardio-respiratória, que foi possível reverter com manobras de reanimação, tendo entrado com vida nos Hospitais da Universidade de Coimbra. O acidente, um despiste seguido de capotamento, ocorreu cerca das 10h 20m, na estrada que liga a Pampilhosa a Santa Luzia, mais concretamente à Estrada Nacional 1, junto do Carqueijo, e do qual resultaram quatro feridos: Para além do jovem de vinte e oito anos, também um homem de quarenta e cinco anos de idade, em estado grave, fraturou o fémur; e duas mulheres, com cerca de vinte e cinco anos de idade, com ferimentos ligeiros, que já tiveram alta hospitalar.

As bandeiras dos Bombeiros da Pampilhosa e da Mealhada estão a meia haste desde a hora da declaração do óbito. A meia haste estão, também, desde sábado de manhã, as bandeiras da freguesia da Pampilhosa, no edificio-sede da junta, e a do Municipio da Mealhada, nos Paços do Concelho.

fonte: CM / JM

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 13:45



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2011

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31




Tags

mais tags