Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diariobombeiro



Domingo, 11.09.11

Desastre Ferroviário de Moimenta-Alcafache - Parte 2

Passados 24 anos, o acidente ferroviário de Alcafache continua ainda bem presente na memória daqueles que tiveram de enfrentar a tragédia, que hoje seria "praticamente impossível de acontecer".

O número exacto de vítimas continua por apurar, variando as estimativas, em jornais, observadores oculares e outras fontes, entre 40 e 200 mortos pelo choque frontal na Linha da Beira Alta entre um Sud-Express com destino a Paris e um Regional que seguia para Coimbra, em 11 de Setembro de 1985.

Segundo o médico Américo Borges, que na altura era comandante dos Bombeiros de Canas de Senhorim (Nelas) e que coordenou as operações de socorro, tudo se passou num final de tarde quente, quando "estava sentado em frente à central de comunicações".
"Tragam muitas ambulâncias para a estrada entre Nelas e Mangualde", foi a mensagem que ouviu, que posteriormente veio a saber ter sido emitida por uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Aguiar da Beira que passava na EN 234.

Américo Borges contou que na altura pensou que tivesse acontecido um acidente com um autocarro e mandou sair cinco ambulâncias, todas as que tinha.
Mais tarde, a mensagem "tragam também autotanques que as carruagens estão a arder" fê-lo perceber que se tratava de um acidente com comboios e ele próprio seguiu no autotanque da corporação.
"Cheguei lá e vi um espectáculo dantesco, uma coisa pavorosa que nunca mais esqueço. Carruagens a arder, carruagens fora da via-férrea, descarriladas", contou.

O número de vítimas foi variando de fonte para fonte. Américo Borges estima, "sem grande rigor científico", que tenham morrido "entre 120 e 130", entre aqueles corpos que foi possível contabilizar e aqueles que, reduzidos a cinzas, foram arrastados pela água das agulhetas dos bombeiros e ficaram no local.
O acidente naquela linha de via única deu-se devido a uma falha de comunicação, numa altura em que os comboios nem sequer rádio tinham e o sistema usado era o "cantonamento telefónico".
"O chefe de estação tinha que pedir avanço (autorização para avançar) à estação seguinte. Havia também o posto regulador, em Coimbra, que poderia alterar o local de cruzamento dos comboios, por exemplo, em caso de atraso, e comunicava a decisão à estação. Tudo isto por telefone fixo", explicou José Rebelo, antigo condutor da CP.

Uma falha na comunicação, como aconteceu em Alcafache, era muito difícil de corrigir a partir do momento em que os comboios deixassem a estação, uma situação bem diferente da actual, segundo explicou António Arménio, que é controlador de circulação.
"Agora há sinalização eléctrica, agulhas computorizadas, tudo reunido num servidor em que ao executar o comando para abrir a sinalização num sentido, esta é automaticamente fechada no sentido oposto", explicou.

Na sua opinião, hoje em dia um acidente como o de Alcafache é praticamente impossível e só aconteceria "se se conjugassem muitos factores, nomeadamente se houvesse erro do maquinista e o Convel (sistema que controla a velocidade e avisa o maquinista dos sinais) estivesse fora de serviço".
"Por outro lado, se antes era tudo a diesel, agora é tudo eléctrico. Podíamos cortar a energia eléctrica que os comboios paravam logo", acrescentou.

O maior acidente ferroviário de sempre em Portugal, volta este ano a ser assinalado com uma missa campal promovida por Augusto Sá, anterior presidente da Associação dos Emigrantes de Santa Maria de Válega, Ovar (de onde eram muitas das vítimas).
A cerimónia está marcada para domingo, no local onde se deu o acidente e existe um túmulo e um memorial de homenagem às vítimas e a todos os que estiveram envolvidos no socorro.

AMF

Lusa/fim

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diário de um Bombeiro às 16:28


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2011

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930




Tags

mais tags