Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Sexta-feira, 24.08.12

Sete pessoas hospitalizadas após contato com alforrecas

(Physalia physalis)
Sete pessoas foram hospitalizadas na sequência de contato com alforrecas, na praia do Malhão, em Vila Nova de Milfontes. As alforrecas em questão são designadas de «caravelas portuguesas», são venenosas, bastante dolorosas e podem até revelar-se fatais em alguns casos.

«Cerca das 17 horas houve um alerta de que sete banhistas, quatro crianças e três adultos, tocaram na caravela portuguesa. Foi pedida assistência ao INEM e os banhistas encaminhados para o hospital», adiantou o comandante Arrifana Horta, da capitania de Sines.

Estas espécies não são habituais nas águas portuguesas, mas não esta semana já havia sido avistado, na quarta-feira, na zona da Costa de Caparica, outra caravela portuguesa. 

Os nadadores salvadores já foram avisados, pelo que em todas as praias que sejam avistadas caravelas portuguesas será hasteada a bandeira vermelha.

Fonte: aBola



A caravela-portuguesa (Physalia physalis) ou barco-de-guerra-português, é uma colónia de animais do grupo dos cnidários. Tem cor azul e tentáculos cheios de células urticantes, e aparece nas águas de todas as regiões tropicais dos oceanos.

A caravela-portuguesa não tem movimento próprio - flutua à superfície das águas, empurrada pelo vento, com os seus tentáculos por baixo, sempre prontos a envolver um peixe para a sua alimentação. Os seus tentáculos podem chegar a alguns metros mas ela mesma mede em media 30 cm.

A caravela portuguesa é comummente identificada como uma medusa, mas na verdade é uma colónia de quatro tipos de pólipos. São eles:
Um pneumatóforo transformado numa vesícula cheia de ar;
Os dactilozoóides que formam os tentáculos;
Os gastrozoóides que formam os "estômagos" da colónia; e
Os gonozoóides que produzem os gâmetas para a reprodução.

Os cnidócitos, que são as células urticantes, portadoras dos nematocistos, encontram-se nos tentáculos e são accionados pela "rede nervosa". A caravela-portuguesa tem dois tipos de nematocistos: pequenos e grandes; estes "órgãos" conservam as suas propriedades por muito tempo, mesmo que o indivíduo tenha ficado várias horas a seco na praia. A sua acção é baseada nas suas pressões osmótica e hidrostática individuais. Existem numerosas células sensoriais localizadas na epiderme dos tentáculos e na região próxima da boca.

A caravela-portuguesa é importante para a alimentação das tartarugas-marinhas, que são imunes ao veneno.

Um animal semelhante é a Velella. O flutuador da caravela é simétrico bilateralmente com os tentáculos no final, enquanto a velella é simétrica radialmente com a vela em ângulo. Além disso, a caravela tem um sifão, e a velella não.

Fonte: Wikipédia

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Diário de um Bombeiro às 00:41


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031




Tags

mais tags